Prevalence, cognitive performance and functionality of elderly with Alzheimer's Disease in long stay Bento Gonçalves institutions

Daniela Fernandes Tonholi, Gisele Oltramari

Abstract


Aims: To determine the prevalence, cognitive performance and functionality of elderly people with Alzheimer's disease in long-stay institutions for the elderly
in the city of Bento Gonçalves. Methods: Cross-sectional study including 24 elderly residents in long-stay institutions for the elderly, sociodemographic data
were obtained, and the elderly were subjected to functional evaluation by the Functional Independence Measure and evaluation of cognitive performance
through the mental state the Mini (MMSE). Results: Most of the residents were female (83%), as 54.2% schooling had completed junior high school, most
of the elderly (70.8%) was admitted by the will of the family, 100% of the elderly showed cognitive performance bad, and the smaller the more dependent
cognitive performance was the individual. Conclusion: institutionalized elderly with Alzheimer's disease had negative results on cognitive performance,
as well as deficits in their ability to perform activities of daily living, thus altering their functionality.
Keywords: aging; functionality; cognition; Alzheimer Disease; long-stay institutions.


Keywords


Envelhecimento. Funcionalidade. Cognição. Doença de Alzheimer. Instituições de longa permanência.

References


Cerqueira ATDR, Oliveira NILD. Programa de apoio a

cuidadores: uma ação terapêutica e preventiva na atenção

à saúde dos idosos. Psicol. USP. 2002;13:133-50.

Lenart MH, Palma KAXA. O desempenho de idosas

institucionalizadas no mini exame do estado mental. Acta

Paul enferm. 2009;22:638-44.

Pinto MF, Barbosa DA, Ferreti CEDL, et al. Qualidade de

vida de cuidadores de idosos com Doença de Alzheimer.

Acta Paul Enferm. 2009;22:652-7.

Ferreira LL, Cochito TC, Caíres FD, et al. Capacidade

funcional de idosos institucionalizados com e sem a Doença

de Alzheimer. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol. 2014;17:

-73.

Caetano D. Classificação de transtornos mentais e de comportamento

da CID-10: descrições clínicas e diretrizes

diagnósticas. In: Artmed (Ed.). Organiz. Mund. da Saúde.

Porto Alegre: Artes Medicas Sul, 1993.

Sereniki A, Vital M. A doença de Alzheimer: aspectos

fisiopatológicos e farmacológicos. Rev Psiquiatr Rio G do

Sul. 2008;30.

Nitrini R, Caramelli P, Bottino CM, et al. Diagnóstico de

doença de Alzheimer no Brasil critérios diagnósticos e

exames complementares. Arq Neuropsiquiatr. 2005;63:

-9.

Alencar MA, Bruck NNS, Pereira BC, et al. Perfil dos idosos

residentes em uma instituição de longa permanência. Rev

Bras Geriatr Gerontol. 2012;15:785-96.

Camarano AA, Kanso S. As instituições de longa

permanência para idosos no Brasil. Revista Brasileira de

Estudos de População. 2010;27:232-5.

Bessa MEP, Silva MJ. Motivações para o ingresso dos

idosos em instituições de longa permanência e processos

adaptativos: um estudo de caso. Texto Contexto Enferm,

Florianópolis. 2008;17:258-65.

Talmelli LFS, Vale FDACD, Gratão ACM, et al. Doença de

Alzheimer: declínio funcional e estágio da demência. Acta

Paul Enferm. 2013;26:219-25.

Chaves ML, Godinho CC, Porto CS, et al. Doenças de

Alzheimer: avaliação cognitiva, comportamental e funcional.

Dement. Neuropsychol. 2011;5:21-33.

Zidan M, Arcoverde C, Araújo N, et al. Alterações motoras

e funcionais em diferentes estágios da doença de Alzheimer.

Rev Psiq Clín. 2012;39:161-5.

De Moraes EM, De Moraes FL, Lima SDPP. Características

biológicas e psicológicas do envelhecimento. Rev Med Minas

Gerais. 2010;20:67-73.

Bertolucci PHF, Brucki SMD, Campacci SR, et al. O miniexame

do estado mental em uma população geral. Arq

Neuropsiquiatr. 1994;52:1-7.

Talmelli LFS, Gratão ACM, Kusumota L, et al. Nível de

independência funcional e déficit cognitivo em idosos com

doença de Alzheimer. Revista da Escola de Enfermage da

USP. 2010;44:933-9.

Riberto M, Miyazaki MH, Jucá SS, et al. Validação da versão

brasileira da Medida de Independência Funcional. Acta

fisiátrica. 2004;11:72-6.

Portney LG, Watkins MP. Foundations of clinical research:

Appications to practice. 3ª ed. New Jersey: Prentice Hall

Health, 2009.

Luzardo AR, Gorini MIP, Silva PSS. Características de idosos

com Doença de Alzheimer e seus cuidadores: uma série de

casos em um serviço de neurogeriatria. Texto Contexto

Enferm. 2006;15:587-94.

Chaimowicz F, Greco DB. Dinâmica da institucionalização

de idosos em Belo Horizonte, Brasil. Rev. Saúde Pública,

;33:454-460.

Bosi E. Memória e sociedade: lembranças de velhos. 7ª ed.

São Paulo: Companhia das letras, 1999.

Perlini NMOG, Leite MT, Furini AC. Em busca de uma

instituição para a pessoa idosa morar: Motivos Apontados

por Familiares. Rev. Esc. Enferm USP. 2007;41:229-236.

Born T, Boehat NSA. Qualidade dos cuidados ao idoso

Institucionalizado: Tratado de Geriatria e Gerontologia,

-77. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan.

Tuon L, Portuguez M, Costa J. Memória de orientação

espacial: Avaliação em pacientes com doença de Alzheimer e

com epilepsia mesial temporal refratária. Arq Neuropsiquiatr.

;64:490-495.

Cardoso SCL. Doença de Alzheimer – Projeto Tutorial.

Lisboa, Portugal: Instituto Superior de Ciências da Saúde;

p. 3-13.

Erven TV, Janczura GA. A memória dos idosos em tarefas

complexas. Psic Teor Pesq. 2004;20:59-68.

Soares E, Coelho MO, Carvalho SMR. Capacidade funcional,

declínio cognitivo e depressão em idosos institucionalizados:

Possibilidade de Relações e Correlações. Revista Kairós

Gerontologia. 2012;15:117-39.

Silvestre JA, Milton MCN. Approach to the elderly in

family health programs. Cadernos de Saúde Pública. 2003;9:

-47.

Guia CM, Lemos RM, Rodrigues HC, et al. Declínio

funcional e cognitivo em idosos após 6 meses de internação

em instituição gerontológica. In: Anais do 13º Congresso

Brasileiro de Geriatria e Gerontologia, 2002, Rio de Janeiro.

p. 348.

Davim RMB, Torres GDV, Dantas SMM, et al. Estudo com

idosos de instituições asilares no Muncípio de Natal/RN:

características socioeconômicas de saúde. Rev Latino-Am.

Enfermagem. 2004;12:518-24.

Canineu PR. Transtorno cognitivo leve. In: Freitas EV, Py

A, Cançado FAX, Gorzoni ML, Rocha SM. Eds. Tratado

de Geriatria e Gerontologia. Rio de Janeiro: Guanabara

Koogan; 2002. p. 128-32.

Leinonen R, Heikkinen E, Jylhä M. Predictors of decline

in self-assessments of health among older people – a

- year longitudinal study. Social Science and Medicine.

;52:1329-41.

Andrade AINP, Martins RML. Funcionalidade Familiar

e Qualidade de Vida dos Idosos. Millenium. 2011;40:

-99.

Montenegro SMR, Silva CAB. Os efeitos de um Programa

de Fisioterapia como promotor de saúde na capacidade

funcional de mulheres idosas institucionalizadas. Rev. Bras.

Geriatr. Gerontol. 2007;10:161-78.

Diniz BSO, Volpe FM, Tavares AR. Nível educacional e

idade no desempenho no Miniexame do Estado Mental

em idosos residentes na comunidade. Rev. Psiq. Clín.

;34:13-7.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/2357-9641.2017.1.26051

e-ISSN: 2357-9641

 

 This journal is a member of, and subscribes to the principles of, the Committee on Publication Ethics (COPE) http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons

Except where otherwise noted, content of this journal is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.

 

Editorial Policies of Brazilian Scientific Journals. Deposit availability: Blue .

 

Copyright: © 2006-2017 EDIPUCRS