Elites em perspectiva: uma discussão sobre hierarquias, composição da riqueza e consolidação dos grupos hegemônicos em São João Del Rei

Keila Cecília de Melo

Resumo


O artigo analisa aspectos econômicos da elite colonial mineira a partir de meados do século XVIII, mediante a investigação empírica da sociedade de São João Del Rei. O comércio em São João assumiu um papel central na liquidez da economia regional, permitindo a formação de grupos hegemônicos no século XIX. Mas há ainda muitas dúvidas sobre quem era essa elite no século XVIII. Com base em pesquisa prosopográfica que reconstrói os caminhos dos homens arrolados por Domingos Nunes Vieira como os mais ricos da capitania de Minas Gerais no ano de 1756, percebemos que a elite mineira que se formou no século XVIII diferia dos padrões mais gerais para a caracterização de grupos hegemônicos em outras regiões do Brasil, no mesmo período.


Palavras-chave


Elites Econômicas; Sociedade Colonial; Hierarquia

Texto completo:

PDF

Referências


Fontes documentais

AHU- Rol dos homens mais abastados de Minas, feita por Domingos Nunes Vieira

Biblioteca Baptista Caetano - Acórdãos da câmara de vereadores.

PHAN-SJDR – Fundo de Inventários post-mortem.

SAINT-HILAIRE, Auguste de. Segunda viagem a São Paulo e quadro histórico da Província de São Paulo. Brasília: Senado Federal, Conselho Editorial, 2002. Coleção O Brasil Visto por Estrangeiros.

SPIX, Johnn Baptist; MARTIUS. “Viagem de São João de Ipanema a Vila Rica”. in: SPIX, Johnn Baptist; MARTIUS. Viagem pelo Brasil: 1817-1820. 3.ed. São Paulo: Melhoramentos, 1976. v.3.

Referências

ALMEIDA, Carla Maria Carvalho de. Homens ricos em Minas colonial In: BICALHO, Maria Fernanda; FERLINI, Vera Lúcia Amaral. Modos de governar: idéias e práticas políticas no Império português, séculos XVI-XIX. São Paulo: Alameda, 2005 a.

ALMEIDA, Carla Maria Carvalho de. De Vila Rica ao Rio das Mortes: uma mudança do eixo econômico em Minas colonial. Locus: Revista de história, Juiz de Fora, v.11, n.1 e 2, p. 137-160, 2005 b.

_____. Do Reino às Minas: o “cosmopolitismo” da elite mineira setecentista. In: FRAGOSO, João et alii (orgs.) Nas rotas do Império. Vitória: Edufes; Lisboa: IICT, 2006.

BICALHO, Maria Fernanda Baptista. “Elites coloniais: a nobreza da terra e o governo das conquistas. História e historiografia.” in: MONTEIRO, Nuno G.F.; CARDIM, Pedro, CUNHA, Mafalda Soares (orgs.). Optma Pars:elites ibero-americanas do Antigo Regime. Lisboa: ICS, 2005.

BOBBIO, Norberto. Teoria das elites. In: BOBBIO, Norberto; MATTEUCCI, Nicola; PASQUINO, Gianfranco. (orgs). Dicionário de política. Brasília: EDUNB, 1992.

CHARLE, Christophe. Como anda a história social das elites e da burguesia? Tentativa de balanço crítico da historiografia contemporânea. In: HEINZ, Flávio M.(org.). Por outra história das elites. Rio de Janeiro: FGV, 2006.

CHARTIER, Roger. A história entre a geografia e a sociologia. In: CHARTIER, Roger. À beira da falésia: a história entre certezas e inquietude. Porto Alegre: Editora UFRGS, 2002.

___________ O mundo como representação. In: CHARTIER, Roger. À beira da falésia: a história entre certezas e inquietude. Porto Alegre: Editora UFRGS, 2002.

FARIA, Sheila de Castro. A colônia em movimento: fortuna e família no cotidiano colonial. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1998. (Coleção Histórias do Brasil). 2ª Reimpressão.

FLORY, Rae; SMITH, David Grant. Bahian merchants and planters in the seventeenth and early eigthteenth century. Hispanic American Historical Review, vol.58, no.4,1978. P.571-594.

FRAGOSO, João L. Homens de grossa aventura: acumulação e hierarquia na praça mercantil do Rio de Janeiro, 1790-1830. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1998.

_____. A nobreza vive em bandos: a economia política das melhores famílias da terra do Rio de Janeiro, século XVII, algumas notas de pesquisa. In: Revista Tempo, Niterói, v. 15, 2003.

_____. Elites econômicas em finais do século XVIII: mercado e política no centro-sul da América lusa. Notas de uma pesquisa. In: JANCSÓ, István (org.). Independência: história e historiografia. São Paulo: Fapesp/Hucitec, 2005.

FRAGOSO, João; ALMEIDA, Carla; SAMPAIO, Antônio Carlos Jucá. Conquistadores e Negociantes- Histórias de elites no Antigo Regime nos trópicos. América lusa, séculos XVI a XVIII.

FURTADO, Junia Ferreira. Novas tendências da historiografia sob Minas Gerais no período colonial. História da Historiografia. N°2, março 2009. pp.116 a 162.

GOUBERT, Pierre. História local. in: Revista História & Perspectivas. Uberlândia, 45/57, jan/jun, 1992.

GRAÇA FILHO, Afonso de Alencastro. A princesa do Oeste e o mito da decadência de Minas Gerais: São João del Rei (1831-1888). São Paulo: Annablume, 2002.

GRAÇA FILHO, Afonso de Alencastro. “Fragmentos de memórias: impressões sobre São João del Rei” in VENÂNCIO, Renato Pinto; ARAÚJO, Maria Marta (orgs.). São João del-Rey, uma cidade no Império. Belo Horizonte: Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais/Arquivo Público Mineiro, 2007, p. 47-66.

HESPANHA, Antônio Manuel. Governo, elites e competência social: sugestões para um entendimento renovado da história das elites. In: BICALHO, Maria Fernanda; FERLINI, Vera Lúcia Amaral (orgs). Modos de governar: ideias e práticas políticas no império português, séculos XVI-XIX. São Paulo, Alameda, 2005, p.39-44.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Metais e pedras preciosas. In HOLANDA, Sérgio Buarque de (dir.). História Geral da Civilização Brasileira, 5a ed., São Paulo, Difel, tomo I, v. 2, 1982.

LENHARO. Alcir. As tropas da moderação: o abastecimento da Corte na formação política do Brasil, 1808-1842. São Paulo: Símbolo, 1979.

LEVI, Giovanni. Sobre a micro-história. In: BURKE, Peter (org.). A escrita da História: novas perspectivas. São Paulo: Editora da Unesp, 1992.

LIBBY, Douglas Cole; GRAÇA FILHO, Afonso de Alencastro. Reconstruindo a liberdade Alforrias e forros na freguesia de São José do Rio das Mortes, 1750-1850. Varia Historia Julho 2003. nº 30. pp.112-151

LIBBY, Douglas Cole. Transformação e trabalho em uma economia escravista. Minas Gerais no século XIX. São Paulo. Editora Brasiliense, 1988.

LIMA, Henrique Espada. A micro-história italiana: escalas, indícios e singularidades. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006.

LINHARES, Maria Yedda. História Agrária. In: CARDOSO, Ciro Flamarion; VAINFAS, Ronaldo (Orgs.). Domínios da historia: ensaios de teoria e metodologia. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

MARTINS, Roberto Borges. Minas e o trafico de escravos no século XIX, outra vez. In: SZMRECSÁNYI, Tamás & LAPA, José Roberto do Amaral (orgs.). Historia econômica da Independência e do Império. São Paulo, HUCITEC/FAPESP/ABPHE, 1996. pp.99-130.

MATTOSO, José. História regional e local. In: A escrita da história. Lisboa: Editora Estampa. 1997, p. 169-180.

MATTOSO, Kátia M. de Queirós. Bahia, século XIX. Uma província no Império. Rio de Janeiro: Ed. Nova Fronteira, 1992.

MAXWELL, Kenneth. A devassa da devassa. São Paulo: Paz e Terra, 1973.

NIZZA, Maria Beatriz da Silva. Ser nobre na colônia. São Paulo:Ed. Da UNESP, 2005.

SAMPAIO, Antônio Carlos Jucá de. Os homens de negócio e a coroa na construção das hierarquias sociais: o Rio de Janeiro na primeira metade do século XVIII. In: FRAGOSO, João; GOUVEIA, Maria ded Fátima (orgs.). Na trama das redes: políticas no império português, séculos XVI a XVIII. Rio de Janeiro. Civilização Brasileira. 2010, p. 459-484

SOUZA, Laura de Mello e. O sol e a sombra: política e administração na América portuguesa do século XVIII. São Paulo: Cia. das Letras, 2006.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/2178-3748.2014.1.13282

e-ISSN: 2178-3748


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.