Antonin Artaud e Mário Cesariny: desconstruções da metáfora solar

Luciana Abreu Jardim

Resumo


O poeta português Mário Cesariny foi profundamente influenciado pela poesia, vida e textos de caráter surrealista de Antonin Artaud. O artigo analisa a relevância dessa influência para o conceito de metáfora e sua relação com a experiência poética de Mário Cesariny em poemas escolhidos do volume Manual de prestidigitação. O foco da discussão sustenta-se na desconstrução da metáfora solar, que é paradigmática para todas as metáforas e mantém característica de obscuridade, produzindo sentidos que ultrapassam aqueles usualmente disseminados pelos poetas. O estudo baseia-se nas considerações de Jacques Derrida acerca dos usos da metáfora, desenvolvidos no artigo intitulado “Mitologia branca”.

********************************************************************

Antonin Artaud and Mário Cesariny: deconstructions of the solar metaphor

Abstract: The Portuguese poet Mário Cesariny was deeply influenced by the surrealist character in the poetry, life and texts of Antonin Artaud. The article analyzes the relevance of this influence to the concept of metaphor and its relation with the poetic experience of Mário Cesariny in poems that were chosen from the volume Manual de Prestidigitação. The focus of the discussion stands on the deconstruction of the solar metaphor, which is paradigmatic for all metaphors and maintains a characteristic of obscurity, producing meanings that surpass those usually disseminated by poets. The study is based on the considerations of Jacques Derrida on the uses of the metaphor, developed in the article called “White mythology”. 

Keywords: Mário Cesariny; Antonin Artaud; metaphor; deconstruction.


Texto completo:

PDF

Referências


ARTAUD, Antonin. Heliogabalo ou o anarquista coroado. Trad. Mário Cesariny. Lisboa: Ed. Assírio e Alvim, 1991.

ARTAUD, Antonin. O teatro e seu duplo. Trad. Teixeira Coelho. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

CESARINY, Mário. Manual de prestidigitação. In: ______. Manual de prestidigitação. 2. ed. Lisboa: Assírio e Alvim, 2005.

DERRIDA, Jacques. A mitologia branca. A metáfora no texto filosófico. In: ______. Margens da filosofia. Trad. Joaquim Torres Costa, Antonio Magalhães. Campinas: Papirus, 1991.

Lourenço, Eduardo. A chama plural. In: ______. A nau de Ícaro e Imagem e miragem da lusofonia. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

Lourenço, Eduardo. A cultura portuguesa hoje. In: ______. A nau de Ícaro e Imagem e miragem da lusofonia. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

NUNES, Vladimiro. A última entrevista de Mário Cesariny. Disponível em: http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Cultura/Interior.aspx?content_id=11190. Acesso em: 5 jun. 2009.

RAYMOND, Marcel. O surrealismo. In: ______. De Baudelaire ao surrealismo. São Paulo: Edusp, 1997.

THÉVENIN, Paule. Antonin Artaud, ce desesperé qui vous parle. Paris: Seuil, 1993.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1983-4276.2016.2.27188

ISSN-L: 1982-8527

e-ISSN: 1983-4276

 

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons

Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

 Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

  

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS