Memória e imortalidade nas recordações de Sousa Bastos

Richard Bertolin de Oliveira, Alberto Ferreira da Rocha Junior

Resumo


A obra Recordações de Teatro, escrita pelo autor, jornalista, dramaturgo, diretor e empresário português Antonio de Sousa Bastos (1844-1911), assemelha-se a um dicionário biográfico, contendo informações sobre uma lista numerosa de artistas, não só reconhecidos na cena teatral portuguesa e brasileira, mas também relevantes mundialmente. Na presente análise, atentamo-nos para os procedimentos da escrita biográfica de uma grande variedade de nomes registrados na obra e, por isso, livrados do esquecimento. Por meio da leitura desses textos biográficos, pode-se constatar também o fluxo cultural entre Brasil e Portugal nos séculos XIX e XX, promovido por uma quantidade numerosa de artistas que cruzavam o Atlântico nos dois sentidos da rota.

********************************************************************

Memory and immortality in the memoirs of Sousa Bastos

Abstract: Recordações de teatro, a work written by the Portuguese author, journalist, playwright, director and businessman, Antonio de Sousa Bastos (1844-1911), resembles a biographical dictionary, containing information about a large list of artists, not only recognized in the scenario of both Portuguese and Brazilian drama, but also globally relevant. In the analysis we develop hereby, we aim at studying the procedures of biographical writing of a variety of names registered in the work of Sousa Bastos and, therefore, salvaged from oblivion. By reading those biographical texts, one can also observe the cultural exchange between Brazil and Portugal in the nineteenth and twentieth centuries, promoted by a large number of artists who crossed the Atlantic in both directions of the route.

Keywords: archive; biography; memory; Portuguese drama; Sousa Bastos.

 


Palavras-chave


arquivo; biografia; memória; teatro português; Sousa Bastos.

Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, Mikhail. Problemas da poética de Dostoiévski. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2002.

BENJAMIN, Walter. Paris, capital do século XIX. In: COSTA LIMA, Luís (org.). Teoria da literatura e suas fontes. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1983.

BENJAMIN, Walter. Obras escolhidas III: Charles Baudelaire um lírico no auge do capitalismo. 3a. ed. São Paulo: Brasiliense, 1994.

BOURDIEU, Pierre. A ilusão biográfica. In: FERREIRA, Marieta de Moraes; AMADO, Janaína (Org.). Usos e abusos da história oral. Rio de Janeiro: Editora da Fundação Getúlio Vargas, 1996. p. 181-191.

BRUCK, Mozahir Salomão. Biografias e literatura: entre a ilusão biográfica e a crença na reposição do real. Belo Horizonte: Veredas & Cenários, 2009.

LIMA, Evelyn Furquim Werneck. Arquitetura do espetáculo: teatros e cinemas na formação da Praça Tiradentes e da Cinelândia. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2000.

MAFFESOLI, Michel. A terra fértil do cotidiano. In: Revista FAMECOS. Porto Alegre, nº 36, agosto de 2008. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/article/iew/4409/3308

MASSAGLI, Sérgio Roberto. Homem na multidão e o flâneur no conto O homem da multidão de Edgar Allan Poe. In: Terra Roxa e outras Terras. Revista de Estudos Literários da Uel. Volume 12, jun. 2008. Disponível em:http://www.uel.br/pos/letras/terraroxa

OLIVEIRA, Cláudia Sales. As digressões ao Brasil nas memórias de atores portugueses (sécs. XIX-XX). In: Werneck, Maria Helena; Reis, Angela de Castro (org.). Rotas de teatro entre Brasil e Portugal. Rio de Janeiro: 7Letras, 2012. p. 75-94.

PEREIRA, Verônica Sales. Os rastros do trapeiro: memória, vulnerabilidade social e a cidade na experiência de moradores de rua no bairro do Brás em São Paulo. Revista de pesquisa em arquitetura e urbanismo. Volume 6, fev. 2007. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/risco/article/view/44713

SCHMIDT, Benito Bisso. Luz e papel, realidade e imaginação: as biografias na história, no jornalismo, na literatura e no cinema. In: SCHMIDT, Benito Bisso (org.). O biográfico: perspectivas interdisciplinares. Santa Cruz do Sul: Edunisc, 2000. p. 49-70.

SOUSA BASTOS, Antonio. Recordações de teatro. Lisboa: Editorial Século, 1947.

SOUZA, Eneida Maria de. Biografar é metaforizar o real. In: Janelas indiscretas: ensaios de crítica biográfica. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2011. p. 53-62.

VENEZIANO, Neyde. O teatro de revista no Brasil: dramaturgia e convenções. Campinas, SP: Pontes: Editora da Universidade Estadual de Campinas, 1991.

VILAS BOAS, Sérgio. Biografias & Biógrafos: jornalismo sobre personagens. São Paulo: Summus, 2002.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1983-4276.2016.2.23370

ISSN-L: 1982-8527

e-ISSN: 1983-4276

 

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons

Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

 Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

  

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS