Da pesquisa à sala de aula - Aplicação prática da heterogeneidade dialetal no ensino de Língua Portuguesa a partir da proposta de Miriam Lemle em Heterogeneidade dialetal: um apelo à pesquisa

Trícia Tamara Boeira do Amaral

Resumo


Este artigo tem como finalidade resgatar, no texto da autora Miriam Lemle, intitulado Heterogeneidade dialetal: um apelo à pesquisa, as questões de variação linguística, ressignificando-as, a partir de uma atividade prática e com base nos processos atuais de variação, em muito influenciados pela globalização e pelo advento da Internet. A ideia é mostrar como o método da linguística contrastiva, utilizado no ensino-aprendizagem de L2, pode ser útil no ensino de língua materna, conforme proposta de Lemle. O artigo mostra, pois, o desenvolvimento, em aula, de uma atividade aplicada em uma turma de Educação para Jovens e Adultos, em que se utiliza o método já mencionado, buscando a reflexão, por parte dos alunos, acerca da necessidade de se considerar a adequação linguística em vez das noções de “certo” e “errado” no que diz respeito ao emprego da língua. Por fim, apresenta uma reflexão sobre tal atividade, sem o intuito de apontar resultados, mas sim, compartilhar uma experiência educacional que pode auxiliar, principalmente, o professor, na tarefa de ensinar através de uma perspectiva com bases na Linguística Aplicada. Palavras-Chave: variação linguística, linguística contrastiva, prática e ensino-aprendizagem.

Palavras-chave


variação linguística; linguística contrastiva; ensino-aprendizagem

Texto completo:

PDF


e-ISSN: 1984-4301

Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional , que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.