Introspecção e criação literária: o lado subterrâneo das personagens cardosianas

Márcia Melo Araújo

Resumo


Este artigo é sobre Inácio, O enfeitiçado e Baltazar, novelas, de Lúcio Cardoso reunidas em um único livro. Essas novelas representam uma espécie de rito de passagem na vida do autor, ao se levar em conta que em O enfeitiçado ele adota, pela primeira vez, a forma de memórias, característica estruturalmente fundamentada em Crônica da casa assassinada, obra que o tornou notório no cenário literário. Nosso objetivo é mostrar de que maneira o autor constrói as narrativas, pautando pela introspecção e pela sondagem interior das personagens-narradoras. Sob esse viés, o autor usa a memória como ponto de apoio e aponta para um mundo comum a todos que desejam decifrar o mistério do outro e do universo.

Palavras-chave


introspecção; Lúcio Cardoso; novelas; literatura brasileira.

Texto completo:

PDF


e-ISSN: 1984-4301

Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional , que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.