Dinossauro: Apelido? Brinquedo? Animal? Uma análise argumentativa

Angela Inês Klein

Resumo


Este artigo explicita a argumentação interna da palavra dinossauro, a partir de quatro análises feitas com base na Teoria dos Blocos Semânticos, desenvolvida por Oswald Ducrot e Marion Carel. O corpus de investigação são trechos de redações produzidas por alunos do Ensino Médio de Porto Alegre, aos quais foi requerido um texto partindo do seguinte enunciado: “Quando chegou em casa, o dinossauro ainda estava lá”. Observando-se as produções, percebe-se que a palavra dinossauro assume diferentes sentidos: animal, brinquedo e apelido. Isso corrobora a teoria de Ducrot de que a linguagem não representa o mundo, mas é o locutor que coloca no discurso aquilo que ele pensa do mundo.

Palavras-chave


Teoria de Argumentação na Língua; Teoria dos Blocos Semânticos; Argumentação Interna; sentido.

Texto completo:

PDF


e-ISSN: 1984-4301 

 

Avaliação do Qualis CAPES - 2013/2016

ÁREA CAPES - Linguística / Literatura

CLASSIFICAÇÃO DE PERIÓDICO - B1



Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

 

 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS