Locuções graduadoras coloquiais

Luisandro Mendes de Souza

Resumo


O artigo discute os aspectos semânticos das locuções graduadoras encabeçadas por pra (pra caramba, pra chuchu e similares) e por a (à beça, às pampas, a rodo e similares) e mostra que elas têm as mesmas interpretações de “muito”, satisfazendo os critérios propostos por Guimarães (2007) para a identificação de um intensificador. Mostramos também que a discussão gramatical tradicional centrada na palavra impediu que se percebesse que o papel dos graduadores transcende a modificação adjetival/adverbial. Por fim, em relação ao significado das expressões, assumimos que a preposição denota uma relação entre um predicado e um lugar na escala relevante, sendo o nome complemento da preposição esse lugar na escala.


Palavras-chave


Semântica. Modificação. Locuções Graduadoras.

Texto completo:

PDF

Referências


BECHARA, Evanildo. Moderna gramática portuguesa. 37. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.

BECK, Sigrid. Comparison constructions. In: VON HEUSINGER, Klaus; MAIENBORN, Claudia; PORTNER, Paul (ed.). Semantics: an international handbook of natural language meaning. Berlin: De Gruyter Mouton, 2011. v. 2, p. 1341-1389.

CASTILHO, Ataliba Teixeira de; ILARI, Rodolfo. Advérbios predicadores. In: ILARI, Rodolfo; NEVES, Maria Helena de Moura (org.). Gramática do português culto falado no Brasil. Campinas: UNICAMP, 2008. v. 2, p. 413-456.

CRESSWELL, M. J. The semantics of degree. In: PARTEE, Barbara H. (ed.). Montague grammar. New York: Academic Press, 1976. p. 261-292.

https://doi.org/10.1016/B978-0-12-545850-4.50015-7

CRUSE, D. A. Lexical semantics. Cambridge: Cambridge University Press, 1986.

CUNHA, Celso; CINTRA, Lindley. Nova gramática do português contemporâneo. 5. ed. Rio de Janeiro: Lexikon, 2010.

DINIZ, Vitor Rodrigo. Construções comparativas no português brasileiro: uma análise sintática. 2018. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2018.

DOETJES, Jenny. Adjectives and degree modification. In: MCNALLY, Louise; KENNEDY, Christopher (ed.). Adjectives and adverbs: syntax, semantics, and discourse. New York: Oxford University Press, 2008. p. 123-155.

FULGÊNCIO, Lúcia. Expressões fixas e idiomatismos do português brasileiro. 2008. Tese (Doutorado em Linguística e Língua Portuguesa) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2008.

GOMES, Ana Paula Quadros. Restrições aspectuais à distribuição do advérbio baixo muito. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, v. 60, n. 1, p. 198-221, jan./abr. 2018.

https://doi.org/10.20396/cel.v60i1.8649885

GRICE, H. Paul. Logic and conversation. In: COLE, Peter; MORGAN, Jerry L. (ed.). Syntax and semantics. New York: Academic Press, 1975. v. 3, p. 41-58.

GUIMARÃES, Márcio Renato. Dos intensificadores como quantificadores: os âmbitos de expressão na quantificação no Português do Brasil. 2007. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2007.

HEIM, Irene; KRATZER, Angelika. Semantics in generative grammar. Oxford: Blackwell, 1998.

ILARI, Rodolfo et al. A preposição. In: ILARI, Rodolfo; NEVES, Maria Helena de Moura (org.). Gramática do português culto falado no Brasil. Campinas: UNICAMP, 2008. v. 2, p. 623-808.

KAMP, Hans. Two theories of adjectives. In: KEENAN, Edward L. (ed.). Formal semantics of natural language. Cambridge: CUP, 1975. p. 123-155.

https://doi.org/10.1017/CBO9780511897696.011

KENNEDY, Christopher D. Projecting the adjective: the syntax and semantics of gradability and comparison. 1997. Dissertation (Master in Linguistic) – University of California, Santa Cruz, 1997.

KENNEDY, Christopher; MCNALLY, Louise. Scale structure, degree modification, and the semantics of gradable predicates. Language, [s. l.], v. 81, n. 2, p. 345-381, June 2005.

https://doi.org/10.1353/lan.2005.0071

KLEIN, Ewan. A semantics for positive and comparative adjectives. Linguistics and Philosophy, [s. l.], v. 4, n. 1, p. 1-45, Mar. 1980.

https://doi.org/10.1007/BF00351812

KLEIN, Ewan. Comparatives. In: VON STECHOW, Amim; WUNDERLICH, Dieter (ed.). Semantics: an international handbook of contemporary research. Berlin: Walter de Gruyter, 1991. p. 673-691.

MARQUES, Rui. Para uma semântica das construções comparativas em português. 2004. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade de Lisboa, Lisboa, 2004.

MORZYCKI, Marcin. Modification. Cambridge: Cambridge University Press, 2016.

NAKANISHI, Kimiko. Measurement in the nominal and verbal domains. Linguistics and Philosophy, Dordrecht, v. 30, n. 2, p. 235-276, Apr. 2007.

https://doi.org/10.1007/s10988-007-9016-8

NEELEMAN, Ad; VON DE KOOT, Hans; DOETJES, Jenny. Degree expressions. The Linguistic Review, Dordrecht, v. 21, n. 1, p. 1-66, Mar.

https://doi.org/10.1515/tlir.2004.001

OLIVEIRA, Roberta Pires de. Semântica formal: uma breve introdução. Campinas: Mercado de Letras, 2001.

OLIVERA, Roberta Pires; SOUZA, Luisandro Mendes de. Um rascunho para a semântica de muito: explorando a semânticade delineação. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, v. 60, n. 1, p. 222-241, jan./abr. 2018.

https://doi.org/10.20396/cel.v60i1.8649812

PARTEE, Barbara H. Lexical semantics and compositionality. In: GLEITMAN, Lila R.; LIBERMAN, Mark (ed.). An invitation to cognitive science. Cambridge: MIT Press, 1995. v. 1, p. 311-360.

SAITO, Fabiano Santos. Algumas expressões idiomáticas hiperbólicas do Português Brasileiro e suas relações com os frames de Avaliação e Massa Quantificada. Gatilho, Juiz de Fora, v. 8, n. 3, maio 2013.

Disponível em: http://www.ufjf.br/revistagatilho/edicoes-anteriores/ano-viii-numero-16-maio-de-2013/. Acesso em: 18 jun. 2019.

SAPIR, Edward. O grau: um estudo em semântica. In: SAPIR, Edward. Linguística como ciência. Seleção, tradução e notas de J. M. Câmara Jr. Rio de Janeiro: Livraria Acadêmica: 1961. p. 161-203.

SILVA, José Romerito. O grau em perspectiva: uma abordagem centrada no uso. São Paulo: Cortez, 2015.

SOUZA, Luisandro Mendes. Comparativas quantificacionais no português brasileiro: sintaxe e semântica. 2010. Tese (Doutorado em Linguística) – Programa de Pós-Graduação em Linguística, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2010.

SOUZA, Luisandro Mendes. Semântica formal e mudança de significado: o caso dos intensificadores. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DA ABRALIN, 10., 2017, Niterói. Anais [...]. Niterói: UFF, 2017. p. 1038-1050.

SOUZA, Luisandro Mendes. Sobre a origem de intensificadores encabeçados por preposições. In: ILARI, Rodolfo; BASSO, R. História do português brasileiro: semântica. São Paulo: Contexto. No prelo.

SOUZA, Luisandro Mendes; OLIVEIRA, Roberta Pires. Aspectos da semântica da comparação metalinguística. In: ENCONTRO DO CELSUL, 8., 2008, Porto Alegre. Anais [...]. Porto Alegre: UFRGS, 2008.

VON STECHOW, Armin. Comparing theories of comparison. Journal of Semantics, [s. l.], v. 3, n. 1-2, p. 1-77, 1984.

https://doi.org/10.1093/jos/3.1-2.1




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-4301.2019.2.32138

e-ISSN: 1984-4301 

 

Avaliação do Qualis CAPES - 2013/2016

ÁREA CAPES - Linguística / Literatura

CLASSIFICAÇÃO DE PERIÓDICO - B1



Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

 

 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS