Mãe, materno mar, de Boaventura Cardoso: uma viagem pela memória de Angola

Luara Pinto Minuzzi

Resumo


Este trabalho tem por objetivo analisar o romance do escritor angolano Boaventura Cardoso, Mãe, materno mar, a partir das Teorias do Imaginário. A viagem de trem pelo território de Angola será tomada como uma simbólica viagem pela história e pelas tradições do país esquecidas e abafadas pelo colonialismo. Assim, essa jornada pelo espaço é também uma jornada no tempo. Imagens de morte e de nascimento serão estudadas a fim de compreender como é necessário matar uma visão quase que completamente ocidentalizada para, depois, renascer uma mais conforme à cultura angolana.


Palavras-chave


Teorias do Imaginário; Literatura Angolana; Boaventura Cardoso.

Texto completo:

PDF

Referências


APPIAH, Kwane Anthony. Na casa de meu pai: a África na filosofia e na cultura. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.

ALTUNA, Raul Ruiz de Asúa. Cultura tradicional banto. Luanda: Secretariado Arquidiocesano de Pastoral, 1985.

CABRAL, Amílcar. Nacionalismo e cultura. Santiago de Compostela: Edicións Laiovento, 1999.

CARDOSO, Boaventura. Mãe, materno mar. Porto: Campos das Letras, 2001.

CHAVES; MACÊDO; MATA. Boaventura Cardoso: a escrita em processo. São Paulo: União dos Escritores Angolanos, 2005.

CHEVALIER, Jean. Dicionário de símbolos. Rio de Janeiro: José Olympio, 1991.

DURAND, Gilbert. As estruturas antropológicas do imaginário. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

ELIADE, Mircea. Tratado de história das religiões. São Paulo: Martins Fontes, 2010a.

ELIADE, Mircea. História das crenças e das ideias religiosas: da Idade da Pedra aos mistérios de Elêusis. Rio de Janeiro: Zahar, 2010b.

ELIADE, Mircea. Mito do eterno retorno. São Paulo: Mercuryo, 1992.

FORD, Clyde. O herói com rosto africano: mitos da África. São Paulo: Summus, 1999.

HAMILTON, Russel. Literatura africana, Literatura necessária: Angola. Lisboa: Edições 70, 1975.

JUNG, Carl Gustav. Estudos alquímicos. Petrópolis: Vozes, 2013a.

JUNG, Carl Gustav. Aion: estudo sobre o simbolismo do si-mesmo. Petrópolis: Vozes, 2013b.

JUNG, Carl Gustav. Psicologia e alquimia. Petrópolis: Vozes, 2012.

JUNG, Carl Gustav. Os arquétipos e o inconsciente coletivo. Petrópolis: Vozes, 2014.

KI-ZERBO, Joseph. Para quando a África? Rio de Janeiro: Pallas, 2009.

M’BOKOLO, Elikia. África negra: história e civilizações. São Paulo: Casa das Áfricas, 2011.

PADILHA, Laura Cavalcante. Entre voz e letra: o lugar da ancestralidade na ficção angolana do século XX. Rio de Janeiro: Pallas, 2007.

SOW, Alpha et al. Introdução à cultura africana. Lisboa: UNESCO, 1977.

WHEELER, Douglas; PÉLISSIER, René. História de Angola. Lisboa: Tinta da China, 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-4301.2018.s.30478

e-ISSN: 1984-4301 

 

Avaliação do Qualis CAPES - 2013/2016

ÁREA CAPES - Linguística / Literatura

CLASSIFICAÇÃO DE PERIÓDICO - B1



Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

 

 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS