Atenção conjunta virtual e a construção da ação colaborativa

José Moacir Soares da Costa Filho, Marianne Carvalho Bezerra Cavalcante

Resumo


O objetivo deste artigo é discutir a noção de atenção conjunta virtual e a construção da ação colaborativa nesse processo. Para tanto, analisamos dados de vinte crianças, de 22 a 65 meses de idade, jogando com o aplicativo Mimi©. Esse jogo foi desenvolvido para tablets e é composto por dez fases em que a criança é convidada a cumprir tarefas para cuidar de um gato, por meio de instruções fornecidas pelo narrador do jogo, presente na realidade virtual. A discussão proposta neste artigo tem como base a teoria da atenção conjunta, discutida principalmente por Bruner (1975) e Tomasello (2003), e a noção de ação colaborativa trazida por Tomasello e Carpenter (2007). Já o conceito de atenção conjunta virtual (COSTA FILHO, 2016) se constitui quando a criança interage com o narrador presente na realidade virtual. Esse processo modificado de atenção conjunta, no entanto, também requer a ação colaborativa que, como mostram os dados, envolve tanto interlocutores da realidade atual quanto da realidade virtual. Os dados mostram ainda que as crianças mais novas têm mais dificuldade para estabelecer a atenção conjunta virtual e que, por isso, buscam com mais frequência o interlocutor atual para a ação colaborativa.


Palavras-chave


Atenção conjunta virtual; Ação colaborativa; Realidade virtual.

Texto completo:

PDF

Referências


BRUNER, Jerome. Childs Talk: Learning to use language. New York: Norton, 1983.

______. From communication to language: a psychological perspective. Cognition, v. 3, n. 3, p. 255-287, 1975.

COSTA FILHO, José Moacir Soares da. Atenção conjunta: o jogo da referência na realidade virtual. 2016. 215 f. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2016.

EILAN, Naomi. Joint attention, communication and mind. In: EILAN, Naomi et al. i: communication and other minds. Oxford: OUP, 2005. p. 1-33.

GÓMEZ, Juan-Carlos. Joint attention and the notion of subject: insights from apes, normal children, and children with autism. In: EILAN, Naomi et al. Joint Attention: communication and other minds. Oxford: OUP, 2005, p. 65-84.

LÉVY, Pierre. O que é o virtual? Tradução de Paulo Neves. 2. ed. São Paulo: Editora 34, [1956] 2011.

MIGUENS, Sofia. Conceito de crença, triangulações e atenção conjunta. In: MIGUENS, Sofia; MAURO, Carlos. E. E. (Ed.). Perspectives on Rationality. Porto: Universidade do Porto, Faculdade de Letras, 2006. p. 99-117.

MELO, Glória Maria Leitão de. Cenas de atenção conjunta entre professoras e crianças em processo de aquisição da linguagem. 2015. 227 f. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2015.

PEACOCKE, Christopher. Joint attention: its nature, reflexivity and relation to common knowledge. In: EILAN, Naomi et al. Joint Attention: communication and other minds. Oxford: Oxford University Press, 2005. p. 298-324.

TOMASELLO, Michael. Origens culturais da aquisição do conhecimento humano. Tradução de Cláudia Berliner. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

TOMASELLO, Michael; CARPENTER, Melinda. Shared intentionality. Developmental science, v. 10, n. 1, p. 121-125, 2007.

WOOD, David; BRUNER, Jerome; ROSS, Gail. The role of tutoring in problem solving. Journal of Child Psychology and Psychiatry, v. 17, n. 2. p. 89-100, 1976.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-4301.2017.2.26396

e-ISSN: 1984-4301 

 

Avaliação do Qualis CAPES - 2013/2016

ÁREA CAPES - Linguística / Literatura

CLASSIFICAÇÃO DE PERIÓDICO - B1



Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

 

 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS