Alteamento e conservação de vogais médias postônicas não finais em dois estilos de fala

Alessandra De Paula

Resumo


A pesquisa sociolinguística variacionista realizada por De Paula (2015) no Estado do Rio de Janeiro investigou o processo de mudança que ocorre no vocalismo postônico não final do português. Os resultados demonstram que o processo de alteamento atinge ambas as vogais médias postônicas não finais /e/ e /o/, que estão em plena variação com as vogais altas /i/ e /u/ neste contexto (abób[o]ra ~ abób[u]ra; pêss[e]gu ~ pêss[i]gu). Isto indica que a mudança para o sistema simétrico de três vogais /i a u/ já está prevista no nível subjacente da fala fluminense. Tais resultados diferem do sistema assimétrico /i E a U/, defendido por Câmara Jr (1970). Além disso, a complementação dos resultados com um questionário e um teste de leitura foi fundamental para encontrar e analisar muitas palavras proparoxítonas que não apareceram nos corpora sociolinguísticos. Tal etapa da pesquisa demonstrou que o alteamento, que é praticamente categórico na fala espontânea de pessoas que estudaram até o Ensino Fundamental, é inibido gradualmente com o aumento da escolaridade e do monitoramento do discurso, o que leva os falantes a recuperarem as variantes conservadoras [e] e, até mesmo, [o].


Palavras-chave


Sociolinguística; Fonologia; Alteamento; Vocalismo; Postônico.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Fabiana da Silva Campos. Micro Atlas Fonético do Estado do Rio de Janeiro: uma contribuição para o conhecimento dos falares fluminenses. 2008. 163 fl. 2 v. Tese (Doutorado em Língua Portuguesa) –

Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2008.

ARAÚJO, Gabriel Antunes de; VIARO, Mário; GUIMARÃES FILHO, Zwinglio; OLIVEIRA, Leonardo. As proparoxítonas e o sistema acentual do português. In: ARAUJO, Gabriel Antunes de (Org.). O acento em português: abordagens fonológicas. São Paulo: Parábola, 2007. p. 37-60.

BISOL, Leda. A simetria no sistema vocálico do português brasileiro. Linguística, v. 5, p. 41-52, 2010.

______. A neutralização das átonas. Revista D.E.L.T.A, v. 19, n 2, p. 267-276, 2003.

CAMARA Jr., Joaquim Mattoso. Estrutura da língua portuguesa. Petrópolis: Vozes, 1970.

DE PAULA, Alessandra. Variação e mudança no vocalismo postônico medial em português. 2015. 280 fl. Tese (Doutorado em Língua Portuguesa) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2015.

______. Vogais médias postônicas não finais no Rio de Janeiro: produtividade lexical e processo de alteamento. In: MAGALHÃES, José Sueli de (Org.). Linguística in Focus 10 – Fonologia. Uberlândia: EDUFU, 2014. p. 205-228.

______. As vogais médias postônicas não finais em corpora de perfis sócio e geolinguísticos. Estudos Linguísticos, São Paulo, v. 38, n 1, p. 35-46, 2009.

DE PAULA, Alessandra; BRANDÃO, Silvia Figueiredo. Vogais em contexto postônico não final em variedades do português: questões teóricas. Revista da ABRALIN, São Carlos, v. 14, n. 1, p. 45-82, jun. 2015.

______. Sobre vogais médias em posição postônica não final na fala popular do Rio de Janeiro. Letras de Hoje [online], v. 47, n 3, p. 275-282, 2012b.

______. Assimetria do quadro vocálico em contexto postônico não final: aspectos diacrônicos e realidades sincrônicas. Signum – Estudos de Linguagem, v. 15, n 1, p. 129-149, jun. 2012a.

LABOV, William. Sociolinguistic patterns. Philadelphia: University of Pennsylvania, 1972.

LIMA, L. G. Atlas Fonético do entorno da Baía de Guanabara – AFeBG. 2006. 2 v. 415 fl. Dissertação (Mestrado em Língua Portuguesa) –

Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2006.

MAGALHÃES, José Sueli; SILVA, André Pedro da. Ainda as proparoxítonas: apagamento e preservação da vogal postônica não final. In: DA HORA, Dermeval; NEGRÃO, Esmeralda Vailati (Org.). Estudos da linguagem: casamento entre temas e perspectivas. João Pessoa: Ideia/Ed. Universitária, 2011. p. 197-212.

RAMOS, A. P. Descrição das vogais postônicas não-finais na variedade do noroeste paulista. 2009. 175 fl. Dissertação (Mestrado em Letras) – Universidade Estadual Paulista, 2009.

RIBEIRO, D. F. S. Alçamento de vogais postônicas não finais no português de Belo Horizonte – Minas Gerais: uma abordagem difusionista. 2007. 274 fl. Dissertação (Mestrado em Língua Portuguesa e Linguística) –

Pontifícia Universidade de Minas Gerais, 2007.

VIEIRA, M. J. B. Neutralização das vogais médias postônicas. 1994. 110 fl. Dissertação (Mestrado em Letras: Língua Portuguesa) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 1994.

______. As vogais médias postônicas: uma análise variacionista. In: BISOL, Leda; BRESCANCINI, Cláudia (Org.). Fonologia e variação: recortes do português brasileiro. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2002. p. 127-159.

______. As vogais médias átonas nas três capitais do sul do país. In: BISOL, Leda; COLLISCHONN, Gisela (Org.). Português do sul do Brasil: variação fonológica. v. 1. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2009. p. 50-72.

WEINREICH, Uriel; LABOV, William; HERZOG, Marvin. (1968). Fundamentos empíricos para uma teoria da mudança linguística. Tradução de Marcos Bagno. São Paulo: Parábola, 2006.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-4301.2017.1.25071

e-ISSN: 1984-4301 

 

Avaliação do Qualis CAPES - 2013/2016

ÁREA CAPES - Linguística / Literatura

CLASSIFICAÇÃO DE PERIÓDICO - B1



Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

 

 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS