A realização variável de vibrante simples em lugar de múltipla em onset silábico no português falado em Antônio Prado-RS

Raquel da Costa Corrêa

Resumo


Estudos realizados em comunidades de fala de português brasileiro situadas em uma das regiões de colonização italiana do Rio Grande do Sul (RCI-RS) (ROSSI, 2000; SPESSATTO, 2003; BOVO, 2004; BATTISTI e MARTINS, 2011; AZEREDO, 2012) revelaram que o emprego variável de vibrante simples em lugar de múltipla (churrasco~churasco, cachorro~cachoro), uma das marcas do contato do português com variedades italianas trazidas pelos imigrantes, é uma prática predominantemente masculina, rural e realizada por falantes de faixas etárias mais elevadas. Utilizando 32 entrevistas sociolinguísticas de Antônio Prado pertencentes ao BDSer (Banco de Dados de Fala da Serra Gaúcha), da Universidade de Caxias do Sul (UCS), pretendemos (a) verificar o índice de aplicação da regra variável de uso de vibrante simples em lugar de múltipla nessa comunidade, tanto em posição intervocálica (arroz) quanto em início de palavra (rua), baseando-nos na Teoria da Variação (LABOV, 1972), e (b) identificar os condicionadores sociais da realização variável. Com o intuito de elucidar os resultados da Análise de Regra Variável (ARV), foram realizados registros etnográficos (SPRADLEY, 1979), concebendo a variação como prática social (ECKERT, 2000). O estudo contribui para identificar se há um padrão nos resultados obtidos para as variáveis extralinguísticas, considerando pesquisas realizadas na RCI-RS, e em que medida Antônio Prado se encaixa nesse padrão.


Palavras-chave


Alternância entre vibrante simples e múltipla; Português brasileiro; Teoria da variação; Prática social.

Texto completo:

PDF

Referências


AZEREDO, Priscila. A troca da vibrante por tepe em onset silábico: uma análise de variação e mudança linguística na comunidade bilíngue de Flores da Cunha (RS). 2012. 89 fl. Dissertação (Mestrado em Letras) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012.

BATTISTI, Elisa; FILHO, Adalberto; LUCAS, João; BOVO, Nínive. Palatalização das oclusivas alveolares e a rede social dos informantes. Revista Virtual de Estudos da Linguagem: ReVEL, Porto Alegre, v. 5, n. 9, p. 01-29, ago. 2007.

BATTISTI, Elisa; MARTINS, Luísa. A realização variável de vibrante simples em lugar de múltipla no português falado em Flores da Cunha (RS): Mudanças Sociais e Linguísticas. Cadernos do IL. Porto Alegre, n. 42, p. 146-158, 2011.

______. Variação, mudança fônica e identidade: a implementação da palatalização de /t/ e /d/ no português falado na antiga região de colonização italiana do Rio Grande do Sul. Revista Diadorim, v. 8, p. 103 123, 2008.

BOVO, Nínive. A variação da vibrante e o seu valor social. 2004. Dissertação (Mestrado em Letras e Cultura Regional) – Universidade de Caxias do Sul, UCS, 2004.

CEDERGREN, Henrietta; SANKOFF, David. Variable rules: Performance as a statistical reflection of competence. Language, v. 50, n. 2, p. 333-355, 1974.

CORRÊA, Raquel da Costa. A realização variável de vibrante simples em lugar de múltipla em onset silábico no português falado em Antônio Prado-RS. 2016. 150 fl. Dissertação (Mestrado em Letras) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2016.

ECKERT, Penelope. Linguistic variation as social practice. Malden/Oxford: Blackwell, 2000.

LABOV, William. Sociolinguistic Patterns. Philadelphia: University of Philadelphia Press, 1972.

______. Padrões Sociolinguísticos. São Paulo: Parábola, 2008.

______. Principles of linguistic changes: cognitive and cultural factors. Malden/Oxford/West Sussex: Wiley-Blackwell, 2010.

MATTÉ, Gabriel. A palatalização variável de / t d / em Caxias do Sul (RS). Livro de Resumos do XXI Salão de Iniciação Científica, XVIII Feira de Iniciação Científica da UFRGS, IV Salão UFRGS Jovem. Porto Alegre: UFRGS, 2009. [CD ROM].

MILROY, Lesley. Language and social networks. Oxford: Blackwell, 1980.

MONTGOMERY, Ann. Difficult Moments in the Ethnographic Interview: Vulnerability, Silence and Rapport. In: SKINNER, J. The Interview: An Ethnographic Approach. London: Bloomsburry, 2014.

ROSSI, Albertina. A variação da vibrante múltipla no interior da palavra lexical na fala de descendentes italianos das cidades sulinas Chapecó/SC e Flores da Cunha/RS. Working papers em linguística, n. 4, p. 54-69, 2000.

SANKOFF, D.; TAGLIAMONTE, S.; SMITH, E. Goldvarb X: a variable rule application for Macintosh and Windows 2005. Disponível em: . Acesso em: 6 jul. 2014.

SPRADLEY, James. The Ethnographic Interview. New York: Holt, Rinehart & Winston, 1979.

SPESSATTO, Mary. Linguagem e colonização. Chapecó: Argos, 2003.

SVASEK, Maruska; DOMECKA, Markieta. The Autobiographical Narrative Interview: A Potential Arenaof Emotional Remembering. In: SKINNER, J. The Interview: An Ethnographic Approach. London: Bloomsburry, 2014.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-4301.2017.1.25056

e-ISSN: 1984-4301 

 

Avaliação do Qualis CAPES - 2013/2016

ÁREA CAPES - Linguística / Literatura

CLASSIFICAÇÃO DE PERIÓDICO - B1



Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

 

 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS