Análise variacionista da ditongação crescente na fala popular de Salvador

Eleneide de Oliveira Silva, Juliana Ludwig Gayer

Resumo


Este artigo apresenta uma parte dos resultados encontrados dentro de uma pesquisa maior, que analisou todos os contextos possíveis de ditongação entre palavras, casos de ditongação crescente e decrescente. Para este trabalho, selecionamos os resultados referentes apenas à análise variacionista da ditongação crescente na fala popular de Salvador. Entre palavras, a ditongação crescente pode ocorrer entre a vogal final de uma palavra e a vogal inicial de outra palavra na sequência, quando a primeira vogal for foneticamente alta e átona. Nesse caso, a primeira vogal se torna glide com a aplicação do processo, como no exemplo tre[zja]nos (treze anos). O objetivo desta pesquisa é contribuir com uma descrição mais detalhada da ditongação crescente que ocorre no português brasileiro, considerando dados da fala popular de Salvador, retirados do banco PEPP (Programa de Estudos sobre o Português Popular Falado de Salvador), coordenado pela Professora Norma Lopes (UNEB). Selecionamos desse banco de dados oito entrevistas classificadas por sexo (masculino e feminino), escolaridade (fundamental e médio) e idade (25 a 35 e mais de 65), totalizando 1.121 dados para a análise estatística. Os dados referentes à ditongação crescente passaram pela análise estatística do Goldvarb X, levando em consideração algumas variáveis já analisadas em outras pesquisas. Dentre os fatores favorecedores à aplicação do processo, encontramse V2 central e tônica, contexto seguinte preenchido por consoante, combinação de vogais altas diferentes e domínio do grupo clítico.


Palavras-chave


Variação; Sândi externo; Ditongação crescente.

Texto completo:

PDF

Referências


BRAMBILA, T. Análise variacionista da ditongação como processo de sândi externo na fala de Lages/Santa Catarina. 2015. Dissertação (Mestrado) –

Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015.

BISOL, L. A degeminação e a elisão no VARSUL. In: BISOL, L.; BRESCANCINI, C. (Org.). Fonologia e variação: recortes do português brasileiro. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2002. p. 231-250.

BISOL, L. Sândi externo: O processo e a variação. In: KATO, M. (Org.). Gramática do português falado. V: Convergências. 2. ed. Campinas: Editora da UNICAMP, 1996. p. 53-97.

BRESCANCINI, C. A análise de regra variável e o programa VARBRUL 2S. In: BISOL, L.; BRESCANCINI, C. (Org.). Fonologia e variação: recortes do português brasileiro. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2002. p. 13-75.

CABRÉ, T.; PRIETO, P. Positional and metrical prominence effects on vowel sandhi in Catalan. In: FROTA, S.; VIGÁRIO, M.; FREITAS, M. J.

(Ed.). Prosodies – with special reference to Iberian languages. Berlim: Mouton de Gruyter, 2005. p. 123-157.

LUDWIG-GAYER, J. Os processos de sândi externo: análise variacionista da fala de São Borja. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2008.

TENANI, L. O bloqueio do sândi vocálico em PB e em PE: evidências da frase fonológica. In: Revista Organon: estudos de fonologia e morfologia, Porto Alegre, v. 18, n. 36, 2004.

VIANNA, P. Sândi vocálico externo: o processo e a variação na cidade de Florianópolis-SC. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-4301.2017.1.25009

e-ISSN: 1984-4301 

 

Avaliação do Qualis CAPES - 2013/2016

ÁREA CAPES - Linguística / Literatura

CLASSIFICAÇÃO DE PERIÓDICO - B1



Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

 

 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS