A contemporaneidade em Budapeste

Natalia Aparecida Bisio de Araujo

Resumo


O presente artigo tem como objetivo a análise da obra Budapeste, de Chico Buarque, a fim de se refletir como o texto é representativo do atual contexto literário brasileiro. Segundo estudiosos, a influência dos meios de comunicação promoveu a espetacularização e a superexposição do real, de modo que a literatura encarou a demanda do mercado, o gosto dos leitores e a ânsia de captar o contemporâneo. Porém, é possível destacar uma procura em se exprimir a realidade de nosso mundo atual com uma expressão diferente daquela esvaziada pela indústria do realismo midiático. Para isso, a linguagem literária tornou-se o grande diferencial, de modo que o efeito estético ganhou força e buscou envolver atrair ao leitor afetivamente na realidade da narrativa. Observando-se esses traços, este trabalho analisará como Chico Buarque conectou Budapeste à realidade de seu tempo, criou uma expressão artística e estética apreciável e, ao mesmo tempo, preocupou-se em chamar a atenção do público e inserir-se no mercado.


Palavras-chave


Budapeste; Literatura contemporânea; Realidade; Mercado.

Texto completo:

PDF

Referências


BUARQUE, Chico. Budapeste. São Paulo: Companhia da Letras, 2003.

CARNEIRO, Flávio. No país do presente – ficção brasileira no início do século XXI. Rio de janeiro: Rocco, 2005.

CASTELLO, José. Crítica: ‘O irmão alemão’ vai ao limite de uma busca alucinante. O Globo, Rio de Janeiro, 15 nov. 2014. Disponível em: Acesso em: 19 de agosto de 2016.

CHAGAS, Luis. Estilo retocado. [2003]. Disponível em: http://www.chicobuarque.com.br/critica/crit_budapeste_istoe.htm. Acessado em: 10 ago. 2016.

GENETTE, Gérard. Discurso na narrativa. Lisboa: Vega, s/d.

RESENDE, Beatriz. Contemporâneos- expressões da ficção brasileira no século XXI. Rio de Janeiro: Casa da palavra, 2008.

RESENDE, Beatriz. Movido pelas palavras. [2003]. Disponível em: http://www.chicobuarque.com.br/critica/crit_budapeste_brasil.htm. Acesso em: 10 ago. 2016.

RESENDE, Beatriz (2007). “Questões da ficção brasileira do século XXI”. Revista Grumo, n. 6.2, dezembro de 2007. Disponível em: http://www.beatrizresende.com.br/questoesda-ficcao-brasileira-no-seculo-xxi/. Acesso em: 10 ago. 2016.

SANTANA, Jeová. Bazar de alucinações. [2003]. Disponível em: http://www.chicobuarque.com.br/critica/crit_budapeste_cialetras.htm. Acesso em: 10 ago. 2016.

SARAMAGO, Jeová. Autor cruza abismo e chega ao outro lado. [2003]. Disponível em: http://www.chicobuarque.com.br/critica/crit_budapeste_folha2.htm. Acesso em: 10 ago. 2016.

SCHØLLHAMMER, Karl Erik. Ficção brasileira contemporânea. Civilização Brasileira: 2010.

VERÍSSIMO, Luis Fernando. Luis Fernando Veríssimo: “escritor fantasma”. [2003]. Disponível em: http://www.chicobuarque.com.br/critica/crit_budapeste_globo1.htm. Acesso em: 10 ago. 2016.

WISNIK, José Miguel. Novo romance de Chico Buarque. [2003]. Disponível em: http://www.chicobuarque.com.br/critica/crit_budapeste_wisnik.htm. Acesso em: 10 ago. 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-4301.2017.1.24976

e-ISSN: 1984-4301 

 

Avaliação do Qualis CAPES - 2013/2016

ÁREA CAPES - Linguística / Literatura

CLASSIFICAÇÃO DE PERIÓDICO - B1



Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

 

 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS