Um elo entre letramento digital e o ensino de inglês para a formação de leitores brasileiros

Nelza Mara Pallu

Resumo


Este artigo apresenta uma experiência realizada com o objetivo de enriquecer a formação de professores de inglês, de modo que eles interagissem de forma mais contundente na formação de leitores, propiciando condições significativas à aprendizagem. O trabalho foi proposto através de um projeto específico, denominado Projeto Literamento nas Aulas de Inglês (PLAI), inserido no Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência – PIBID Letras/Inglês e aplicado em turmas do Ensino Fundamental em uma escola da Rede Estadual de Ensino do Paraná. A metodologia adotada privilegiou a integração dos estudos do Letramento Crítico, do Letramento Digital, da Literatura e das Abordagens Discursivas para o ensino de Línguas Estrangeiras. Os resultados demonstraram que esta composição metodológica multifacetada proporcionou a construção de atividades inovadoras nas aulas de inglês e promoveu o interesse e a motivação da aprendizagem, favorecendo a inserção de todos os participantes do projeto no mundo dos letramentos. Os dados revelaram ainda que o uso de tecnologias e da literatura nas aulas de inglês favoreceu o processo de formação de leitores. Contudo, para o desafio do letramento dos sujeitos é necessário investir na formação inicial e continuada de professores nas universidades em todas as áreas do conhecimento. O programa PIBID pode ser o local propício para junção destes esforços.


Palavras-chave


Formação de Professores de Inglês; Leitura e Literatura; Letramento Crítico Digital.

Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. 4. ed. São Paulo: Martins Pontes, 2003.

BLOOM, Harold. How to read and why. New York: Touchstone, 2001.

BRASIL, Secretaria da educação básica. Linguagens, códigos e suas tecnologias. Brasília, 2006. 239 p. (Orientações curriculares para o ensino médio, 1).

BRITO, Glaucia da Silva. Educação e novas tecnologias: um re-pensar. 2. ed. Curitiba: Ibpex, 2008.

BURGESS, Antony. A literatura inglesa. Tradução de Duda Machado. 2. ed. São Paulo: Ática, 2006.

CANI, Josiane Brunetti. Letramento digital: competências e habilidades para navegação em rede. Universidade, EAD e Software Livre. 2015. Lab SEMIOTEC/FALE/UFMG. Disponível em: . Acesso

em: 14 fev. 2016.

CRYSTAL, David. English as a global language. New York: Cambrige University Press, 2013.

DIAS, Reinildes. A incorporação de estratégias ao ensino aprendizagem de leitura em inglês como língua estrangeira. In: PAIVA, V. L. O de. M. (Org.). Ensino de língua inglesa: reflexões e experiências. 3. ed. Campinas, SP: Pontes, 2005.

EL KADRI, Michele. Inglês como língua franca: atitudes de formadores de professores. In: GIMENEZ, Telma (Org.) et al. Inglês como língua franca: ensino, aprendizagem e formação de professores. Campinas, SP: Pontes, 2011. p. 163-192.

FREIRE, Paulo. A importância do ato de ler. Em três artigos que se completam. 37. ed. São Paulo: Cortez, 1992.

FREITAS, Maria T. Letramento digital e formação de professores. Educação em Revista. Belo Horizonte, v. 26, n. 3, p. 335-352, dez. 2010.

FOCAULT, Michel. A ordem do discurso. São Paulo: Edições Loyola, 1996.

JENKINS, Jennifer. English as a língua franca. University of Southampton, JACET 47th. Anual convention, Waseda University, 11-13 Sept. 2008.

JORDÃO, Clarissa Menezes de. As Lentes do Discurso. Letramento e criticidade no mundo digital, Campinas, v. 46, n. 1, p. 19-29, jan.-jun. 2007.

KLEIMAN, Ângela. O conceito de letramento e suas implicações para a alfabetização. Projeto Letramento Temático do Professor. Unicamp. 2016. Disponível em: . Acesso em: 11 jul. 2016.

LAZER, Gillian. Literature and language teaching. A guide for teachers and trainers. Cambridge University Press, Cambridge, UK, 2005.

MACHADO, Maristela Gonçalves Sousa. Do texto literário ao texto fílmico: uma reflexão sobre a formação de leitores autônomos. In: NICOLAIDES, C. et al. O desenvolvimento da autonomia no ambiente de aprendizagem de línguas estrangeiras. Fórum internacional de línguas estrangeiras. Pelotas: UFPEL: UCPEL, 2003.

MARTINEZ, Juliana Zeggio. Uma leitura sobre concepções de linguagem e educação profissional de professores de língua inglesa. 2007. 154f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-graduação em Letras, Universidade Federal do Paraná, 2007.

MEURER, José Luiz. Gêneros textuais na análise crítica de Fairglough. In: MEURER, J. L.; BONINI, A.; MOTTA-ROTH , D. (Eds.). Gêneros: teorias, métodos, debates. São Paulo: Parábola Editorial, 2005. p. 81-106.

PALLU, Nelza Mara. Literatura inglesa: uma abordagem integrada ao ensino de inglês. In: JORNADA DE ESTUDOS LINGUÍSTICOS E LITERÁRIOS, 15., 2012, Marechal Cândido Rondon.

______. Que inglês utilizamos e ensinamos? Reinterpretações de professores de inglês sobre o processo de ensino e aprendizagem do inglês contemporâneo. 2013. 242f. Tese (Doutorado em Letras) – Universidade Federal do Paraná, 2013.

PARANÁ, Secretaria de Estado da Educação Básica do Paraná. Diretrizes Curriculares da Educação Básica: língua estrangeira moderna. Curitiba, 2008.

PIMENTA, Sônia Maria de Oliveira. Os efeitos de distanciamento na leitura crítica de textos. In: NICOLAIDES, C. et al. O desenvolvimento da autonomia no ambiente de aprendizagem de línguas estrangeiras. Fórum internacional de línguas estrangeiras. Pelotas: UFPEL/UCPEL, 2003.

SANTAELLA, Lúcia. Da cultura das mídias à cibercultura: o advento do pós-humano. Revista FAMECOS, Porto Alegre, n. 22, p. 23-32, dez. 2003.

SILVA, Monica Ribeiro da; COLONTONIO, Eloise Médice. As Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio e as proposições sobre trabalho, ciência, tecnologia e cultura: reflexões necessárias. Revista Brasileira de Educação, v. 19, n. 58 jul.-set. 2014.

SOUZA, Lynn Mario Trindade Menezes de. O professor de inglês e os letramentos no século XXI: métodos ou ética? In: JORDÃO, Clarissa Menezes (Orgs.). Formação “desformatada”: práticas de professores de língua inglesa. Novas perspectivas em linguística aplicada. Campinas, SP: Pontes, 2011. Vol. 15.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-4301.2016.2.23497

e-ISSN: 1984-4301 

 

Avaliação do Qualis CAPES - 2013/2016

ÁREA CAPES - Letras/Linguística 

CLASSIFICAÇÃO DE PERIÓDICOS NO QUADRIÊNIO 2013/2016 - B1



Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

 

 

Copyright: © 2006-2017 EDIPUCRS