Reflexos semânticos na sintaxe de terceira pessoa

Fernanda de Oliveira Cerqueira

Resumo


Assumindo que os pronomes são elementos passíveis de decomposição estrutural, a partir de componentes gramaticais atômicos, os traços, compreende-se que sua distribuição sintática é dada de acordo com a hierarquia de traços apresentada por estes nominais (cf. HARLEY; RITTER, 2002; BEJÁR, 2003; CARVALHO, 2008). Assim, o presente artigo tem objetivo de identificar um caminho para a composição de traços do pronome pleno de terceira pessoa em posição acusativa, em português brasileiro, verificando a relevância dos traços [Definido], [Específico] e [Animado].


Palavras-chave


Pronome de terceira pessoa; Acusativo; Traços; Sintaxe; Semântica.

Texto completo:

PDF

Referências


ABNEY, Steven. The English Noun Phrase in its sentencial aspects. 1987. 362p. Tese (Doutorado em Linguística) –Massachusets Institute of Technology, Cambridge, 1987.

BECHARA, Evanildo. Moderna gramática portuguesa. 37. ed. rev. e ampl. Rio de Janeiro: Lucerna, 1999.

BÉJAR, Suzanne. Phi-syntax: a theory of agrément. 2003. 214p. Tese (Doutorado em Linguística) – University of Toronto, Ontário, 2003.

BENVENISTE, Emilie. A natureza dos pronomes. In: ______. Problemas de Linguística Geral. São Paulo: Nacional, 1976. p. 277-283.

BIANCHI, Valentina; FIGUEIREDO SILVA, Maria. Cristina. On some properties of agreement-object in italian and brazilian portuguese. In: MAZZOLA, M. Issues and theory in romance languages XXIII. Washington, DC: Georgetown University Press, 1994.

BISMARCK LOPES, Icaro Carvalho. Traço e concordância de gênero na constituição da gramática do português brasileiro. 2014. Dissertação (Mestrado em Língua e Cultura) – Instituto de Letras, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2014.

BLANCHE-BEVENISTE, Claire. Estudios linguísticos sobre la relación entre oralidade y escritura. Barcelona: Editoral Gesida S.A., 1998.

CARDINALETTI, Anna; STARKE, Michal. The typology of structural deficiency: a case of the three classes of pronouns. In: van RIEMSDIJK, H. (Ed.). Clitics in the language of Europe. Berlin: Mouton et Gruyter, 1999. p. 41-109.

CARVALHO, Danniel. Silva. A Estrutura interna dos pronomes pessoais em português brasileiro. 2008. 153p. Tese (Doutorado em Letras e Linguística) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Alagoas, Maceió, 2008.

CERQUEIRA, Fernanda Oliveira. A sintaxe do pronome acusativo de terceira pessoa no português brasileiro, 2015. Dissertação (Mestrado em Língua e Cultura), Instituto de Letras, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2015.

______. Arbitrariedade em terceira pessoa. Traços-phi: contribuições para a compreensão da gramática do português. Salvador: EDUFBA, no prelo.

CHESTERMAN, Andrew. On definiteness: A study with special reference to English and Finnish. Cambridge: Cambridge University Press, 1991. http://dx.doi.org/10.1017/CBO9780511519710

CHOMSKY, Noam. Aspects of the Theory of Syntax. Cambridge, Massachusetts: MIT Press, 1965.

______. Lectures on Government and Binding. Dordrecht: Foris, 1981.

______. Barriers: Linguistic Inquiry. 13. Cambridge: MIT Press, 1986.

______. Minimalist program. Cambridge: MIT Press, 1995.

______. Minimalist inquiries: The framework. In: MARTIN, Roger; MICHAELS, David;

URIAGEREKA, Juan. Step by Step: Essays on Minimalist Syntax in Honor of Howard Lasnik. Cambridge, MA: MIT Press, 2000. p. 89-155.

______. Derivation by phase. In: KENSTOWICZ, Michael (Ed.). Ken Hale: A life in Language. Cambridge, MA: MIT Press, 2001.

COUTINHO, Ismael de Lima. Pontos da gramática histórica. 3. ed. rev. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1976.

COWPER, Elizabeth; HALL, Daniel. Currie. The syntactic manifestation of nominal feature geometry. In: Proceedings of the 2002 Annual Conference of the Canadian Linguistic Association. Montréal: Cahiers Linguistiques de l’UQAM, 2001. p. 55-66.

CYRINO, Sônia Maria Lazzarini. O objeto nulo no português do Brasil: um estudo sintático diacrônico. 1994. 217p. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1994.

______. Para a história do português brasileiro: a presença do objeto nulo e a ausência de clíticos. Letras de Hoje, Porto Alegre, 2003, v. 38, n. 1, p. 31-47.

DUARTE, Maria. Eugênia. Lamoglia. Variação e Sintaxe: clítico acusativo, pronome lexical e categoria vazia no português do Brasil, 1986. Dissertação (Mestrado em Letras e Linguística) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 1986.

FORCHHEIMER, Paul. The category of person in language. Berlin: Walter de Gruyter, 1953.

GALVES, Charlotte Marie Chambelland. Ensaios sobre as gramáticas do português. Campinas: UNICAMP, 2001.

HARBOUR, Daniel; ADGER, David; BÉJAR, Suzane. Phi Theory: Phi Features across modules and interfaces. New York: Oxford University Press, 2008.

HARLEY, Heidi; RITTER, Elizabeth. Person and number in pronouns: a feature-geometric analysis. Language, v. 78, p. 482-526, 2002. http://dx.doi.org/10.1353/lan.2002.0158

HOFFHER, Patrícia. Cabredo. Arbitrary readings of 3pl pronominals. In: WEISBERGER, Matthias (Ed.). Procedings of the conference, Germany: Universitat Konstanz, 2003.

KATO, Mary Aizawa. The Distribuicion of pronouns and null elements in objetct position in Brazilian Portuguese. ASHBY, R. et al. (Org.). Linguistic perspectives on Romance languages: selected papers from the XXI Linguistic Symposium of Romance Languages. Philadelphia: John Benjamins, 1993.

LYONS, Christopher. Definiteness. Cambridge: Cambridge University Press, 1999.

MATTOS E SILVA, Rosa. Virgínia. Estruturas trecentistas: elementos para uma gramática do português arcaico. Lisboa: IN-CM, 1989.

MARIANO, Victor. Cavalcante. A estrutura dos DPs em posição de sujeito no português rural afrodescendente. Revista Inventário, n. 11, 2012.

PETERSEN, Carol. A tripartição pronominal e o estatuto das proformas cê, ocê e você.DELTA, v. 24, n. 2, p. 283-308, 2008.

POSTAL, Paul. On so-called ‘pronouns’ in English. In: F. Dinneen ed. 19th Monograph on Languages and Linguistics, Washington, D.C.: Georgetown University Press, 1966.

RAPOSO, Eduardo Paiva. Case theory and Ifl-to-Comp: the inflected infinitive in European Portuguese. Linguistic Inquiry, n. 18, p. 85-109, 1986.

RAPOSO, Eduardo Paiva. Teoria da Gramática: a faculdade da linguagem. Lisboa: Caminho, 1992.

RIBEIRO, Ilza. Maria. O sistema de definitude e de referencialidade de uma falante afrobrasileira idosa. Comunicação apresentada no congresso da ABECS – Associação Brasileira de Estudos Crioulos e Similares, 2010.

RIZZI, Luigi. Null objects in Italian and the theory of the pro. Linguistic Inquiry, Cambridge, v. 17, p. 501-557, 1986.

SARAIVA, Maria Elizabeth Fonseca. O comportamento gramatical do SN nu objeto. In: ______. Buscar menino no colégio: a questão do objeto incorporado em português. Campinas: Pontes, 1997. p. 25-59.

SCHULTE, Kim. Pragmatic relevance as cause for syntactic change: The emergence of prepositional complementizers in Romance. In: BLAKE, Barry; BURRIDGE, Kate. Historical Linguistics. J. Benjamins: Amsterdam, 2003. p. 378-394. http://dx.doi.org/10.1075/cilt.237.24sch

SILVA, Maria Cristina Vieira Figueiredo. O estatuto do objeto nulo no português do Brasil: teoria temática e elipse de DP. 2009. 205p. Tese (Doutorado em Letras e Lingüística) – Instituto de Letras, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-4301.2015.2.20384

e-ISSN: 1984-4301 

 

Avaliação do Qualis CAPES - 2013/2016

ÁREA CAPES - Linguística / Literatura

CLASSIFICAÇÃO DE PERIÓDICO - B1



Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

 

 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS