Construções de posse predicativa na língua Apurinã (Aruak)

Marília Fernanda Pereira de Freitas, Sidney da Silva Facundes

Resumo


A presente pesquisa aborda as principais questões relativas à codificação linguística da posse em construções verbais da língua Apurinã (Aruak), falada por várias comunidades indígenas espalhadas ao longo de diferentes tributários do rio Purus, sudeste do estado do Amazonas. Para tanto, parte-se das contribuições de alguns estudiosos que se ocupam em descrever a posse enquanto categoria linguística, no intuito de comparar o que se tem sobre esse assunto em termos tipológicos e o que se observa na língua Apurinã, em construções de posse predicativa. Assim, recorreuse a autores como Heine (2001), Perniss e Zeshan (2008) e Stassen (2009) para a caracterização tipológica e classificação do domínio da posse. Em se tratando da expressão de posse em Apurinã, apresenta-se um resumo da análise anteriormente feita por Facundes (1995 e 2000), para, então, apresentar novos dados e análises, com base em pesquisas de campo desenvolvidas em novembro de 2014 e abril de 2015. Em Apurinã, a forma verbal awa, significando ‘ter’, ocorre em construções de posse predicativa, como em n-awa-ry epi kanawa, ‘Eu tenho duas canoas’ (em que n- codifica a 1ª pessoa do singular; awa corresponde ao verbo ‘ter’;  ry equivale à 3ª pessoa do singular masculino objeto; epi significa ‘dois’ e kanawa corresponde à ‘canoa’). Adicionalmente à forma awa, na pesquisa de campo desenvolvida foram detectadas duas outras formas verbais nunca antes atestadas relacionadas à expressão de posse, as quais serão descritas neste artigo.

 


Palavras-chave


Domínio da posse; Posse predicativa; Apurinã; Aruak.

Texto completo:

PDF

Referências


AIKHENVALD, Alexandra. Possession and Ownership: A Cross-Linguistic Perspective. In: Aikhenvald, Alexandra & R. M. W. Dixon (eds.). Possession and Ownership. Oxford University Press, 2012. p. 1-64. http://dx.doi.org/10.1093/acprof:oso/9780199660223.001.0001

BRANDÃO, Ana Paula Barros. Dicionário de Fauna e Flora Apurinã. Belém, Pará: Universidade Federal do Pará, 2006 (Trabalho de Conclusão de Curso).

CHAGAS, Angela Fabíola Alves. Aspectos Semântico, Morfológicos e Morfossintáticos das Palavras Descritivas Apurinã. Belém, Pará: Programa de Pós-graduação em Letras – Mestrado em Estudos Linguísticos da Universidade Federal do Parát(Dissertação de Mestrado), 2007.

FACUNDES, Sidi. Possession and Unpossession in Apurinã (Maipuran). In: LSA Parassession: Languages South of Rio Bravo. Nova Orleans. Conference Proceedings of LSA Parassession: Languages South of Rio Bravo, 1995.

_____. The Language Of The Apurinã People Of Brazil (Maipure/Arawak). Nova York, Búfalo: Faculty of the Graduate School of State University of New York at Buffalo (Tese de Doutorado), 2000.

FACUNDES, Sidi; FREITAS, Mariof the GraPosse Nominal em Apurina. Anais do IV Congresso Internacional de Línguas a Literaturas da Amazônia – CIELLA, 2013.

HEINE, Bernd. Ways of explaining possession. In: BARON, Irene; HERSLUND, Michael; SØRENSEN, Finn (eds.). Dimensions of Possession. Amsterdã, Filadélfia: John Benjamins Publishing Company, 2001, pp. 311-328 (Typological Studies in Language, vol. 47).

PERNISS, Pamela; ZESHAN, Ulrike (eds.). Possessive and Existential Constructions: introduction and overview. 2008, pp. 1-31.

STASSEN, Leon. Predicative Possession. New York: Oxford University Press, 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-4301.2015.2.20347

e-ISSN: 1984-4301 

 

Avaliação do Qualis CAPES - 2013/2016

ÁREA CAPES - Linguística / Literatura

CLASSIFICAÇÃO DE PERIÓDICO - B1



Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

 

 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS