Princípio de saliência fônica: isso não soa bem

Raquel Gomes Chaves

Resumo


No presente trabalho, tratamos do conceito de Saliência fônica, fundamentados nos estudos relativos ao comportamento variável da concordância verbal de terceira pessoa do plural (eles comem ~ eles comeØ, eles falam ~ eles falaØ) e da redução e/ou desnasalização de ditongos nasais átonos finais (com[ẽỹ] ~ com[ɪ̃] ~ com[ɪ]; fal[ɐ̃w̃] ~ fal[ῦ] ~ fal[ʋ]). Para discutir a Saliência fônica, investigamos e confrontamos as posições assumidas frente à variável por Naro e Lemle (1976), Lemle e Naro (1977), Guy (1981), Naro (1981) e Nicolau (1984, 1995). Os estudos referidos foram selecionados em virtude de contemplarem ao menos um dos seguintes critérios: (i) terem proposto diferentes definições para a variável (NARO, LEMLE, 1976; LEMLE, NARO, 1977); (ii) terem estabelecido parâmetros diferenciados para a medição hierárquica da Saliência fônica (LEMLE, NARO, 1977; GUY, 1981; NARO, 1981); (iii) terem rejeitado parcial/completamente a variável (GUY, 1981; NICOLAU, 1984, 1995). Na etapa subsequente, assumimos uma postura crítica perante as acepções adotadas pelos estudos, apontando questões obscuras que necessitam de um exame mais acurado. Por fim, acomodamos essa discussão no quadro da Teoria da Variação e Mudança (WLH, 1968; LABOV, 1972, 1982, 1994, 2010), dando especial destaque à intrínseca relação entre a Saliência fônica e os problemas da restrição e da avaliação


Palavras-chave


Saliência fônica; Concordância verbal de terceira pessoa do plural; Problema de restrição; Problema de Avaliação.

Texto completo:

PDF

Referências


BATTISTI, Elisa. A redução dos ditongos nasais átonos. In: BISOL, Leda; BRESCANCINI, Cláudia (Orgs.). Fonologia e variação: recortes do português brasileiro. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2002, p. 183-202.

CHISTÓFARO-SILVA, Thaís; FONSECA, Marco Silva; CANTONI, Maria. A redução do ditongo [ãw] postônico na morfologia verbal do português brasileiro: uma abordagem baseada no uso. Letras de Hoje, Porto Alegre, v. 47, n. 3, p. 283-292, jul./set. 2012.

HOUAISS, Antônio; VILLAR, Mauro de Sales; FRANCO, Francisco Manoel de Mello. Minidicionário Houaiss de língua portuguesa. 2. ed. Rio de Janeiro: Objetiva, 2004.

FARIA, Nicolle Veronick Moreira de. A concordância verbal no português de Belo Horizonte. 2008. 141fls. Dissertação (Mestrado em Letras) – Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2008.

GONÇALVES, Vânia de Fátima. A ausência de concordância verbal no Vale do Rio Doce. 2007. 121fls. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2007.

GUY, Gregory Riordan. Linguistic variation in Brazilian Portuguese: aspects of the phonology, syntax, and language history. 391fls. Tese (Doutorado em Linguística) – University of Pennsylvania, Philadelphia, 1981.

LABOV, William. Building on empirical foundations. In: LEHMANN, Winfred P.; MALKIEL, Yakov (Eds.) Perspectives on historical linguistics. Amsterdam/ Philadelphia: John Benjamins, 1982.

LABOV, Wiliam. Principles of linguistic change: Internal factors. Cambridge: Blackwell, 1994.

LEMLE, Miriam; NARO, Anthony Julius. Competências Básicas do Português. Relatório Final apresentado às instituições Fundação Ford e Movimento Brasileiro de Alfabetização (Mobral), 1977.

MONGUILHOTT, Isabel de Oliveira e Silva. Variação na concordância verbal de terceira pessoa do plural na fala dos florianopolitanos. 2001. 99fls. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2001.

_____ . Estudo sincrônico e diacrônico da concordância verbal de terceira pessoa do plural no PB e PE. 2009. 229fls. Tese (Doutorado em Linguística)– Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2009.

NARO, Anthony Julius. The social and structural dimensions of a syntatic change. LSA, Language, v. 57, p. 63-98, 1981.

_____; LEMLE, Miriam. Syntatic diffusion. In: STEEVER, Sandord B. et alii (Eds.) Papers from the parasession on Diachronic Syntax. Chicago: Chicago Linguistic Society, p.221-241, 1976.

______; SCHERRE, Maria Marta Pereira. Origens do Português Brasileiro. São Paulo: Parábola Editorial, 2007.

NICOLAU, Eunice Maria das Dores. A Ausência de Concordância Verbal em Português: uma abordagem sociolingüística.1984. 196fls. Dissertação (Mestrado em Letras)– Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 1984.

______. A influência da constituição morfológica da forma verbal na ausência de concordância em Português.Revista de Estudos da Linguagem. Belo Horizonte: UFMG, ano IV, n. 3, v. 2, p. 41-67, 1995.

SANTOS, Camila Patrícia dos. A concordância verbal na mídia radiofônica de Belo Horizonte. 2013. 114fls. Dissertação (Mestrado em Letras)– Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2013.

SCHERRE, Maria Marta Pereira; NARO, Anthony Julius. Efeitos da saliência fônica e do tempo/modo na concordância verbal. In: MOLLICA, Maria Cecília de Magalhães (Orgs.). Usos da linguagem e sua relação com a mente humana. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, p. 71-77, 2010.

VOTRE, Sebastião Josué. Aspectos da variação fonológica na fala dos analfabetos do Rio de Janeiro.1978. 202fls. Tese (Doutorado em Letras) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, 1978.

WEINREICH, U.; LABOV, W.; HERZOG, M. Fundamentos empíricos para uma teoria da mudança lingüística. Trad. de Marcos Bagno. São Paulo: Parábola, 2006 [1968].

WELCHEN, Dirce. Pelotas e a concordância verbal de 3ª pessoa de plural. 2009. 150fls. Tese (Doutorado em Letras) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-4301.2014.2.17892

e-ISSN: 1984-4301 

 

Avaliação do Qualis CAPES - 2013/2016

ÁREA CAPES - Linguística / Literatura

CLASSIFICAÇÃO DE PERIÓDICO - B1



Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

 

 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS