A aquisição das codas mediais /p/ e /k/ do inglês (L2) por aprendizes do sul do Brasil (L1): uma análise gestual na Teoria da Otimidade Estocástica

Bruna Koch Schmitt, Ubiratã Kickhöfel Alves

Resumo


Neste artigo, formalizamos a aquisição, por parte de aprendizes do Sul do Brasil, das sequências /pt/ e /kt/ em posição medial de palavras do inglês (L2). Os participantes, que apresentavam um nível básico de proficiência na língua estrangeira, tiveram suas produções orais gravadas tanto em português quanto em inglês, para a posterior verificação dos padrões acústicos encontrados nas tentativas de produção das codas /p/ e /k/. Estes padrões acústicos foram analisados à luz da Teoria da Otimidade Estocástica, e as restrições utilizadas na análise foram baseadas no modelo da Fonologia Gestual (BROWMAN & GOLDSTEIN, 1992) e na noção de pontos de ancoragem gestuais proposta por Gafos (2002). Concluímos que uma análise gestual permite a formalização de uma série de padrões acústicos que tendiam a ser desconsiderados pelas análises fonológicas tradicionais, uma vez que tais padrões assumam um status diferenciado, como componentes da gramática do indivíduo.

Palavras-chave


Aquisição Fonético-Fonológica; Fonologia Gestual; Teoria da Otimidade Estocástica.

Texto completo:

PDF (English)

Referências


ALBANO, Eleonora Cavalcante. O gesto e suas bordas: esboço da fonologia acústico-articulatória do Português Brasileiro. Campinas: Mercado de Letras, FAPESP, 2001.

ALLAN, Dave. Oxford Placement Test 1. Oxford University Press, 2004.

ALVES, Ubiratã Kickhöfel. A aquisição das seqüências finais de obstruintes do inglês (L2) por falantes do Sul do Brasil: análise via Teoria da Otimidade. 2008. 337 f. Tese (Doutorado em Letras) - Programa de Pós-Graduação em Letras, Pontifícia Universidade

Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2008.

_____. A epêntese vocálica na aquisição das plosivas finais do inglês (L2): tratamento pela OT Estocástica e pela Gramática Harmônica. In: SIMPÓSIO SOBRE VOGAIS, 2., 2009, Belo Horizonte. Belo Horizonte: UFMG: SISVOGAIS, 2009. Disponível em:

. Acesso em: 19 ago. 2009.

_____. Discutindo as restrições de marcação posicional: uma proposta da formalização da diferença de ponto de articulação em coda. Revista da ABRALIN, v. 10, p. 113-146, 2011.

ASHBY, Michael; MAIDMENT, John. Introducing Phonetic Science. United Kingdom: Cambridge University Press, 2005.

BISOL, Leda. A sílaba e seus constituintes. In: NEVES, Maria Helena de Moura (Org.). Gramática do Português Falado – Volume VII: Novos estudos. Campinas, Editora da Unicamp, 1999. p. 701-742.

BOERSMA, Paul; WEENINK, David. Praat: Doing Phonetics by Computer. - versão 5.3.01, 2011.

BOERSMA, Paul.; HAYES, Bruce. Empirical tests of the Gradual Learning Algorithm. Linguistic Inquiry, Cambridge, v. 32, n. 1, p. 45-86, 2001.

BOERSMA, Paul. How we learn variation, optionality, and probability. University of Amsterdam, Proceedings of the Institute of Phonetic Sciences 21,1997, p. 43–58.

BROWMAN, Catherine P.; GOLDSTEIN, Louis M. Towards an articulatory phonology. Phonology Yearbook, v. 3, p. 219-252, 1986.

BROWMAN, Catherine P.; GOLDSTEIN, Louis M. Articulatory gestures as phonological units. Phonology 6, p. 201-251, 1989.

BROWMAN, Catherine P.; GOLDSTEIN, Louis M. Tiers in articulatory phonology, with some implications for casual speech. In: KINGSTON,T.; BECKMAN, M. E. (Ed.). Papers in Laboratory Phonology I: Between the Grammar and Physics of Speech. Cambridge University Press, 1990. p. 341-376.

BROWMAN, Catherine P.; GOLDSTEIN, Louis M. Articulatory Phonology: An Overview. Phonetic, v. 49, p. 155-180, 1992.

CARDOSO, Walcir. The variable development of English word-final stops by Brazilian Portuguese speakers: A stochastic optimality theoretic account. Language Variation and Change, v. 19. Cambridge, Massachusetts: Cambridge University Press, 2007.

DAVIDSON, Lisa. Phonotactics and articulatory coordination interact in phonology: evidence from nonnative production. Cognitive Science, v. 30, n. 5, p. 837-862, 2006.

FERREIRA-GONÇALVES, Giovana. Aquisição da Linguagem. In: BISOL. Leda; SCHWINDT, Luiz (Org.). Teoria da Otimidade: Fonologia. Campinas, SP: Pontes Editores, 2010. p. 167- 206.

FERREIRA-GONÇALVES, Giovana; ALVES, Ubiratã Kickhöfel. Os gestos em restrições: Fonologia Gestual e Teoria da Otimidade. In: FERREIRA-GONÇALVES, Giovana; BRUMDE-PAULA, Mirian (Org.). Dinâmica dos movimentos articulatórios: sons, gestos e imagens. Pelotas: Editora da Universidade Federal de Pelotas, 2013. p. 37-65.

GAFOS, Adamantios. A grammar of gestural coordination. Natural language and linguistic theory, 20 (2), p. 269-337, 2002.

GOLDSTEIN, Louis; FOWLER, Carol A. Articulatory Phonology: a phonology for public language use. In: MEYER, A. S.; SCHILLER, N. O. (Ed.). Phonetics and Phonology in Language Comprehension and Production: Differences and Similarities. Mouton de Gruyter, 2003. p. 159-207.

GNANADESIKAN, Amalia E. Markedness and Faithfulness Constraints in Child Phonology. 1995.

HAMMOND, Michael. The Phonology of English: A prosodic-optimality theoretic approach. Oxford University Press, 1999.

HUF, Júlia Carolina Coutinho; ALVES, Ubiratã Kickhöfel. A produção de /p/ e /k/ em codas simples e complexas do inglês (L2) por aprendizes gaúchos: discussão a partir dos padrões acústicos encontrados. Verba Volant, v. 1, n. 1. Pelotas: Editora e Gráfica Universitária da UFPel, 2010.

KAGER, René. Optimality Theory. Cambridge: Cambridge University Press, 1999.

LUCENA, Rubens Marques de; ALVES, Ubiratã Kickhöfel. Implicações dialetais (dialeto gaúcho vs. paraibano) na aquisição de obstruintes em coda por aprendizes de inglês (L2): uma análise variacionista. Letras de Hoje, Porto Alegre, v. 45, n. 1, p. 35-42, jan./mar. 2010.

QUINTANILHA-AZEVEDO, Roberta. Formalização fonético-fonológica da interação de restrições na produção e na percepção da epêntese em variedades do português. Projeto de Tese de Doutorado. Universidade Católica de Pelotas, 2014.

PRINCE, Alan; SMOLENSKY, Paul. Optimality Theory: constraint interaction in generative grammar. Baltimore: The Johns Hopkins University, 1993.

SILVEIRA, Rosane. The influence of pronunciation instruction on the perception and the production of English word-final consonants. 2004. Tese (Doutorado em Letras) – Programa de Pós-Graduação em Letras/Inglês e Literatura Correspondente, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2004.

TESAR, Bruce; SMOLENSKY, Paul. Learnability in Optimality Theory (long version). Report Nº. JHU_CogSci_96_3. Baltimore, MD: Johns Hopkins University, 1996.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-4301.2014.2.17879

e-ISSN: 1984-4301 

 

Avaliação do Qualis CAPES - 2013/2016

ÁREA CAPES - Linguística / Literatura

CLASSIFICAÇÃO DE PERIÓDICO - B1



Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

 

 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS