A concepção do imperativo categórico na ética de Husserl

Camila Ribeiro Menotti (UFSM)

Resumo


Neste artigo pretende-se investigar como Husserl interpreta o conceito de imperativo categórico formulado pela filosofia moral kantiana. De acordo com Husserl, o imperativo categórico como Kant o concebe, é uma forma vazia de conteúdo, sem validade para a vida ética. O imperativo categórico deve voltar-se para além da obrigação, deve enfatizar a máxima realização do melhor possível entre o alcançável. Tendo isso em vista, Husserl reconstrói a fórmula do imperativo categórico kantiano: “Faça em todo momento o melhor possível entre o alcançável”. Nesta perspectiva, o imperativo categórico passa a ser algo que possa ser feito em cada momento da vida, visando sempre o melhor possível, segundo as possibilidades que o tempo oferece. Assim, o homem que coloca para si viver conforme este imperativo deve fazer uma opção universal de vida: viver sob a norma incondicionada de valor, a qual está em seu poder cumpri-la e adotar uma vontade universal conforme esta norma. E isso somente acontecerá se o homem compreender e tomar o imperativo categórico como uma exigência de viver na constante direção para o melhor possível entre o alcançável.


Palavras-chave


Imperativo Categórico; Kant; Husserl.

Texto completo:

PDF


e-ISSN: 1983-4012


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.