A busca da identidade ameríndia através da Disputa de Valladolid

Renata Floriano Sousa

Resumo


O objetivo deste artigo é demonstrar como o processo protagonizado pelo dominicano Bartolomé de Las Casas e o cronista real, Juan Ginés de Sepulveda no século XVI, conhecido na história como o Debate de Valladolid, tinha como principal meta definir a verdadeira identidade dos povos do Novo Mundo. O método filosófico que será utilizado para concretizar essa proposta será a apreciação, a análise e a comparação dos argumentos apresentados por ambos autores à luz do contexto político ao qual tal discussão foi demandada. Ao fim, tentaremos revelar qual é a identidade dos ameríndios segundo esses autores seguindo os critérios de idolatria e capacidade racional, além de mostrar como essas condições podem autorizar ou não a guerra como método de conquista e de conversão.


Palavras-chave


Identidade. Idolatria. Capacidade racional.

Texto completo:

PDF

Referências


ARISTÓTELES. Política: versão bilingue. Tradução de Antônio Campelo Amaral e Carlos Gomes. Lisboa: Veja, 1998.

BETHELL, Leslie (Org). História da América Latina: A América Latina Colonial. São Paulo: Edusp, v.1, 2004.

BEUCHOT, Maurício. La querella de la conquista: una polêmica del siglo XVI. Mexico: América Nuestra, 2004.

BÍBLIA. Português. A Bíblia de Jerusalém. Nova Ed. rev. e ampl. São Paulo: Paulus, 2002.

HANKE, Lewis. Aristóteles e os índios americanos. Maria Lucia Galvão Carneiro (Tradutora). São Paulo: Livraria Martins, 1955.

JOLY, Fábio Duarte. Tácito e a Metáfora da Escravidão: um estudo de cultura política romana. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2004.

LAS CASAS, Bartolomeu de. Liberdade e justiça para os povos da América: Oito tratados impressos em Sevilha em 1552. Frei Carlos Josaphat. (Tradutor). São Paulo: Paulus, 2010.

LAS CASAS, Bartolomeu de. Único modo de atrair todos os povos á verdadeira religião. Frei Carlos Josaphat. (Tradutor). São Paulo: Paulus, 2005.

SEPÚLVEDA, Juan Ginés de. Demócrates Segundo: o de las causas de la guerra contra los indios. Angel Losada. (Tradutor). 2ª edição. Madrid: C.S.I.C, 1984.

NETO, José Alves de Freitas. Bartolomé de Las Casas: a narrativa trágica, o amor cristão e a memória americana. São Paulo: Annablume, 2003.

SEITENFUS, Ricardo. Legislação Internacional 2ª ed. Barueri: Ed. Manoele, 2009.

SOUSA, Renata Floriano de. A idolatria como forma de identidade, punição e dominação: Um estudo de caso da colonização evangelizadora da América espanhola in XVIII Semana Acadêmica do Programa de Pós-Graduação em Filosofia da PUCRS: volume 2 [recurso eletrônico]. Ítalo Alves, et al (Orgs.). Porto Alegre,: Editora Fi, 2018, pp.261 – 272.

TODOROV, Tzvetan. A conquista da América: A questão do outro. Beatriz Perrone (Tradução). São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2010.

VITORIA, Francisco de. Obras de Francisco de Vitoria - Relecciones teologicas., Teófilo Urdanoz O.P. (Tradutor). Madri: B.A.C., 1960.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1983-4012.2019.2.34322

e-ISSN: 1983-4012


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.