Bases para uma Teoria Geral das Construções Formais

Fábio Salgado de Carvalho

Resumo


O termo “formalização” tem sido utilizado de maneira pouco precisa na área filosófica. Há certo fetiche pelos formalismos, especialmente na filosofia analítica, mas não há uma compreensão, de fato, do que eles são. Que é uma formalização? Uma metodologia? Um estilo filosófico? Ela confunde-se com a mera “matematização”? É uma representação simbólica? É o abarcamento por um sistema lógico? Há diferenças entre modelar um conceito, uma inferência ou uma teoria e formalizá-los? O que é objeto de uma formalização? A partir de uma conceituação clara, quais seriam as vantagens e desvantagens do seu uso na Filosofia? Buscaremos fornecer, neste trabalho, as bases para uma teoria geral das formalizações assim como princípios condutores para os filósofos que desejam criar e propor formalizações.


Palavras-chave


Formalização; Linguagens formais; Sistemas lógicos; Lógica formal.

Texto completo:

PDF

Referências


AUDI, R. The Cambridge Dictionary of Philosophy. United Kingdom: Cambridge university press, 1999.

BÉZIAU, J-Y. Universal Logic. Logica ‘94. P. Kolar et V. Svoboda (eds.), Académie des Sciences, Prague, p. 73-93, 1994.

BUNNIN, N.; YU, J. The Blackwell Dictionary of Western Philosophy. USA: Blackwell publishing, 2004.

COSTA-LEITE, A. Construções sistêmicas e leis de interação. Cognitio. São Paulo, vol. 10, n.2, p. 209-220, jul./dez. 2009.

GABBAY, D. (ed.) What is a logical system. Oxford: Clarendon press, 1994.

GOMES, N. G. Lógica Modal (Apostila)

HEGENBERG, L. Dicionário de Lógica. São Paulo: EPU, 1995.

IONESCU, C; BOTTA, N. Proceedings of the Dahlem Conference “Is there a mathematics of social entities?”. Dec. 14-19, 2008.

LONG, A. A.; SEDLEY, D. N. The hellenistic philosophers. Great Britain: Cam- bridge University Press, 1987.

PEREIRA, M. K. F. Sintaxe e semântica universais. Campinas: Unicamp, 2001. (Coleção CLE)

REALE, M. Lições Preliminares de Direito. 27a edição. São Paulo: Saraiva, 2002.

SANZ, W. Falsity preservation. CLE e-Prints (Online), v. 8, p. 2, 2008.

ZACH, R. Hilbert’s program. In: ZALTA, E. N. (ed.). The Stanford Encyclopedia of Philosophy. Disponível em: . Acesso em 06 de jan. 2015.

ZHANG, J.; LIU, F. Some Thoughts on Mohist Logic. In: A Meeting of the Minds: Proceedings of the Workshop on Logic, Rationality and Interaction, Johan van Benthem, Shier Ju and Frank Veltman (eds.), London: College Publications, 85–1, 2007.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1983-4012.2016.1.19917

O conteúdo dos textos publicados pela intuitio é de inteira responsabilidade de seus respectivos autores e não expressa necessariamente as opiniões de seus editores.

Revista eletrônica dos discentes do Programa de Pós-Graduação em Filosofia da PUCRS.


e-ISSN: 1983-4012

 


Indexação: LATINDEX 

 


Programa de Pós-Graduação em Filosofia - PUCRS
Veritas

EDIPUCRS: Revistas Eletrônicas da PUCRS
PORTAL: www.pucrs.br

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

 

 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS