Verdade como desvelamento na filosofia de Martin Heidegger

Ana Carla de Abreu Siqueira (UFC)

Resumo


O objetivo deste trabalho é discutir a questão da verdade, que se define como um dos momentos mais importantes da filosofia de Martin Heidegger. Em primeiro lugar, isto se dá abordando o conceito de verdade em Ser e Tempo (1927), focando especificamente na visão estabelecida no parágrafo 44. Em seguida, tentamos fornecer uma análise da questão da verdade como correção pra questão do desvelamento, o qual ele entende como um evento que retira os entes do velamento. Heidegger alcançou uma noção de verdade não mais a partir de sentenças ou do Dasein, mas sim da ideia de que existem verdade e não-verdade. Sempre há algo que permanece escondido. Neste sentido, podemos explorar algumas considerações na sua obra tardia e falar do fundamento da noção de verdade.

Palavras-chave


Verdade; Dasein; Desencobrimento

Texto completo:

PDF

Referências


GIACOIA JUNIOR, O. Heidegger Urgente. Introdução a um Novo Pensar. 1ª edição. São Paulo: Três Estrelas, 2013.

HEIDEGGER, M. A Origem da Obra de Arte. Tradução de Idalina Azevedo da Silva e Manuel António de Castro. São Paulo: Edições 70, 2010.

________. Aletheia (Heráclito, fragmento 16). In: Ensaios e Conferências. Coleção Pensamento Humano. 7ª edição. Tradução de Márcia Sá Cavalcante Schuback. Petrópolis: Vozes; Bragança Paulista: Editora Universitária São Francisco, 2006.

________. Meditação. Tradução de Marco Antônio Casanova. Petrópolis: Vozes, 2010.

________. Parmênides. Tradução de Sérgio Mário Wrublevski. Petrópolis: Vozes; Bragança Paulista: Editora Universitária São Francisco, 2008.

________. Sein und Zeit. Tübingen: Max Niemeyer Verlag, 2006.

________. Ser e Tempo. Coleção Pensamento Humano. 16ª edição. Tradução de Márcia Sá Cavalcante Schuback. Petrópolis: Vozes, 2006.

________. Sobre o humanismo. Tradução de Emmanuel Carneiro Leão. 2ª edição. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1995.

________. Vom Wesen der Wahrheit. Frankfurt am Main: Vittorio Klostermann, 1997.

INWOOD, M. Dicionário Heidegger. Tradução de Luísa Buarque de Holanda. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2002.

NUNES, B. Passagem para o Poético. Filosofia e poesia em Heidegger. São Paulo: Edições Loyola, 2012.

STEIN, E. Pensar e Errar. Um ajuste com Heidegger. Ijuí: Unijuí, 2011.

________. Seis estudos sobre “Ser e Tempo”. 3ª edição. Petrópolis: Vozes, 2006.

________. Sobre a verdade. Lições preliminares ao parágrafo 44 de Ser e Tempo. Coleção filosofia. Ijuí: Unijuí, 2006.

TUGENDHAT, E. Der Wahrheitsbegriff bei Husserl und Heidegger. Berlin: Walter de Gruyter & Co: 1967.

________. Lições Introdutórias à Filosofia Analítica da Linguagem. Tradução de Ronai Pires da Rocha. Ijuí: Editora Unijuí, 2006.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1983-4012.2014.2.17553

ATENÇÃO

Sistema em manutenção

Migração do sistema OJS para a versão 3.0. Durante este período os usuários:

  • Poderão acessar todo o conteúdo já publicado
  • Não poderão efetivar encaminhamentos do fluxo editorial (submissão, avaliação, publicação)

Previsão: 06/07/2020


e-ISSN: 1983-4012


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.