Atitude natural e atitude fenomenológica: a relação existente entre as diferentes atitudes a partir do ato intuitivo

Felipe Bragagnolo (UFSM)

Resumo


Um dos conceitos chaves da fenomenologia husserliana é denominado de intuição. Esse conceito pode inicialmente ser compreendido na tradição fenomenológica enquanto afinidade radical entre o “ver” de fato o “ver” de essência. Torna-se nosso objetivo nesse artigo a partir de Husserl, com contribuições específicas de Levinas, compreender a relação existente entre a atitude natural e a atitude fenomenológica. Nesse sentido, o conceito de intuição é apresentado tendo em vista unicamente essa relação, ou seja, não é nosso objetivo desenvolver detalhadamente a consciência enquanto ato intuitivo, mas somente mostrar a possibilidade de compreender a relação entre as diferentes atitudes a partir da intuição. Propusemo-nos então a seguinte questão: como nosso olhar que está imerso inicialmente na atitude natural, considerada por Husserl, em certa medida irrefletida, por seu caráter de crença no mundo e nas coisas, pode vir a mudar para um olhar fenomenológica, ou seja, de suspensão, de neutralização dos juízos imediatos? Almejando responder essa questão dividimos esse trabalho em duas partes: 1ª) “Atitude Natural como parte do e abertura para o ‘ver’ de essência”, 2ª) “Ato intuitivo: atividade da consciência que revela a relação existente entre o ‘ver’ de fato e o ‘ver’ de essência”. Na primeira parte analisamos brevemente a orientação do ego diante do mundo e das coisas anterior a epoché fenomenológica; e, na segunda parte, descrevemos a possibilidade de compreender o ato intuitivo como ato da consciência que vincula o “ver” de fato com o “ver” de essência.

Palavras-chave


Intuição; Edmund Husserl; Atitude fenomenológica; Atitude natural.

Texto completo:

PDF

Referências


CERBONE, D. R. Fenomenologia. – tradução de Caesar Souza. – Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2012.

LEVINAS, E. Descobrindo a existência com Husserl e Heidegger. Lisboa: Instituto Piaget, 1997.

LEVINAS, E. 1930. La teoría fenomenológica de la intuición. – tradução Tania Checchi. – México: Epidermes, 2004; Salamanca, Espanha: Sígueme, 2004.

HUSSERL, E. 1859-1938. Idéias para uma fenomenologia pura e para uma filosofia fenomenológica: introdução geral à fenomenologia. – tradução Márcio Suzuki. – Aparecida, SP: Idéias & Letras, 2006.

_________________. Investigações lógicas: sexta investigação: elementos de uma elucidação fenomenológica do conhecimento / Edmund Husserl; seleção e tradução de Zelijko Loparic. – São Paulo: Abril Cultural, 1980.

_________________. Meditações cartesianas e Conferência de Paris: de acordo com o texto de Husserliana I / Edmund Husserl; editado por Stephan Strasser; tradução Pedro M. S. Alvez. – 1. Ed. – Rio de Janeiro: Forense, 2013.

SOKOLOWSKI, R. Introdução à Fenomenologia. São Paulo: Loyola, 2004.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1983-4012.2014.2.17312

O conteúdo dos textos publicados pela intuitio é de inteira responsabilidade de seus respectivos autores e não expressa necessariamente as opiniões de seus editores.

Revista eletrônica dos discentes do Programa de Pós-Graduação em Filosofia da PUCRS.


e-ISSN: 1983-4012

 


Indexação: LATINDEX 

 


Programa de Pós-Graduação em Filosofia - PUCRS
Veritas

EDIPUCRS: Revistas Eletrônicas da PUCRS
PORTAL: www.pucrs.br

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

 

 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS