Vida nua: entre o humano e o inumano

Daniel Nery da Cruz (UNISINOS)

Resumo


Por intermédio dos estudos de Giorgio Agamben, especialmente em sua obra o que resta de Auschwitz, o presente artigo trata de uma análise da figura extrema do campo de concentração: o muçulmano. Esse ser que é caracterizado como morto-vivo é o protótipo extraído para as reflexões de Agamben a fim de caracterizar a forma como o biopoder contemporâneo reduz a vida humana a uma sobrevida, a vida nua.

Palavras – chave: vida, muçulmano, Agamben   


Palavras-chave


chave: vida, muçulmano, Agamben

Texto completo:

PDF


ATENÇÃO

Sistema em manutenção

Migração do sistema OJS para a versão 3.0. Durante este período os usuários:

  • Poderão acessar todo o conteúdo já publicado
  • Não poderão efetivar encaminhamentos do fluxo editorial (submissão, avaliação, publicação)

Previsão: 06/07/2020


e-ISSN: 1983-4012


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.