“Trinta anos nesta tarde”: problemas endógenos e exógenos da trajetória democrática no Brasil pós-Constituição de 1988

Gustavo André Aveline Müller

Resumo


Passados trinta anos da promulgação da chamada “Constituição Cidadã”, o sistema político brasileiro sofre, por fatores endógenos, uma grave crise de legitimidade. Somada a esta crise de legitimidade existe ainda uma crise mundial, fatores exógenos, do vínculo entre partidos e sociedade. Entender a natureza desta crise, proposta deste artigo, é procurar entender como uma democracia tão jovem pode, além de suas características peculiares, ser afetada por fenômenos que atingem as democracias avançadas.


Palavras-chave


partidos; Constituição; legitimidade; representação; democracia; autoritarismo.

Texto completo:

PDF

Referências


ABRANCHES, Sérgio Henrique. Presidencialismo de Coalizão: o dilema institucional brasileiro. Dados, Rio de Janeiro, v. 1, n. 31, p. 5-32, 1988.

AMES, Barry. Os entraves da democracia no Brasil. Rio de Janeiro: FGV, 2003.

AVRITZER, Leonardo. Impasses da democracia no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2016.

BOBBIO, Norberto. O futuro da democracia – Uma defesa das regras do jogo. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1989.

BOX-STEFFENSMEIER, Janet M.; BRADY, Henry E.; COLLIER, David. The Oxford Handbook of Political Methodology. New York: Oxford University Press, 2008.

Canotilho , J. J. Gomes. Direito Constitucional e Teoria da Constituição. Coimbra: Almedina, [1941] 2003.

CARONE, Edgard. A República Velha II. São Paulo: DIFEL, 1983.

CHIRIO, Maud. A política nos quartéis. Rio de Janeiro: ZAHAR, 2012.

DALTON, Russell J.; FARRELL, David M.; McALLISTER, Ian. Political parties & democratic linkage. New York: Oxford University Press, 2011.

DUVERGER, Maurice. Los partidos políticos. Mexico: Fondo de Cultura Económica, 1996.

FAORO, Raymundo. Os donos do poder. São Paulo: Globo, 1995.

FIGUEIREDO, Argelina; LIMONGI, Fernando. Executivo e Legislativo na Nova Ordem Constitucional. São Paulo: FGV, 1999.

FRANCIS, Paulo. Trinta anos esta noite. São Paulo: Companhia das Letras. 1994.

KATZ, Richard; MAIR, Peter. Parties, Interest Groups and Cartels: A Comment. Party Politics, v. 18, n. 1, 2012, p. 107-111. Disponível em: . Acesso em: 19 dez. 2017. https://doi.org/10.1177/1354068811422644

KATZ, Richard. Party organizations and finance. In: LeDUC, Lawrence; NIEMI, Richard G.; NORRIS, Pippa (Ed.). Comparing democracies: Elections and voting in global perspective. London: SAGE Publications, 1996, 107-133.

KIRCHHEIMER, Otto. A transformação dos sistemas partidários da Europa Ocidental. Revista Brasileira de Ciência Política. Brasília, n. 07, Jan./Apr. 2012. Disponível em: . Acesso em: 19 abr. 2017.

KUHN, Thomas S. A estrutura das revoluções científicas. São Paulo: Perspectiva, 2003.

LAMOUNIER, Bolívar; MENEGUELLO, Rachel. Partidos Políticos e consolidação democrática: o caso brasileiro. São Paulo: Brasiliense, 1986.

LIMA Jr., Olavo Brasil. Partidos Políticos Brasileiros – A experiência federal e regional: 1945/64. Rio de Janeiro: Graal, 1983.

LIMONGI, Fernando; CORTEZ, Rafael. Eleições de 2010 e o quadro partidário. Novos Estudos, São Paulo: CEBRAP, n. 88, p. 21-38, nov. 2010.

LIPSET, Seymour; ROKKAN, Stein. Estruturas de clivagens, sistema partidário e alinhamento de eleitores. In: LIPSET, Seymour. Consenso e Conflito. Lisboa: Gradiva, 1993.

MAINWARING, Scott. Rethinking Party Systems in the Third Wave of Democratization: The case of Brazil. Stanford: Stanford University Press, 1999.

MAIR, Peter. Party systems and structures of competition. In. LeDUC, Lawrence, NIEMI, Richard G.; NORRIS, Pippa (Ed.). Comparing democracies: Elections and voting in global perspective. London: SAGE Publications, 1996. p. 83-106.

MAIR, Peter. Ruling the void. London: Verso, 2013.

MORGENSTERN, Flavio. Por trás da máscara. Rio de Janeiro: Record, 2015.

MICHELS, Robert. A Sociologia dos Partidos Políticos. Brasília: UnB, 1982.

NICOLAU, Jairo Marconi. Partidos e sistemas partidários: 1985- 2009. In: MARTINS, Carlos Benedito; LESSA, Renato (Org.). Horizontes das Ciências Sociais no Brasil – Ciência Política. São Paulo: ANPOCS, 2010. p. 217-240.

O’DONNELL, Guillermo; SCHMITTER, Philippe C. Transições do Regime Autoritário: Primeiras conclusões. São Paulo: Vértice, Revista dos Tribunais, 1988.

PANEBIANCO, Ângelo. Modelos de Partido: Organización y poder en los partidos políticos. Madrid: Alianza Editorial, 1990.

PÉREZ-LIÑAN, Aníbal. Presidential Impeachment and the New Political Instability in Latin America. New York: Cambridge University Press, 2007.

PIERSON, Paul. Politics in time: history, institutions, and social analysis. Princeton: Princeton University Press, 2004.

PUHLE, Hans-Jürgen. Mobilizers and Late Mobilizers: socialist parties in the new southern Europe. In: DIAMANDOUROS, Nikiforos P.; GUNTHER, Richard (Ed.). Parties, politics and democracy in the new southern Europe. Maryland: The Johns Hopkins University Press, 2001. p. 268-320.

SANTOS, Fabiano. O Poder Legislativo no Presidencialismo de Coalizão. Belo Horizonte/Rio de Janeiro: IUPERJ/UFMG, 2003.

SARTORI, Giovanni. A política. Brasília: UnB, 1997.

SCHMITTER, Philippe. Parties are not what they once where. In: DIAMOND, Larry; GUNTHER, Richard (Ed.). Political Parties and Democracy. Baltimore, The Johns Hopkins University Press, 2001. p. 67-89.

SHUGART, Matthew; CAREY, John. Presidents and Assemblies: Constitutional design and electoral dynamics. Cambridge: Cambridge University Press, 1992. https://doi.org/10.1017/CBO9781139173988

SOUZA, Maria do Carmo Campello de. Estado e Partidos Políticos no Brasil (1930-1964). 3. ed., São Paulo: Alfa-Ômega, 1980.

TILLY, Charles. Big Structures, Large Processes, Huge Comparisons. New York: The Russell Sage Foundation, 1984.

TILLY, Charles. Democracy. New York: Cambridge University Press, 2007.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1980-864X.2.31672

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

e-ISSN: 1980-864X | ISSN-L: 0101-4064

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios - www.publicationethics.org



AVALIAÇÃO QUALIS CAPES - 2016 
ÁREA CAPES - História
CLASSIFICAÇÃO - A2

INDEXADORES E PORTAIS

  • Web of Science - Master Journals List (Clarivate Analytics)
  • SSCI - Social Sciences Citation Index (Clarivate Analytics)
  • AHCI - Arts and Humanities Citation Index (Clarivate Analytics)
  • Scopus (Elsevier)
  • SJR - ScIMAGO Journal & Country Rank (Elsevier)
  • Historical Abstracts with Full Text (EBSCO)
  • Academic Search Premier (EBSCO)
  • Fonte Acadêmica (EBSCO)
  • Fuente Academica (EBSCO)
  • CLASE - Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades
  • DOAJ - Directory of Open Access Journals
  • LATINDEX - Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal
  • REDALYC - Red de Revistas Científicas de América Latina y el Caribe, España y Portugal
  • Portal CAPES

FATOR DE IMPACTO NO SJR (SCImago Journal & Country Rank)

SCImago Journal & Country Rank

Licença Creative Commons OriginalityCheck®
Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional. 
TurnITin
Todos os artigos são submetidos ao software Turnitin, antes de iniciar qualquer tipo de avaliação.
Diadorim  Open Access 
Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul. 
 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS