Acción e institución en el pensamiento político de Hannah Arendt: lecturas de Sobre la Revolución

Julia Gabriela Smola

Resumo


***Ação e instituição no pensamento político de Hannah Arendt: leituras de Sobre a Revolução***

Como diz Margaret Canovan, On Revolution é um dos livros menos estudados y menos compreendidos de Hannah Arendt e os nossos países não são uma exceção à regra. No entanto, o texto é de grande importância para explorar algumas questões em Arendt que, apesar de ter continuidade, são menos desenvolvidos em seus outros livros. Nele, Arendt enfoca a dimensão instituinte da ação política revolucionária. Esse é um elemento essencial para temos uma visão mais completa do pensamento político da Hannah Arendt e pensamos as nossas realidades políticas da América Latina. Neste trabalho, então, oferecemos certos elementos de análise do pensamento político de Hannah Arendt como eles aparecem na sua obra Sobre a Revolução. Vamos enquadrar a nossa leitura entre duas interpretações que, na nossa opinião, são igualmente interessantes, muito influentes no contexto da América Latina, e que são referências essenciais para a compreensão da obra de Arendt, mas diferem quanto à interpretação dada ao seu pensamento político e, em particular, quanto ao local que as instituições políticas ocupam nele. Essas são as interpretações de Étienne Tassin sobre os paradoxos da revolução na obra de Arendt e de Margaret Canovan sobre o novo republicanismo arendtiano. Em seguida, vamos desenvolver algumas chaves para uma leitura própria de On Revolution entre as duas posições. Finalmente, vamos oferecer uma conclusão e trazer os pontos mais importantes do nosso argumento.


Palavras-chave


Ação; Instituição; Revolução; Hannah Arendt.

Texto completo:

PDF (Español (España))

Referências


ABENSOUR, Miguel. Hannah Arendt contre la philosophie politique? Paris: Sens & Tonka, 2006.

ARENDT, Hannah. La condición humana. Buenos Aires: Paidós, [1951] 2003.

ARENDT, Hannah. Concern with Politics in Recent European Philosophical Thought (1954). In: Essais in Understanding. New York: Hancourt, Brace& Co, 1994. p. 428-479.

ARENDT, Hannah. Totalitarian Imperialism: Reflections on Hungarian Revolution. The Journal of Politics, Cambridge, v. 20, n. 1, p. 5-43, Feb. 1958.

ARENDT, Hannah. Sobre la Revolución. Buenos Aires: Alianza, [1963] 1992.

ARENDT, Hannah. La vida del espíritu. Buenos Aires: Paidós, [1978] 2002.

BACCI, Claudia Andrea. Recepción de las obras de Hannah Arendt en la argentina: lecturas e intervenciones intelectuales (1942- 2000). 2010. Tesis (Maestría) – Facultad de Ciencias Sociales (Fsoc), Universidad de Buenos Aires, Buenos Aires, 2010.

CANOVAN, Margaret. Hannah Arendt: a reinterpretation of her political thought. Cambridge: Cambridge University Press, 1992. https://doi.org/10.1017/CBO9780511521300

FORTI, Simona. Introduction: Hannah Arendt's Legacy at 100 Years of Her Birth. Revista de Ciencia Política, v. 20, n. 2, p. 121-123, 2006.

HILB, Claudia. Intramuros: ¿puede haber un mundo sin promesa? Revista Sociedad, v. 1, p. 167-185, Oct. 1992.

HUNZIKER, Paula Leonor. Filosofía, política y platonismo: Investigación sobre la lectura arendtiana de Kant, en el marco de su reflexión crítica sobre la herencia filosófica, durante los a-os cincuenta y sesenta. 2015. Tesis (Doctorado) – Facultad de Filosofía y Humanidades (FFyH), Universidad Nacional de Córdoba (UNC), Córdoba, 2015.

LESGART, Cecilia. Usos de la transición a la Democracia. Ensayos, Ciencia y Política en la década del '80. Rosario: Hommo Sapiens, 2003.

REANO, Ariana. Los lenguajes políticos de la democracia. El legado de los a-os ochenta: Controversia, Unidos y La Ciudad Futura. 2011. Tesis (Doctorado en Ciencias Sociales) – Instituto del Desarrollo Económico y Social (IDES) y Universidad Nacional de General Sarmiento (UNGS), Buenos Aires, 2011.

TASSIN, Étienne. Le trésor perdu. Hannah Arendt. L'intélligence de l'action politique. Paris: Payot & Rivages, 1999.

TASSIN, Étienne. Le malefice de la vie à plusieurs. La politique

est-elle vouée à l'échec? Paris: Bayard, 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1980-864X.2017.3.26144

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

e-ISSN: 1980-864X | ISSN-L: 0101-4064

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios - www.publicationethics.org



AVALIAÇÃO QUALIS CAPES - 2016 
ÁREA CAPES - História
CLASSIFICAÇÃO - A2

INDEXADORES E PORTAIS

  • Web of Science - Master Journals List (Clarivate Analytics)
  • SSCI - Social Sciences Citation Index (Clarivate Analytics)
  • AHCI - Arts and Humanities Citation Index (Clarivate Analytics)
  • Scopus (Elsevier)
  • SJR - ScIMAGO Journal & Country Rank (Elsevier)
  • Historical Abstracts with Full Text (EBSCO)
  • Academic Search Premier (EBSCO)
  • Fonte Acadêmica (EBSCO)
  • Fuente Academica (EBSCO)
  • CLASE - Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades
  • DOAJ - Directory of Open Access Journals
  • LATINDEX - Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal
  • REDALYC - Red de Revistas Científicas de América Latina y el Caribe, España y Portugal
  • Portal CAPES

FATOR DE IMPACTO NO SJR (SCImago Journal & Country Rank)

SCImago Journal & Country Rank

Licença Creative Commons OriginalityCheck®
Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional. 
TurnITin
Todos os artigos são submetidos ao software Turnitin, antes de iniciar qualquer tipo de avaliação.
Diadorim  Open Access 
Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul. 
 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS