Conflitos entre vendedores ambulantes de leite in natura e donos de laticínios na cidade de Campo Grande (décadas de 1960-70)

Nataniél Dal Moro

Resumo


Este artigo focaliza a história da cidade de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Brasil, entre as décadas de 1960-70, recuperando questões pouco abordadas na historiografia local. Tendo como fonte privilegiada o impresso Correio do Estado, intentou-se estudar alguns aspectos dos conflitos travados entre setores da elite local e integrantes do povo comum. Entendemos que as matérias publicadas no periódico Correio do Estado não mostram propriamente a história da cidade de Campo Grande, tampouco da maioria dos agentes que nela estavam. Antes, esse conjunto de fontes externa com riqueza de detalhes a história da atuação política desse meio de comunicação. À época, o impresso questionou e, ainda, desqualificou as atividades realizadas pelos leiteiros ambulantes na cidade de Campo Grande. Ao mesmo tempo, defendeu abertamente a política de industrialização do leite in natura.


Palavras-chave


Cidade; Elite local; Pessoas comuns; Leiteiros; Jornal impresso

Texto completo:

PDF

Referências


BENJAMIN, Walter. Teses sobre filosofia da história. In: KOTHE, Flávio (Org.). Sociologia. São Paulo: Ática, 1985.

BITTAR, Mariluce. Da promoção à assistência social: Campo Grande na luta pela cidadania. In: CUNHA, Francisco Antônio Maia da (Coord.). Campo Grande: 100 anos de construção. Campo Grande: Matriz, 1999.

DARNTON, Robert. In: PALLARES-BURKE, Maria Lúcia Garcia. As muitas faces da história. Nove entrevistas. São Paulo: UNESP, 2000.

FENELON, Déa Ribeiro. Cultura e história social: historiografia e pesquisa. In: Projeto História, n. 10, p. 73-90, 1993.

HOBSBAWM, Eric. Sobre história. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

MARTINS, Sérgio Ricardo Oliveira. Migração em Campo Grande: a itinerância do subproletariado vista pelas instituições assistencialistas do Município. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Geografia) – Faculdades Unidas Católicas de Mato Grosso (FUCMT), Campo Grande, 1991.

MARX, Karl. La ley sobre los robos de leña. In: MARX, Karl. Escritos de juventud. México: Fondo de Cultura Econômica, 1987.

MORO, Nataniél Dal. Modernização urbano-citadina e representações sobre os trabalhadores na cidade de Campo Grande (décadas de 1960-70). Dissertação (Mestrado em História Social) – Programa de Estudos Pós-Graduados em História, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), São Paulo, 2007.

______. O pensar da elite sobre o povo comum: espaço público, viver urbano e reterritorialização do centro da cidade de Campo Grande (décadas de 1960-70). 2012. Tese (Doutorado em História Social) – Programa de Estudos Pós-Graduados em História, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), São Paulo, 2012.

______. Representações da elite sobre o “povo comum” na cidade de Campo Grande (décadas de 1960-70). In: Fronteiras, Dourados, v. 11, n. 20, p. 123-149, jul.-dez. 2009.

PEDROCCO, Giorgio. A indústria alimentar e as novas técnicas de conservação. In: FLANDRIN, Jean-Louis; MONTANARI, Massimo (Dir.). História da alimentação. 6. ed. São Paulo: Estação Liberdade, 1998.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. Uma outra cidade: o mundo dos excluídos no final do século XIX. São Paulo: Nacional, 2001.

SHARPE, Jim. A história vista de baixo. In: BURKE, Peter (Org.). A escrita da história: novas perspectivas. São Paulo: UNESP, 1992.

SILVA, José Graziano da. A modernização dolorosa: estrutura agrária, fronteira agrícola e trabalhadores rurais no Brasil. Rio de Janeiro: Zahar, 1982.

SODRÉ, Nelson Werneck. Oeste: ensaio sobre a grande propriedade pastoril. Rio de Janeiro: José Olympio, 1941.

SOUZA, Laura de Mello e. Desclassificados do ouro: a pobreza mineira no século XVIII. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1982.

THOMPSON, Edward Palmer. A formação da classe operária inglesa. A árvore da liberdade. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987a. Vol. 1.

______. A história vista de baixo. In: NEGRO, Antonio Luigi; SILVA, Sergio (Org.). As peculiaridades dos ingleses e outros artigos. Campinas: UNICAMP, 2001.

______. Senhores e caçadores: a origem da Lei Negra. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987b.

TODOROV, Tzvetan. O homem desenraizado. Rio de Janeiro: Record, 1999.

VILAR, Pierre. História do direito, história total. In: Projeto História, n. 33, p. 19-44, 2006.

Fontes:

Atentado à Saúde Pública e concorrência desleal. Correio do Estado, Campo Grande, 22 set. 1970, p. 1.

Aviso aos leiteiros, intermediários e produtores de leite. Correio do Estado, Campo Grande, 13 mar. 1972, p. 1.

BRASIL (União). Regulamento da Inspeção Sanitária de Produtos de Origem Animal e Industrial. Decreto 1.255, de 25 de junho de 1962.

CAMPO GRANDE (Município). Poder executivo. Prefeitura Municipal de Campo Grande. Resolução n. 43, de 27 de abril de 1921. Estabelece o Código de Posturas do Município.

Decreto-lei n. 923, de 10 de outubro de 1969. Correio do Estado, Campo Grande, 9 mar. 1972, p. 9.

Decreto-lei proíbe venda de leite e vai ser regulamentado. Correio do Estado, Campo Grande, 14 out. 1969, p. 1.

É puro o leite que consumimos. Correio do Estado, Campo Grande, 13 ago. 1969, p. 1.

Em breve será uma realidade o Laticínios Campo Grande. Correio do Estado, Campo Grande, 28 maio 1966, p. 5.

Esta indústria está sendo prejudicada. Correio do Estado, Campo Grande, 10 mar. 1972, p. 1 e 6.

FUNDAÇÃO INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (FIBGE); Setor de Documentação e Disseminação de Informações (SDDI/MS). Evolução da população, por situação de domicílio, segundo os Censos de 1940, 1950, 1960, 1970, 1980 e 1991; contagem da população 1996 e Censo 2000. Campo Grande: IBGE-SDDI/MS, 2003.

LATICÍNIOS CAMPO GRANDE. A pedido – Venda de leite cru causa preocupação ao Laticínios Campo Grande S/A. Correio do Estado, Campo Grande, 9 jan. 1971, p. 7.

Laticínios Campo Grande S/A. Correio do Estado, Campo Grande, 12 fev. 1965, p. 5.

Leite com água, leiteiro autuado. Correio do Estado, Campo Grande, 16 mar. 1963, p. 6.

Leite pasteurizado tem decreto. Correio do Estado, Campo Grande, 31 jul. 1969, p. 1.

Leite x água! Correio do Estado, Campo Grande, 11 jul. 1964, p. 1.

O leite. Correio do Estado, Campo Grande, 13 ago. 1969, p. 2.

Povo está sendo roubado. Correio do Estado, Campo Grande, 21 nov. 1963, p. 1.

Será que compensa? Correio do Estado, Campo Grande, 30 out. 1970, p. 5.

SERRA, Ulysses. Camalotes e guavirais. São Paulo: Clássico- Científica, 1971.

SILVA, Hermano Ribeiro da. Garimpos de Mato Grosso. Viagens ao Sul do Estado e ao lendário rio das Garças. Rio de Janeiro: Saraiva, 1954.

Só leite pasteurizado pode ser consumido pelo público. Correio do Estado, Campo Grande, 23 fev. 1972, p. 1.

Somente leite pasteurizado pode ser fornecido à população. Correio do Estado, Campo Grande, 13 out. 1969, p. 1.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1980-864X.2017.2.24609

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

e-ISSN: 1980-864X | ISSN-L: 0101-4064

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios - www.publicationethics.org



AVALIAÇÃO QUALIS CAPES - 2016 
ÁREA CAPES - História
CLASSIFICAÇÃO - A2

INDEXADORES E PORTAIS

  • Web of Science - Master Journals List (Clarivate Analytics)
  • SSCI - Social Sciences Citation Index (Clarivate Analytics)
  • AHCI - Arts and Humanities Citation Index (Clarivate Analytics)
  • Scopus (Elsevier)
  • SJR - ScIMAGO Journal & Country Rank (Elsevier)
  • Historical Abstracts with Full Text (EBSCO)
  • Academic Search Premier (EBSCO)
  • Fonte Acadêmica (EBSCO)
  • Fuente Academica (EBSCO)
  • CLASE - Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades
  • DOAJ - Directory of Open Access Journals
  • LATINDEX - Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal
  • REDALYC - Red de Revistas Científicas de América Latina y el Caribe, España y Portugal
  • Portal CAPES

FATOR DE IMPACTO NO SJR (SCImago Journal & Country Rank)

SCImago Journal & Country Rank

Licença Creative Commons OriginalityCheck®
Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional. 
TurnITin
Todos os artigos são submetidos ao software Turnitin, antes de iniciar qualquer tipo de avaliação.
Diadorim  Open Access 
Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul. 
 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS