Historiografia sobre mutualismo (1875-1914) em Portugal e no Brasil

Ronaldo Pereira de Jesus

Resumo


Análise da produção historiográfica acerca do fenômeno associativo mutualista em perspectiva comparada no Brasil e em Portugal, tendo em vista o fenômeno associativo em geral e o mutualismo em particular, observado como objeto de investigação histórica ao longo do século XX e como uma das principais expressões da cultura associativa dos trabalhadores urbanos no período entre 1875 e 1914.


Palavras-chave


mutualismo; cultura associativa; era dos impérios

Texto completo:

PDF

Referências


AMZALAK, Moses Bensabat. O mutualismo e o cooperativismo na indústria da pesca de bacalhau; Comunicação feita ao Congresso da Pesca do Bacalhau reunido em Aveiro em 8 e 9 de outubro de 1923 e promovido pela Associação da Classe dos Armadores de Navios de Portugal. Lisboa: Tipografia da Empresa Diário de Notícias, 1923.

ANSELMO, Manuel. O mutualismo como doutrina social; Conferência promovida a 21 de janeiro de 1933 em Viana-do- Castelo, na Associação Marítima, e repetida depois, em Monção, no Teatro Cine, a convite da Associação de Socorros Mútuos “A Artística Monçanense”. Viana do Castelo: Tipografia Comercial A Aurora do Lima, 1933.

______. As ideias sociais e filosóficas do Estado Novo; Conferência proferida em Lisboa, no Teatro de São Carlos, a 23 de janeiro de 1934, sob a presidência de Sua Excelência, o Sr. Ministro do Interior, Capitão Raul Gomes Pereira. Porto: Livraria Tavares Martins, 1934.

______. O mutualismo como doutrina social; esboço filosófico. Abertura de Antero Figueiredo. 2. ed. Porto: Livraria Civilização, 1938.

ARRIGHI, Giovanni. The Long Twentieth Century; money, power, and the origins of our times. London; New York: Verso, 1994.

BARROS, Carlos Pestana; SANTOS, J. C. Gomes (Orgs.). O Mutualismo Português; solidariedade e progresso social. Lisboa: Vulgata, 1998.

BASTOS, A. de Magalhães. Origens e tradições do mutualismo português e em especial do Portuense; separata do “Boletim Cultural” da Câmara Municipal do Porto, v. I, fac. I. Porto: Tipografia Leitão, mar. 1938.

BATALHA, Cláudio H. M. Sociedades de Trabalhadores no Rio de Janeiro do século XIX: algumas reflexões em torno da formação da classe operária. Cadernos AEL: sociedades operárias e mutualismo, Campinas: IFCH/Unicamp, v. 6, n. 10/11, p. 41-68, 1999.

______. Relançando o debate sobre o mutualismo no Brasil: as relações entre corporações, irmandades, sociedades mutualistas de trabalhadores e sindicatos à luz da produção recente. Revista Mundos do Trabalho, v. 2, n. 4, p. 12-22, ago.-dez. 2010.

BATALHA, Cláudio H. M.; SILVA, Fernando Teixeira da; FORTES, Alexandre (Orgs.). Culturas de classe: identidade e diversidade na formação do operariado. Campinas, São Paulo: Editora da UNICAMP, 2004.

BENTO, Miguel da Conceição. Vida e morte numa mina do Alentejo; pobreza, mutualismo e provisão social; o caso de S. Domingo (Mértola) na primeira metade do século XX. Castro Verde: 100 Luz, 2013.

BOSI, Alfredo. A escravidão entre dois liberalismos. In: Dialética da colonização. São Paulo: Companhia das Letras, 1992. p. 194-245.

BRÁS, Rui Manuel. Formas institucionais e sistema de valores; as associações de sapateiros de Lisboa da segunda metade do século XIX ao Estado Novo. Oeiras: Celta Editora, 2004.

BRETES, Faustino. Centenário do mutualismo em Torres Novas. Coimbra: Coimbra Editora, 1962.

CARDOSO, José Luís; ROCHA, Maria Manuela. O seguro social obrigatório em Portugal (1919-1928); acção e limites de um

Estado previdente. Análise Social, v. XLIV, n. 192, p. 439-470, 2009.

CARONE, Edgar. Movimento operário no Brasil (1877-1944). São Paulo: Difel, 1979.

CARVALHO, Domingos. Mutualismo; a força do associativismo democrático. Lisboa: Ciência Gráfica, 1998. (Cadernos CA-3).

CARVALHO, José Murilo de. Brasil 1870-1914: a força da tradição. In: Pontos e bordados: escritos de história e política. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 1998. p. 107-129.

______. Mandonismo, coronelismo, clientelismo: umadiscussão conceitual. In: Pontos e bordados: escritos de história e política. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 1998. p. 130-154.

ELLUCCI, Aldrin A. S. Trabalhadores e política no Brasil; do aprendizado do Império aos sucessos da Primeira República. Salvador: Editora da Universidade do Estado da Bahia, 2015.

CEDEÑO, Reynaldo Sordo. Las sociedades de socorros mutuos, 1867-1880. Historia Mexicana, v. 33, n. 1, p. 72-96, jul.-sept. 1983.

CHALHOUB, Sidney. Solidariedade e liberdade; sociedades beneficentes de negros e negras no Rio de Janeiro na segunda metade do século XIX. In: CUNHA, Olívia Maria Gomes da;

GOMES, Flávio dos Santos (Orgs.). Quase-cidadão; histórias e antropologias da pós-emancipação. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2007. p. 219-240.

COELHO, Elmano de Lage Simões. Cem anos depois (1872- 1972); publicação comemorativa do Centenário de Associações de Socorros Mútuos de Empregados no Comércio de Lisboa. Lisboa: Associação de Socorros Mútuos dos Empregados no Comércio de Lisboa, 1973.

CONGRESSO DAS ASSOCIAÇÕES PORTUGUESAS; Junta do Departamento Sul. Primeiro Congresso das Associações Portuguesas realizado na Câmara Municipal de Lisboa; Desde 10 a 18 de junho de 1882. Lisboa: Tipografia Universal, 1883a.

______. Relatório sobre a Federação dos Serviços Clínicos e Administrativos; apresentado pela respectiva seção na sessão da Junta do Departamento Sul de 2 de julho de 1883. Lisboa: Tipografia Universal, 1883b.

______. Primeiro Congresso das Associações Portuguesas realizado na Câmara Municipal de Lisboa; Desde 10 a 15 de junho de 1883; Relatórios das Seções da Junta do Departamento do Sul. Lisboa: Tipografia Universal, 1884.

CONGRESSO NACIONAL DE MUTUALIDADE. Da ação da mutualidade na Federação dos Serviços Farmacêuticos; Liga das Associações das Farmácias. Porto: [s.n.], 1910a.

______. Do processo de estruturação, contabilidade e estatística das associações de socorros mútuos; Tese Subsidiária. Porto: [s.n.], 1910b.

______. Justificação dos fatores que obstaram a construção de uma liga associativa em Lisboa para os serviços farmacêuticos – 1906-1910. Lisboa: [s.n.], 1910c.

______. Subsídios para a reforma do Decreto de 2 de outubro de 1886. Lisboa: [s.n.], 1910d.

______. Tese XIV; Da ação da mutualidade na federação dos serviços farmacêuticos; Liga das Associações; Das farmácias. Lisboa: [s.n.], 1910e.

______. Tese XIV; Da ação da mutualidade na federação de serviços farmacêuticos; Liga das Associações de Farmácias; Das farmácias mutualistas. Porto: [s.n.], 1910f.

CORREIA, Rui Antunes. Uns aos outros; o Montepio Caldense (1860-1890). Rio Maior: Grafiartes, 2000.

COSTA JÚNIOR, José Maria Marques. A organização de classes. Angra do Heroísmo: Tipografia Andrade, 1937.

______. História Breve do Movimento Operário Português. Lisboa: Verbo, 1964. COSTA JÚNIOR, José Maria Marques. Movimento operário português. Lisboa: Verbo, 1964.

COSTA, Ramiro da. O desenvolvimento do capitalismo em Portugal. Lisboa: Assírio & Alvim, 1975.

______. Elementos para a história do movimento operário em Portugal. 1º volume 1820-1929. Lisboa: Assírio & Alvim, 1979.

COSTA, Severino. Mutualismo e fraternidade humana; conferência proferida na Associação Fraternal dos Artistas Vianenses durante a Semana do Mutualismo. Viana: Tipografia Comercial “A Autora do Lima”, 1933.

CUNHA, F. Carmo. Manifestações do espirito de previdência; o Mutualismo; Conferência realizada no Montepio Geral no dia 18 de Janeiro de 1933. Lisboa: Instituto Superior de Ciências Económicas e Financeiras, 1933.

DAVIS, Mike. Late Victorian Holocausts; El Nino, famines and the making of the Third World. London; New York: Verso, 2001.

DREYFUS, Michel. Liberté, Égalité, Mutualité. Mutualisme et Syndicalisme, 1852-1967. Paris: Les Éditions de l’Atelier / Éditions Ouvrières, 2001.

FERREIRA, Jaime. Para a história do mutualismo; nas bodas de ouro de “A Previdência”. Porto: Tipografia Marca, 1978.

FIELDHOUSE, David Kenneth. The colonial empires; a comparative survey from the eighteenth century. New York: Delacorte Press, 1967.

FONSECA, Carlos da. A origem da 1ª Internacional em Lisboa; o centenário da Federação Portuguesa. Lisboa: Editorial Estampa, 1978.

______. História do Movimento Operário e das Idéias Socialistas em Portugal; I – Cronologia. Viseu: Europa-América, 1980.

______. História do Movimento Operário e das Idéias Socialistas em Portugal; III – O Operariado e a Igreja militante (Da Rerum Novarum à implantação da República). Viseu: Europa-América, 1981.

_____. História do Movimento Operário e das Idéias Socialistas em Portugal; IV – Greves e ______. operárias. Viseu: Europa-América, 1982.

FONSECA, Fernandes da. Número único para comemorar o aniversário do benemérito iniciador das associações mútuas em Portugal. Lisboa: Tipografia do Comércio de Portugal, 1887.

FONSECA, Vitor Manuel Marques da. No gozo dos direitos civis: associativismo no Rio de Janeiro (1903-1915). Rio de Janeiro/Niterói: Arquivo Nacional/Muiraquitã, 2008.

FREIRE, João. Anarquistas e Operários; ideologia, ofício e práticas sociais: o anarquismo e o operariado em Portugal (1900-1940). Porto: Afrontamento, 1992.

______ (Org.). Associações Profissionais em Portugal. Oeiras: Celta Editora, 2004.

GOMES, Álvaro Reis. Mutualismo; Conferência realizada no salão nobre do Montepio Madeirense em 20 de janeiro de 1933. Funchal: Tipografia Diário da Madeira, 1933.

GONÇALVES, Luiz. A evolução do movimento operário em Portugal. Lisboa: Adolpho de Mendonça & Cia., 1905.

GOODOLPHIM, José Cypriano da Costa. A Associação: história e desenvolvimento das associações portuguesas. Lisboa: Tipografia Universal, 1876.

______. A Previdência: Associações de Socorros Mútuos, Cooperativas, Caixas de Pensões e Reformas, Caixas Econômicas. Lisboa: Imprensa Nacional, 1889.

GRILLO, J. Francisco. Mutualismo rural e crédito agrícola: primeira tentativa de sua criação em Portugal sem encargos para o Estado, baseada numa Lei que torne obrigatória a mutualidade agrícola. Lisboa: Livraria Ferin Baptista Torres, 1912.

GUTMAN, H. Work, culture and society industrializing America. New York: Vintage Books, 1977.

HANAGAN, M. P. The logic of solidarity. Chicago: University of Illinois Press, 1980.

HARVEY, David. The enigma of capital: and the crises of capitalism. London: Profile Books, 2010.

HENRIQUES, Maria Adosinda. Origens do associativismo na Beira Litoral: da tradição à modernidade. Lisboa: Direção Geral de Desenvolvimento Rural, 1999.

HOBSBAWM, Eric J. Labour History and Ideology. In: Workers: worlds of labor. New York: Pantheon Books, 1984.

HOBSBAWM, Eric J. The Age of Empire, 1875-1914. New York: Pantheon Books, 1987.

JESUS, Ronaldo P. de. História e historiografia do fenômeno associativo no Brasil monárquico. In: ALMEIDA, Carla M. C.; OLIVEIRA, Mônica R. de. Nomes e números: alternativas econômicas para a história econômica e social. Juiz de Fora: Ed. UFJF, 2006.

______. Associativismo no Brasil do século XIX: repertório crítico dos registros de sociedades no Conselho de Estado (1860-1889), Locus: Revista de História. v. 13, n. 1, 144-170, 2007.

______. Mutualismo entre ex-escravos e operários no Rio de Janeiro. In: LOBO, Valéria Marques; DELGADO, Ignácio Godinho; VISCARDI, Cláudia Maria Ribeiro (Orgs.). Trabalho, proteção e direitos: o Brasil além da Era Vargas. Juiz de Fora: Ed. UFJF, 2010. p. 9-27.

JESUS, Ronaldo P. de; MALERBA, Jurandir. Marxism and Brazilian Historiography. In: WANG, Q Edward; IGGERS, Georg G. Marxist Historiographies: a global perspective. London; New York: Routledge, 2016. p. 142-173.

KUSCHNIR, Beatriz. Baile de máscaras. Mulheres judias e prostituição: as polacas e suas associações de ajuda mútua. Rio de Janeiro: Imago, 1996.

LACERDA, David P. Solidariedade entre ofícios; a experiência mutualista no Rio de Janeiro (1860-1882). 2011. Dissertação (Mestrado em História) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade de Campinas, Campinas, 2011.

LEUCHTENBERGER, Rafaela. O lábaro protetor da classe operária; as associações voluntarias de socorros-mútuos dos trabalhadores em Florianópolis, Santa Catarina (1886-1932). 007. Dissertação (Mestrado em História) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade de Campinas, Campinas, 2007.

LIMA, João Evangelista Campos. Movimento operário em Portugal. Lisboa: Guimarães & Cia., 1910.

LIMA, José Lobo D’Avila. Movimento operário em Portugal. Lisboa: Ferreira & Oliveira, 1905.

______. Socorros Mútuos e Seguros Sociais. Coimbra: Imprensa da Universidade, 1909.

LINDEN, Marcel van der. Social Security Mutualism. The Comparative History of Mutual Benefit Societies. Bern: Peter Lang, 1996.

LOBO, Eulália Maria Lehmeyer; STOTZ, Eduardo Navarro. Formação do operariado e movimento operário no Rio de Janeiro, 1870-1894. Estudos Econômicos, São Paulo, v. 15, 49-88, 1985.

LOPES, Raimundo José Ferreira. Sociedade de Instrução e Beneficência: “A Voz do Operário”, uma associação representativa da classe dos Manipuladores de Tabaco, em particular, e da classe operária, em geral. 1995. Dissertação (Mestrado em Antropologia Cultural e Social da Cultura) – Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Lisboa, 1995.

LOUSADA, Maria Alexandre. Associações profissionais: tradição e renovação. In: FREIRE, João (Org.). Associações Profissionais em Portugal. Oeiras: Celta Editora, 2004. p. 21-55.

LUCA, Tânia R. de. O sonho do futuro assegurado: o mutualismo em São Paulo. São Paulo: Contexto, 1990.

LUNET, Carlos Alberto Homem de Figueiredo. Associativismo e mutualismo: Associação de Socorros Mútuos “19 de Março” (1892-1992). Tondela: Tipografia Tondelgráfica, 1996.

MAC CORD, Marcelo. Artífices da Cidadania: mutualismo, educação e trabalho no Recife oitocentista. Campinas: Editora da Unicamp, 2012.

MAC CORD, Marcelo; BATALHA, Cláudio H. M. (Org.). Organizar e Proteger: trabalhadores, associações e mutualismo no Brasil (séculos XIX e XX). Campinas: Editora da Unicamp, 2014.

MAÇARICO, Luís Filipe. Associativismo, patrimônio e cidadania. [S.l.]: Ciência Gráfica, 2010.

MACIEL, Osvaldo B. A. A Perseverança dos Caixeiros: o mutualismo dos trabalhadores do comércio em Maceió. Recife: EDUFPE, 2011.

MALHEIRO, José. Associativismo popular: originalidade do povo português. Almada: Câmara Municipal de Almada, 1996.

MARQUES, Emília Margarida. A associação “Recurso Operário”: antecedentes e alguma contextualização. Marinha Grande: Museu Santos Barbosa da Fabricação do Vidro, 1997.

MARTINS, José António de Jesus. Da Irmandade do Corpo Santo dos mareantes e pescadores da cidade de Lagos à “A Lacobrigense” Associação de Socorros Mútuos (1749-1999). Lagos: A Lacobrigense, 2000.

______. História breve da Associação dos Bombeiros Voluntários de Lagos (1886- 1990). Lagos: Associação dos Bombeiros Voluntários, 1991.

MARTINS, Mônica de Souza Nunes. Entre a Cruz e o Capital: as corporações de ofícios após a chegada da família real (1808-1824). Rio de Janeiro: Editora Garamond, 2008.

MASCARENHAS, João Mário; SILVA, João Evaristo. Socialismo em Portugal: os primeiros ecos. Lisboa: Câmara Municipal de Lisboa/Biblioteca Museu da República e Resistência, 1988.

MAYER, Arno J. The persistence of the Old Regime: Europe to the Great War. London: Pantheon Books, 1981.

MELO, Daniel; SILVA, Eduardo Caetano (Orgs.). Construção da Nação e Associativismo na Emigração Portuguesa. Lisboa: ICS. Imprensa de Ciências Sociais, 2009.

MELO, Lilia; REIS, Suzana. Mutualismo na área da Grande Lisboa: principais características e perspectiva de evolução. In: BARROS, Carlos Pestana; SANTOS, J. C. Gomes (Orgs.). O Mutualismo Português: solidariedade e progresso social. Lisboa: Editora Vulgata, 1998. p. 69-99.

MÓNICA, Maria Filomena. O Movimento Socialista em Portugal (1875-1934). Lisboa: Casa da Moeda / Instituto de Estudos para o Desenvolvimento, 1985.

______. Artesãos e operários: indústria, capitalismo e classe operária em Portugal (1870-1934). Lisboa: ICS – Universidade de Lisboa, 1986.

______. Capitalistas e industriais. 1870-1914. Análise Social, v. XXIII, n. 99, p. 819-863, 1987.

MONTEIRO, Alcides A. Associativismo e Novos Laços Sociais.Coimbra; Quarteto, 2004.

MORAES FILHO, Evaristo de. O problema do sindicato único no Brasil: seus fundamentos sociológicos. Rio de Janeiro: Editora A Noite, 1952.

MUNCK, Ronaldo. Mutual benefit societies in Argentina; workers, nationality, social security and trade unionism. Journal of Latin American Studies, Cambridge, n. 30, p. 573- 590, 1998.

NOMELINI, Paula C. B. Associações operarias mutualistas e recreativas em Campinas (1906-1930). 2007. Dissertação (Mestrado em História) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade de Campinas, Campinas, 2007.

NUNES, Américo; CABRITA, Daniel; MARTINS, Emídio; ROCHA, Francisco Canais; CARTAXO, Ernesto; BARRETO, Kalídas; RANITA, Víctor. Contributo para a História do Movimento Operário e Sindical: das raízes até 1977. Lisboa: CGTP-IN – Departamento de Cultura e Tempos Livres / IBJC – Instituto Bento de Jesus Caraça, 2011.

NUNES, Mário. A Previdência Portuguesa; associação mutualista; 75 anos ao serviço do mutualismo – 1929-2004. Coimbra: Carvalho & Simões, 2004.

OLIVEIRA, César. O Socialismo em Portugal (1850-1900): contribuição para o estudo da filosofia política e do socialismo em Portugal na segunda metade do século XIX. Porto: Afrontamento, 1973.

PEREIRA, João Manuel Esteves. A indústria portuguesa (séculos XII a XIX): com uma Introdução sobre as corporações operárias em Portugal. Lisboa: Empresa do Ocidente, 1900.

PEREIRA, José Pacheco. Elementos para o estudo da origem do movimento operário no Porto: as associações mutualistas (1850-1870). Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1982.

PEREIRA, José Ribeiro. O Mutualismo e o Estado Novo Corporativo: na Seção de Propaganda promovida pela Comissão Concelhia da Vila do Seixal. Lisboa: Tipográfica, [s.d.].

PERROT, Michelle. Les Ovriers en Grève (1871-1890). Paris: Mouton, 1973.

PIKETTY, Thomas. O capital no século XXI. Rio de Janeiro: Editora Intrínseca, 2014.

PITACAS, José Alberto Pereira. Utilidade social e eficiência do mutualismo. 2009. Dissertação (Mestrado em Economia e Política Social) – Instituto Superior de Economia e Gestão, Universidade Técnica de Lisboa. Lisboa, 2009.

POLANYI, Karl. (1944). The great transformation. Boston: Beacon Press, 1968.

QUELHAS, Ana Paula do Canto Lopes Pires Santos. A refundação do papel do Estadonas políticas sociais; a alternativa do movimento mutualista. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Faculdade de Economia, Universidade de Coimbra. Coimbra 1999.

RALLE, Michel. A função da proteção mutualista na construção de uma identidade operária na Espanha (1870-1910), Cadernos AEL: Sociedades Operárias e Mutualismo. Campinas: IFCH/UNICAMP, v. 6, n. 10/11, p. 13-38, 1999.

RAMOS, António Alberto C. P. As coletividades de Almada (1890-1910); associativismo do tipo cultural e recreativo – tentativa de abordagem ao seu estudo. Almada: Gráfica Ideal Cacilhas, 1991.

RECALDE, Héctor. Beneficencia, assistencialismo estatal y previsón social. Buenos Aires: Centro Editor de America Latina, 1991.

RODRIGUES, Edgar. Breve história do pensamento e das lutas sociais em Portugal. Lisboa: Assírio & Alvim, 1977.

______. O despertar operário em Portugal (1834-1911). Lisboa: Sementeira, 1980.

RODRIGUES, José Albertino. Sindicato e desenvolvimento no Brasil. São Paulo: Difusão Europeia do Livro, 1968.

ROSENDO, Vasco. O Mutualismo em Portugal: dois séculos de história e suas origens. Lisboa: Montepio Geral, 1996.

RUIVO, Beatriz; LEITÃO, Eugênio. O sindicalismo do funcionalismo público na I República. Lisboa: Seara Nova, 1977.

SAID, Edward W. Culture and imperialism. New York: Vintage Books, 1994.

SAMUEL, R. Village, life and labour. London: Routledge & Kegan Paul, 1975.

SANTOS, Dina Maria Serrano. Do Mutualismo ao Mercado: a Banca Mutualista em Portugal; estudo de caso: o crédito agrícola mútuo. 2012. Dissertação (Mestrado em Sociologia Económica e das Organizações) – Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa, Lisboa, 2012.

SANTOS, Fernando Piteira. O Centenário da Sociedade “A Voz do Operário”. Lisboa: Sociedade de Instrução e Beneficência “A Voz do Operário”, 1983.

SANTOS, Luiz da Costa. O mutualismo na organização social moderna: conferência da “Semana Mutualista” organizada pelo jornal “O Século” e realizada em 21 de Janeiro de 1933, na Associação dos Empregados do Estado, a convite da Caixa de Sobrevivência “O Futuro”. Lisboa: Revista Portuguesa de Seguros, 1933.

SANTOS, Raul Esteves dos. 1879-1894 A vida da Voz do Operário: da fundação do jornal à inauguração das primeiras escolas. Lisboa: Sociedade de Instrução e Beneficência “A Voz do Operário”, 1932.

______. A grande epopeia dos humildes. Lisboa: Sociedade de Instrução e Beneficência “A Voz do Operário”, 1933.

______. O Tenente-Coronel João Luiz de Moura e a Voz do Operário. Lisboa: Edição Fora do Mercado, 1939.

SANTOS, Victor. Mutualismo; poderoso auxiliar do Estado no arranjo social da Nação; Palestra realizada na sessão solene de comemoração do 84º aniversário da Associação de Socorros Mútuos dos Empregados do Comércio e da Indústria de Lisboa em 6 de Novembro de 1938. Lisboa: [s.n.], 1941.

SARAIVA, Ana Paula Rocha da Costa. Associativismo mutualista em Lisboa na segunda metade do século XIX. 2011. Dissertação (Mestrado em História) ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa, Lisboa, 2011.

SEWELL JR., William H. Work and Revolution in France: the language of labor from the old regime to 1848. Cambridge: Cambridge University Press, 1980.

SILVA JR., Adhemar Lourenço da. As sociedades de socorros mútuos: estratégias privadas e públicas (estudo centrado no Rio Grande do Sul-Brasil, 1854-1940). 2004. Tese (Doutorado em História) – Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2004.

SILVA, Fátima Geraldes da. Associações desportivas, recreativas e culturais: o caso de Covilhã. 2002. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Universidade da Beira Interior. Covilhã, 2002.

SILVEIRA, Jorge. O mutualismo em Portugal; elementos de caráter geral das associações mutualistas. Lisboa: União das Mutualidades Portuguesas, 1986.

SIMÃO, Azis. Sindicato e Estado: suas relações na formação do proletariado de São Paulo. 2. ed. São Paulo: Ática, 1981. SOARES, Francisco Sousa. Internacionalização e descentralização: contributos do associativismo. Lisboa: Ingenium, 2003.

SOUSA, Luís de. Mutualismo: conferência realizada na

Associação Comercial de Angra do Heroísmo. Angra do

Heroísmo: Livraria Andrade, 1933.

SOUSA, Manuel Joaquim de. O sindicalismo em Portugal: esboço histórico. Lisboa: Comissão Escola e Propaganda do Sindicato do Pessoal da Câmara da Marinha Mercante Portuguesa, 1931.

______. O sindicalismo em Portugal. 3. ed. Porto: Afrontamento, 1972.

TARRACHA, Jorge Câncio. Antologia histórica sobre o movimento associativo de Vila Franca de Xira, 1853-1995. Alhandra: Gráfica Alhandrense, 1997.

TAVARES, Virgílio. O centenário da associação de socorros mútuos dos artistas mirandelenses. Guimarães: Editora Cidade Berço, 2001.

THOMPSON, E. P. The making of the english working class. New York: Vintage Books, 1966.

TILLY, L.; SCOTT, J. W. Women, work and family. New York: Holt, Rinehart and Winston, 1978.

VENTURA, Maria da Graça A. Mateus (Org.). O Associativismo. Das Confrarias e Irmandades aos Movimentos Sociais Contemporâneos. Lisboa: Edições Colibri, 2006.

VIANNA, Luiz Werneck. Liberalismo e sindicato no Brasil. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978.

VILAÇA, Helena Carlota Ribeiro. Associativismo e movimentos sociais; modalidades de participação. 1993. Tese (Doutorado em Sociologia) – Faculdade de Letras da Universidade do Porto, Porto, 1993.

VISCARDI, Cláudia Maria Ribeiro. O teatro das oligarquias; uma revisão da política do café com leite. Belo Horizonte: C/Arte, 2001.

______. Mutualismo e Filantropia, Locus: Revista de História, Juiz de Fora, v. 10, n. 1, 99-113, jan.-jun., 2004.

______. As experiências mutualistas em Minas Gerais: um ensaio interpretativo. In: ALMEIDA, Carla M. Carvalho de; OLIVEIRA, Mônica Ribeiro de. (Orgs.). Nomes e números: alternativas metodológicas para a história econômica e social. Juiz de Fora: Ed. UFJF, 2006, p. 305-322.

______. Experiências da prática associativa no Brasil (1860-1880), Topoi: Revista de História, Programa de Pós-Graduação em História Social da UFRJ, v. 9, n. 16, p. 117-136, jan.-jun. 2008.

______. Estratégias Populares de Sobrevivência: Mutualismo e Filantropia no Rio de Janeiro Republicano. Revista Brasileira de História, v. 29, p. 291-315, 2009.

______. JESUS, Ronaldo P. de. A experiência mutualista e a formação da classe trabalhadora no Brasil. In: FERREIRA, Jorge; REIS FILHO, Daniel Aarão (Orgs.). As esquerdas no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007. Vol. 1: A formação das tradições. p. 21-51. VITORINO, Artur J. R. Máquinas e Operários: mudança técnica e sindicalismo gráfico (São Paulo e Rio de Janeiro, 1858-1912). São Paulo: Annablume/FAPESP, 2000.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1980-864X.2016.3.23735

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

e-ISSN: 1980-864X | ISSN-L: 0101-4064

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios - www.publicationethics.org



AVALIAÇÃO QUALIS CAPES - 2016 
ÁREA CAPES - História
CLASSIFICAÇÃO - A2

INDEXADORES E PORTAIS

  • Web of Science - Master Journals List (Clarivate Analytics)
  • SSCI - Social Sciences Citation Index (Clarivate Analytics)
  • AHCI - Arts and Humanities Citation Index (Clarivate Analytics)
  • Scopus (Elsevier)
  • SJR - ScIMAGO Journal & Country Rank (Elsevier)
  • Historical Abstracts with Full Text (EBSCO)
  • Academic Search Premier (EBSCO)
  • Fonte Acadêmica (EBSCO)
  • Fuente Academica (EBSCO)
  • CLASE - Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades
  • DOAJ - Directory of Open Access Journals
  • LATINDEX - Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal
  • REDALYC - Red de Revistas Científicas de América Latina y el Caribe, España y Portugal
  • Portal CAPES

FATOR DE IMPACTO NO SJR (SCImago Journal & Country Rank)

SCImago Journal & Country Rank

Licença Creative Commons OriginalityCheck®
Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional. 
TurnITin
Todos os artigos são submetidos ao software Turnitin, antes de iniciar qualquer tipo de avaliação.
Diadorim  Open Access 
Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul. 
 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS