O golfe e os rumos do Cabo Verde independente

Victor Andrade Melo

Resumo


Em função de uma série de peculiaridades, o golfe tem desempenhado um importante papel na história de Cabo Verde. A prática, que tem uma longa trajetória no arquipélago, em diversas ocasiões foi mobilizada a fim de materializar a ideia de que o cabo-verdiano era portador de um alto padrão civilizacional. No período colonial, essa foi uma das estratégias pelos nativos usada para lidar com o jugo da metrópole, argumento utilizado para requisitar maior respeito às especificidades e atenção às necessidades locais. O que terá mudado nas considerações sobre esse esporte quando chegou a independência (1975)? Que diferenças podem ser sentidas nas décadas seguintes? Neste artigo, argumentamos que os discursos sobre a modalidade nos ajudam a lançar um olhar sobre os debates acerca dos rumos do país insular nos últimos 40 anos.


Palavras-chave


Cabo Verde; esporte; independência; identidade

Texto completo:

PDF

Referências


ALMADA, José Luís Hopffer C. Capitalidades: um olhar retrospectivo sobre alguns aspectos da cultura e da história cabo-verdiana. A Semana online, Praia, 11 mar. 2007. Disponível em: . Acesso em: 12 mar. 2016.

ANDERSON, Benedict. Comunidades imaginadas: reflexões sobre a origem e a expansão do nacionalismo. Lisboa: Edições 70, 1991.

ANJOS, José Carlos Gomes dos. Elites intelectuais e a conformação da identidade nacional em Cabo Verde. Estudos Afro-Asiáticos, Rio de Janeiro, v. 25, n. 3, p. 579-596, 2003.

______. Intelectuais, literatura e poder em Cabo Verde: lutas de definição da identidade nacional. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2006.

ANTUNES, Fátima Martin Rodrigues Ferreira. “Com brasileiro, não há quem possa!”: futebol e identidade nacional em José Lins do Rego, Mário Filho e Nelson Rodrigues. São Paulo: Editora Unesp, 2004.

BARROS, Antero. O Golf Club. Arquipélago, Praia, ano 1, n. 5, 20 set. 1962.

______. Subsídios para a história do golf em Cabo Verde. São Vicente: Clube de Golfe de São Vicente, 1981.

______. Subsídios para a história do cricket em Cabo Verde. Praia: COC/CPV, 1998.

______. O Clube de Golfe de São Vicente não está à venda. O Liberal online, Praia, 24 jun. 2008. Disponível em: . Acesso: 9 jul. 2009.

BRITO, Brígida Rocha. Turismo em meio insular africano. Lisboa: Centro de Estudos Africanos, 2010.

CARDOSO, Katia Aline Lopes Rodrigues. Diáspora: a (décima) primeira ilha de Cabo Verde. A relação entre a emigração e a política externa cabo-verdiana. Dissertação (Mestrado em Estudos Africanos: Desenvolvimento Social e Econômico em África) – Lisboa: Instituto Superior da Ciência do Trabalho e da Empresa, 2004.

ELLERY, Daniele. Identidades em trânsito. Campinas: Arte Escrita, 2009.

ÉVORA, Roselma. A abertura política e o processo de transição democrática em Cabo Verde. Dissertação (Mestrado em Ciência Política) – Brasília: Universidade de Brasília, 2001.

FERNANDES, Gabriel. Em busca da nação: notas para uma reinterpretação do Cabo Verde crioulo. Florianópolis/Praia: Editora da UFSC/Instituto da Biblioteca Nacional e do Livro, 2006.

FREYRE, Gilberto. Foot-ball mulato. Diário de Pernambuco, Recife, 17 de junho de 1938, p. 3.

FURTADO, Cláudio Alves. Cabo Verde: dilemas étnico-identitários num território fluido. Ciências Sociais Unisinos, São Leopoldo, v. 49, n. 1, p. 2-11, jan.-abr. 2013.

HENRIQUES, Joana Gorjão, BATISTA, Frederico. Cabo Verde: o país que tem mais gente fora do que dentro. Público, Lisboa, 5 jul. 2015. Disponível em: . Acesso em: 12 mar. 2016.

O LIBERAL ONLINE, Praia, 17 maio 2008. Disponível em: . Acesso em: 1 jul. 2009.

LOPES, José Vicente. Cabo Verde: os bastidores da independência. Praia: Spleen Edições, 2002.

MADEIRA, João Paulo. África versus Europa: Cabo Verde no Atlântico Médio. Revista de Estudos Internacionais, João Pessoa, v. 4, n. 1, p. 46-59, 2013.

MARANHAO, Tiago. “Apolíneos e dionisíacos”: o papel do futebol no pensamento de Gilberto Freyre a respeito do “povo brasileiro”. Análise Social, Lisboa, n. 179, p. 435-450, 2006.

MARTINS, Filipe. O paradoxo das oportunidades. Jovens, relações geracionais e transformações sócias – notas sobre Cabo Verde. Lisboa: Working Paper CRIA 4, 2010.

MARTINS, João Augusto. Madeira, Cabo Verde e Guiné. Lisboa: Livraria de Antonio Maria Pereira, 1891.

MELO, Victor Andrade de. Jogos de identidade: o esporte em Cabo Verde. Rio de Janeiro: Apicuri/CNPq, 2011.

______. A nação em jogo: esporte e guerra colonial na Guiné Portuguesa (1961-1974). Rio de Janeiro: PPGHC/UFRJ, 2015.

MELO, Victor Andrade de; FORTES, Rafael. Identidade em transição: Cabo Verde e a Taça Amílcar Cabral. Afro-Ásia, Salvador, n. 50, p. 11-44, 2014.

MIRANDA, Nuno de. Compreensão de Cabo Verde. Lisboa: Junta de Investigações do Ultramar, 1963.

MOURÃO, Daniele Ellery. Guiné-Bissau e Cabo Verde: identidades e nacionalidades em construção. Pro-Posições, Campinas, v. 20, n. 1 (58), p. 83-101, jan.-abr. 2009.

NOVO JORNAL DE CABO VERDE, Praia, n. 22, 9 jan. 1975. OLIVEIRA, João Nobre de. A imprensa cabo-verdiana: 1820-1975. Macau: Fundação Macau, 1998.

PAPINI, Brita. Linhas gerais da história do desenvolvimento urbano da cidade do Mindelo. Mindelo: MHOP, 1982.

PEREIRA, Aristides. O meu testemunho: uma luta, um partido, dois países. Lisboa: Notícias, 2003.

PINA, Mario de. Depoimento. Big Tree – Boletim Informativo do Clube de Golfe de São Vicente, Mindelo, n. 2, fev. 2009.

RAMOS, Manuel Nascimento. Mindelo d’outrora. Mindelo: Gráfica do Mindelo, 2003.

RODRIGUES, Odair. Benfica ou Seleção Nacional? 2010. Disponível em: . Acesso em: 11 mar. 2016.

ROQUE, Sílvia, CARDOSO, Kátia. Entre a marginalização e a securitização: jovens e violências em Cabo Verde e na Guiné-Bissau. Revista Cabo-Verdiana de Ciências Sociais, Santiago, ano 1, n. 1, p. 61-84, jan.-jun. 2013.

SILVA, Antonio Leão Correia e. Nos tempos do Porto Grande do Mindelo. Lisboa: CNCDP, 1998.

SILVA, Antonio Correia e. Crônica. Alerta!, Praia, ano 1, n. 1, 27 jun. 1974, p. 9.

______. Espaços urbanos de Cabo Verde – o tempo das cidades-porto. Praia/Mindelo: Centro Cultural Português, 2000.

SILVA, Elísio. Seção de comentários. BARROS, Antero. O Clube de Golfe de São Vicente não está à venda. O Liberal online, Praia, 24 jun. 2008. Disponível em: . Acesso em: 9 jul. 2009.

SILVA, Luiz. Por amor aos terrenos do golf a festa continua… A Semana online, Praia, 8 mar. 2009a. Disponível em: . Acesso em: 11 mar. 2016.

______. A envergonhada guerra do golf de São Vicente. O Liberal online, Praia, 3 mar. 2009b. Disponível em: . Acesso em: 26 jun. 2009.

______. O golfe em São Vicente – escola de civismo, de humilde e solidariedade. O Liberal online, Praia, 6 mar. 2009c. Disponível em: . Acesso em: 26 jun. 2009c.

SOARES, Antonio Jorge. Futebol brasileiro e sociedade: a

interpretação culturalista de Gilberto Freyre. In: ALABARCES, Pablo (Org.). Futbologías: fútbol, identidad y violencia en América Latina. Buenos Aires: CLACSO, 2003. p. 145-162.

SOUSA, Nardi. A outra face do Janus cabo-verdiano: uma

análise crítica da violência juvenil em Cabo Verde. Revista Cabo-Verdiana de Ciências Sociais, Santiago, ano 1, n. 1, 27-60, jan.-jun. 2013.

VERA-CRUZ, Júlio. Seção de comentários. BARROS, Antero. O Clube de Golfe de São Vicente não está à venda. O Liberal online, Praia, 24 jun. 2008. Disponível em: . Acesso em: 9 jul. 2009.

VOZ DI POVO, Praia, ano 1, n. 18, 21 nov. 1975.

VOZ DI POVO, Praia, ano 4, n. 188, 18 abr. 1979.

VOZ DI POVO, Praia, ano 5, n. 239, 20 set. 1980.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1980-864X.2016.3.23429

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

e-ISSN: 1980-864X | ISSN-L: 0101-4064

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios - www.publicationethics.org



AVALIAÇÃO QUALIS CAPES - 2016 
ÁREA CAPES - História
CLASSIFICAÇÃO - A2

INDEXADORES E PORTAIS

  • Web of Science - Master Journals List (Clarivate Analytics)
  • SSCI - Social Sciences Citation Index (Clarivate Analytics)
  • AHCI - Arts and Humanities Citation Index (Clarivate Analytics)
  • Scopus (Elsevier)
  • SJR - ScIMAGO Journal & Country Rank (Elsevier)
  • Historical Abstracts with Full Text (EBSCO)
  • Academic Search Premier (EBSCO)
  • Fonte Acadêmica (EBSCO)
  • Fuente Academica (EBSCO)
  • CLASE - Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades
  • DOAJ - Directory of Open Access Journals
  • LATINDEX - Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal
  • REDALYC - Red de Revistas Científicas de América Latina y el Caribe, España y Portugal
  • Portal CAPES

FATOR DE IMPACTO NO SJR (SCImago Journal & Country Rank)

SCImago Journal & Country Rank

Licença Creative Commons OriginalityCheck®
Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional. 
TurnITin
Todos os artigos são submetidos ao software Turnitin, antes de iniciar qualquer tipo de avaliação.
Diadorim  Open Access 
Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul. 
 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS