O constitucionalismo Espanhol e Português durante a primeira metade do século XIX (um estudo comparativo)

Joaquín Varela Suanzes-Carpegna

Resumo


O artigo examina o desenvolvimento do processo constitucional na Península Ibérica desde os primeiros momentos em que o movimento liberal ganha força. Na Espanha, as Cortes reunidas em Cádiz conseguem promulgar, em 1812, uma Constituição que passará a ser um importante modelo para os revolucionários de então. Já em Portugal, a revolução constitucional chega logo depois da restauração liberal espanhola, em 1820, inaugurando uma nova era. Segue-se o estudo dos avanços e das vicissitudes do constitucionalismo peninsular durante toda a primeira metade do século XIX.

 
 


Palavras-chave


Constitucionalismo ibérico, Liberalismo, Revoluções liberais

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1980-864X.2007.1.2239



e-ISSN: 1980-864X | ISSN-L: 0101-4064


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.