O “milagre da onipotência” e a dispersão dos vadios: política urbanizadora e civilizadora em São Paulo na administração do morgado de Mateus (1765-1775)

Amilcar Torrão Filho

Resumo



O morgado de Mateus foi o primeiro governador da Capitania de São Paulo após sua restauração em 1765. Uma das principais ações de seu governo foi a urbanização da capitania, com a ereção de novas vilas, e a sua reorganização espacial, de acordo com as novas diretrizes ilustradas do governo pombalino. Sua intenção era civilizar os habitantes, fixando-os em povoações civis, submetendo-os à autoridade real.


Palavras-chave


São Paulo, Morgado de Mateus, Urbanização

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1980-864X.2005.1.1330



e-ISSN: 1980-864X | ISSN-L: 0101-4064


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.