Novas dimensões de nação a partir da política de re-vinculação do Estado uruguaio com sua diáspora: o caso da imigração uruguaia no Brasil

Ana María Sosa González, Maria Leticia Mazzucchi Ferreira

Resumo


Existe uma diáspora uruguaia, que é quantitativamente relevante em relação ao tamanho da população do país, e um importante número deles – por diversas vias – mantém vínculos com o país de origem, ainda tendo emigrado faz mais de trinta anos. A diáspora uruguaia apresenta também, entre outras características, uma vontade expressa de acompanhar de perto a evolução da realidade uruguaia e contribuir na medida do possível com os novos projetos do país. Esse interesse, expressado na constante busca de informação sobre o que acontece no Uruguai, muitas vezes canalizado através das organizações uruguaias no exterior- Associações, Comitês, Conselhos Consultivos- une-se ao interesse expresso do Estado a partir de 2005 de institucionalizar dito vinculo, assumindo no programa do governo uma nova política de vinculação com essa diáspora. Com esse propósito se traçam novos caminhos de construção da identidade nacional, adquirindo agora novas dimensões, baseado no discurso de integração nacional que inclui aos emigrados e aos residentes, um discurso que se apresenta mais pluralista, na medida em que declara que deseja construir a nação em diálogo

 


Palavras-chave


Diáspora uruguaia, Política de re-vinculação, Migrações, Identidade

Texto completo:

PDF (em espanhol)


DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1980-864X.2013.1.12417



e-ISSN: 1980-864X | ISSN-L: 0101-4064


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.