Aspectos do poder em Próspera y Adversa Fortuna de Duarte Pacheco, de Jacinto Cordeiro

Mariela Insúa

Resumo


Este artigo estuda a questão do poder e Privança na bilogía Próspera e Adversa fortuna de Duarte Pacheco (1621), de Jacinto Cordeiro, dramaturgo pertencente ao grupo de autores portugueses que escreveram em castelhano na época da Monarquia Dupla (1580-1640). Ambas as comédias são analisadas, com especial atenção para a relação que Duarte Pacheco teve com as figuras que ocupam a posição de autoridade monárquica. Assim mesmo, valoriza-se o desenvolvimento dramático do protagonista como o caráter trágico.

Palavras-chave


Jacinto Cordeiro, Teatro hispano-português, Drama de privança

Texto completo:

PDF (em espanhol)


DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1980-864X.2012.1.11601



e-ISSN: 1980-864X | ISSN-L: 0101-4064


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.