Histórico do periódico

O Curso de História da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul possui uma tradição de ter em seu currículo, além da disciplina de História da América, também História da Península Ibérica. Quando, em 1973, foi criado um programa de pós-graduação – cujo funcionamento iniciou em 1974 –, a área de concentração escolhida foi a de Estudos Ibero-Americanos, incluindo, expressamente, a história da Península e a daquela parte da América por ela colonizada. Um ano depois, em julho de 1975, foi publicado o primeiro volume da revista Estudos Ibero-Americanos.

Seu idealizador, fundador e diretor por muitos anos foi o professor Braz Augusto Aquino Brancato. Apesar de criada e administrada pela área de História, durante vários anos trouxe em seu expediente a informação de que se tratava de uma revista de História e Literatura. Esta última deixou de ser mencionada, mais tarde, quando, por um lado, a área passou a ter sua própria revista, e, por outro lado, quando Literatura e História passaram a ser vistas como um binômio que pode atuar numa produtiva simbiose.

A revista, desde o início, foi semestral e circulou de forma ininterrupta nos 40 anos que completou 2015. Nesses anos todos, em alguns momentos, houve edições especiais, temáticas, paralelas às sequências normais. Ao longo dos anos houve modificações na estrutura interna, com seções novas sendo criadas e outras sendo extintas. Mas a preocupação central sempre foi – e continua sendo – a de publicar textos com contribuições inéditas. Desde o segundo número de 2004, os artigos podem ser acessados online e um trabalho de digitalização está sendo feito para disponibilização das edições dos últimos 40 anos. Hoje em dia, Estudos Ibero-Americanos está consolidada como uma das poucas revistas brasileiras dedicadas à história da Península Ibérica e à América Ibérica.

No contexto das comemorações do quadragésimo aniversário da Estudos Ibero-Americanos, momento em que a revista alcançou sua maturidade, novos desafios são visados com a necessidade da renovação e qualificação, avançando ainda mais como referência acadêmica no cenário nacional e internacional. Os três idiomas oficiais da revista (inglês, português e espanhol) representam um dos elementos dessa internacionalização e da força acadêmica que o periódico possui, principalmente na América e Europa.

Recentemente mais artigos vêm sendo publicados em seu idioma original e essa será a base a ser mantida para o processo de divulgação do periódico, ampliando ainda mais o já reconhecido caráter internacional da revista. A partir de 2016, a EIA passou a ser quadrimestral com lançamentos nos meses de abril, agosto e dezembro. Além disso, com os 40 anos comemorados em 2015, concluímos a distribuição em versão impressa, passando a ter números com versões exclusivamente online, dinamizando ainda mais a circulação acadêmica.

 

Ano

Diretor (1975-2012)

Editor-Chefe (2013-2014)

Editor (2015-)

 

1975 – 1982

Braz Augusto Aquino Brancato

Ir. Elvo Clemente

Gregorio C. Martin

1983

Braz Augusto Aquino Brancato

Ir. Elvo Clemente

1984

Ir. Elvo Clemente

1985 – 1993

Braz Augusto Aquino Brancato

1994 – 1996

Harry Rodrigues Bellomo

1997 – 2008

René E. Gertz

2009 – 2014

Maria Cristina dos Santos

2015 – 2017

Leandro Pereira Gonçalves

Atual

Tatyana de Amaral Maia