A utilização da Finasterida no Tratamento da Alopécia Androgenética

A. C. Weide, D. Milão

Resumo


A alopécia é uma doença que afeta e preocupa grande parte da população mundial. Suas causas não estão completamente elucidadas, mas abrangem uma série de fatores que caracterizam a doença em tipos específicos. A alopécia androgenética se caracteriza por um padrão de hormônio masculino elevado e / ou predisposição genética e a finasterida é um fármaco que apresenta resultados satisfatórios para este tipo de alopécia. Este artigo tem por objetivos realizar uma revisão de literatura sobre a utilização da finasterida no tratamento da alopécia, um hormônio que, atualmente, vem sendo muito utilizado para o tratamento desta doença. Aspectos como características, indicações, posologia, histórico, estrutura, estabilidade, biodisponibilidade, interações e contra-indicações são discutidos, bem como a marcação da substância em testes anti-dopping, a utilização da substância por mulheres, e seus efeitos adversos. A finasterida apresenta-se como a grande descoberta no tratamento da calvície nos últimos anos, por apresentar bons resultados e poucos efeitos colaterais relatados.

Palavras-chave


alopécia, finasterida, dopping, androgenética

Texto completo:

ARTIGO



e-ISSN: 1983-1374

 

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

 

Copyright: © 2006-2018 EDIPUCRS