A EVOLUÇÃO DA MOEDA E A BITCOIN: um estudo da validade da bitcoin como moeda

Rodrigo Morais Paim Silva

Resumo


O objetivo desse trabalho é estudar se a Bitcoin pode ser considerada uma moeda a partir da evolução histórica e suas diferentes formas e funções. Desde o escambo as pessoas buscam formas de transacionar bens e serviços. Para facilitar as trocas alguns itens começaram a ser utilizados para intermediá-las, mas a falta de um padrão monetário trazia problemas. A evolução veio com o uso de metais preciosos como ouro, prata e cobre para funcionarem como unidade de conta, meio de troca e reserva de valor. Mais tarde os bancos começaram a emitir notas com lastro no ouro que tinham em seus cofres, o padrão-ouro. Com o fim do lastro em ouro as moedas passaram a ser fiduciárias e de curso legal ou forçado. Em 2008 foi criada a Bitcoin, o primeiro dinheiro digital escasso que existe. Ele é programado para ter um total de 21 milhões de moedas. Esse limite de total de moedas é o que gera a volatilidade que compromete duas funções da BTC como moeda. Pressões relativas ao aumento ou redução da demanda tem impacto direto em seu valor. Ela pode funcionar como meio de troca sem problemas, mas as funções reserva de valor e unidade de conta ficam comprometidas devido à volatilidade apresentada.

Palavras-chave


Bitcoin, moeda, volatilidade, funções.

Texto completo:

PDF



e-ISSN: 1983-1374

 

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

 

Copyright: © 2006-2017 EDIPUCRS