Avaliação da alteração dimensional de materiais de moldagem imersos em soluções desinfetantes usando uma matriz metálica

Leonardo Henrique Vadenal Panza, Vinicius Carvalho Porto, Milton Carlos Gonçalves Salvador, Odila Pereira da Silva Rosa

Abstract



Introdução: Nas moldagens para obtenção de modelos para confecção de próteses, principalmente
quando são realizadas em áreas retentivas da boca, resíduos de saliva e sangue
ficam retidos no material e podem conter microoganismos patogênicos. Somente a lavagem
do molde em água corrente não garante que todo sangue e microoganismos aderidos à superfície
do molde tenham sido eliminados. Assim torna-se necessária a desinfecção dos moldes
para a qual os métodos de desinfecção spray e imersão têm sido testados com várias
soluções desinfetantes e provaram sua eficiência para esse propósito. No entanto, esse procedimento
pode afetar a estabilidade dimensional do material de moldagem. Objetivo: Este
estudo objetivou avaliar a estabilidade dimensional dos materiais de moldagem após
a imersão em soluções desinfetantes de hipoclorito de sódio 1% e glutaraldeído 2%. Material
e métodos:
Foram realizadas 45 moldagens para cada um dos materiais: poliéter (Impregun F), polissulfetos (Permlastic R), e hidrocolóide irreversível (Hydrogun). 40 moldes
de cada material foram imersos nas soluções desinfetantes variando-se o tempo entre 10 e
15 minutos. 10 moldes foram imersos em glutaraldeído a 2% por 10 min, 10 por 15 min,
outras 10 imersos em hipoclorito de sódio a 1% por 10 min, e 10 por 15 min. Os demais
moldes 5 não foram imersas em nenhum desinfetante e serviram como grupo controle. Resultados:
Nos moldes obtidos foram medidas as distâncias (AB, CD, AC, BD) em um microscópio
digital Mitutoyo (TM 500) e os resultados foram submetidos à análise de variância a 2
critérios e as diferenças pelo teste de Tukey com intervalo de confiança de 95%. A análise
dos resultados mostrou que não houve diferenças estatísticas significantes para os moldes
de poliéter e polissulfeto quando comparados ao grupo controle. No entanto, para os moldes
de alginato desinfetados em hipoclorito de sódio a 1% por 15 min, observou-se uma distorção
estatisticamente significante quando comparado ao grupo controle. Conclusão: Dentro dos
limites dessa pesquisa pode-se concluir que a desinfecção dos moldes nas soluções de
hipoclorito de sodio 1% e glutaraldeído 2% é uma prática segura, exceto para alginato que
quando imerso durante 15 minutos em hipoclorito de sódio apresentou distorção, mas o mesmo
não foi observado para esse material quando o tempo de 10 minutos foi usado.

UNITERMOS: estabilidade dimensional; desinfecção; materiais de moldagem.

SUMMARY
Introduction: When impressions are taken, saliva and blood are frequently seen in the
material, and washing them does not always guarantee that all organisms have been removed.
Therefore, methods for disinfecting impressions (immersion and spray) have become a necessity,
but they can affect the accuracy of dental impressions. Purpose: This study aimed to evaluate
the dimensional stability of dental impression materials after immersion in disinfectant
solutions. Material and methods: This study used a total of 135 impressions, 45 of each of
the following materials Impregun F® (polyether), Permlastic® (polysulfide) and Hydrogun®
(irreversible hydrocolloid). Sodium hypochlorite and glutaraldehyde were selected as
disinfectants and the immersion times were 10 and 15 min. Ten (10) impressions of each material
were immersed in both solutions: 2% glutaraldehyde solution (Glutacid® 2%) and sodium
hypochlorite solution (Milton 1%), for 10 min, and a further 10 impressions for 15 min. The
other 5 impressions of each material were used as a control group without immersion in
disinfectant solutions. Results: Neither polyether nor polysulfide impressions showed any
statistically significant difference (ANOVA) from their control measurements after being soaked
in the two disinfectant solutions. However, when the alginate impressions were disinfected by
sodium hypochlorite for 15 minutes, a significant distortion (~0,122 mm) occurred, compared
with control group. Conclusion: Within the limits of this study it can be concluded that the
immersion practices for disinfection did not influence the quality of impressions obtained, except
when sodium hypochlorite was used as disinfectant and immersion time was 15 minutes.

UNITERMS: dimensional stability; disinfection; impression materials.

Full Text:

PDF


e-ISSN: 1980-6523

ISSN-L: 0102-9460

 

This journal is a member of, and subscribes to the principles of, the Committee on Publication Ethics (COPE) http://www.publicationethics.org


SJR (SCImago Journal & Country Rank) IMPACT FACTOR:

SCImago Journal & Country Rank

Licença Creative Commons

Except where otherwise noted, content of this journal is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license.

 

Editorial Policies of Brazilian Scientific Journals. Deposit availability: Blue .

 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS