A Diversidade da Condição Humana e a Deficiência do Conhecimento: no convívio com as diferenças e as singularidades individuais

Idilia Fernandes

Resumo


Muitos métodos que foram criados, nas diversas áreas do saber, têm servido para criar muros entre as pessoas, consolidando fronteiras que separam “os normais” dos “não-normais”. Nas linhas que seguem, tanto a ficção como a vida real estará fornecendo subsídios para a argumentação que pretende sustentar a idéia de que o principal déficit se localiza nas organizações das instâncias sociais, suas instituições e seus métodos e não unicamente no sujeito. O conhecimento, por natureza, apresenta limites na apreensão do real, uma vez que o mesmo é mais abrangente do que o esforço das ciências em compreendê-lo. Todavia, é necessário que se tenha o cuidado, na manipulação dos conhecimentos, com a vida dos sujeitos. Em nome do desconhecimento sobre a condição humana, não se pode mais sacrificar as singularidades humanas, interditando suas expressões.
Palavras-chave: Processos sociais. Padrão de normalidade. Cultura de normalidade. Singularidade. Diferenças. Diversidade. Condição humana. Deficiência do conhecimento. Estranhamento. Preconceito. Pessoa portadora de deficiência.

Texto completo:

PDF



Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Textos & Contextos (Porto Alegre)
eISSN: 1677-9509
DOI: 10.15448/1677-9509
Avaliação do Qualis CAPES - 2016
Área Capes - Serviço Social
Classificação: A2
E-mail: textos@pucrs.br
 
 
Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul
 
 
Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS