Desvelando a violência contra as crianças em um hospital universitário: desafios para o Serviço Social

Ângela C. B. Pratini Seger, Pâmela Caldart, Patrícia Krieger Grossi

Resumo


O artigo aborda as diferentes expressões da violência contra a criança com base em levantamento de 39 registros em atendimentos realizados no período de janeiro a outubro de 2008 na Internação Pediátrica e na Unidade de Tratamento Intensivo Pediátrico de Hospital Universitário, pela Residente de Serviço Social. Trata-se de um estudo retrospectivo de caráter qualitativo baseado numa pesquisa documental norteada pelo método dialético, levando em consideração aspectos sociodemográficos, situação habitacional, constituição familiar, rede de apoio, participação e/ou omissão dos responsáveis pela criança e diversas outras formas de violência. O resultado aponta para a suspeita de que crianças do sexo masculino, de um a três meses de idade, de etnia negra, estão entre as que mais sofrem. Negligência familiar intencional (79%), negligência não intencional (7%), abandono parcial ou abandono total (7%) e violência física (7%). Conclui-se pela necessidade da implementação e da concretização de políticas públicas com base na legislação vigente que têm como objetivo a proteção à criança, o enfrentamento e o combate à violência doméstica e estrutural. Além de melhorar a qualidade de vida das crianças, o estudo fornece subsídios para descortinar a temática aos profissionais da área da saúde.

Palavras-chave


Violência contra a criança. Serviço social. Saúde da criança.

Texto completo:

PDF


e-ISSN: 1677-9509


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.