As Práticas do Desenvolvimentismo Brasileiro: Plano de Metas e Programa de Aceleração do Crescimento / The Practices of Brazilian Developmentalism: Plano de Metas and Programa de Aceleração do Crescimento

Edemar Rotta, Carlos Nelson dos Reis

Resumo


O artigo compara dois planos de desenvolvimento implantados no Brasil a partir das referências do ideário desenvolvimentista: o Plano de Metas e o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Pergunta-se pelas semelhanças e diferenças entre eles, explorando aspectos ligados ao contexto histórico, às características constitutivas fundamentais de cada um deles e às avaliações realizadas pela literatura da área. O estudo fundamenta-se no método dialético e tem como instrumentos a pesquisa bibliográfica e documental. O Plano de Metas foi instrumento fundamental na consolidação do processo de industrialização e na integração da economia brasileira ao circuito internacional. O PAC recolocou o Estado como agente decisivo na agenda do desenvolvimento, estabelecendo, com o mercado, um conjunto de relações híbridas e complexas, em vistas a criação de um “círculo virtuoso” de crescimento econômico, progresso técnico e melhoria da distribuição de renda.


Palavras-chave


Desenvolvimentismo; Políticas Públicas; Estado; Mercado.

Texto completo:

PDF/A

Referências


ABREU, Cilair R. de. Orçamento Público: uma análise das transformações do instrumento para a formulação de políticas públicas de investimento em infraestrutura. Tese (Doutorado em Administração), PPGA/UnB, Brasília, 2014.

BEDÊ, Marcos A. O PAC e o crescimento da economia. Integração, São Paulo, ano XIV, n. 52, p. 33-41, jan./mar. 2008.

Bielschowsky, R. O Desenvolvimentismo: do pós-guerra até meados dos anos 1960. In: BIELSCHOWSKY, R. et al. O desenvolvimento econômico brasileiro e a Caixa: palestras. Rio de Janeiro: Caixa Econômica Federal, 2011, p. 15-22.

BIELSCHOWSKY, R. Pensamento econômico brasileiro: o ciclo ideológico do desenvolvimentismo. Rio de janeiro: IPEA; INPES, 1988.

BRASIL. Balanço PAC - 4 anos 2007-2010. Brasília: Ministério do Planejamento, 2010.

BRASIL. Balanço PAC 2 - 4 anos - 2011-2014. Brasília: Ministério do Planejamento, 2014.

BRASIL. PAC - 4º Balanço 2015-2018. Brasília: Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, 2016.

BRASIL. Programa de Metas do Presidente Juscelino Kubitschek: estado do plano de desenvolvimento econômico em 30 de junho de 1958. Rio de Janeiro: Presidência da República, 1958.

BRESSER PEREIA, L. C. Teoria novo-desenvolvimentista: uma síntese. Cadernos do Desenvolvimento, Rio de Janeiro, v. 11, n. 19, p.145-165, jul-dez. 2016.

BRUM, A. J. O desenvolvimento econômico brasileiro. 23.ed. revisada e atualizada. Petrópolis: Vozes; Ijuí: Ed. UNIJUI, 2003.

Cardoso, M. L. Ideologia do desenvolvimento – Brasil: JK-JQ. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.

Cardoso JUNIOR, José C.; NAVARRO, Cláudio A. O planejamento governamental no Brasil e a experiência recente (2007 a 2014) do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Brasília; Rio de Janeiro: IPEA, 2016.

CARNEIRO, R. de M. Velhos e novos desenvolvimentismos. Economia e Sociedade, Campinas, v. 21, Número Especial, p. 749-778, dez. 2012.

CASTELO, R. O canto da sereia: social-liberalismo, novo desenvolvimentismo e supremacia burguesa no capitalismo dependente brasileiro. EM PAUTA, Rio de Janeiro, n. 31, v. 11, p. 119-138, 1º semestre de 2013.

COSTA, E. B. da; STEINKE, V. A. Brasília meta-síntese do poder no controle e articulação do território nacional. Scripta Nova. Brasília, n. 493(44), p. 01-27, 2014.

DIAS, J. L. de M. O BNDE e o plano de metas – 1956/61. In: BNDES. O BNDES e o plano de metas. Rio de Janeiro: BNDES, 1996, p. 31-153.

Draibe, S. Rumos e metamorfoses: um estudo sobre a constituição do Estado e as alternativas da industrialização no Brasil, 1930-1960. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1985.

Fernandes, F. A revolução burguesa no Brasil. Rio de Janeiro: Zahar, 1975.

FIORI, José Luís. Em busca do dissenso perdido: ensaios críticos sobre a festejada crise do Estado. 1.ed. Rio de Janeiro: Insigth, 1995.

Fonseca, P. D. C. Desenvolvimentismo: a construção do conceito. In: CALIXTRE, A. B.; BIANCARELLI, A. M.; CINTRA, M. A. M. (Orgs.). Presente e futuro do desenvolvimento brasileiro. Brasília: IPEA, 2014, p. 29-78.

IANNI, Octávio. Planejamento econômico no Brasil. 5.ed. rev. e atual. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1991.

IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Estatísticas do Século XX. Rio de Janeiro: IBGE, 2007. Disponível em: . Acesso em: 02 ag. 2017.

IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Anuário Estatístico do Brasil – 1956. Rio de Janeiro: IBGE, 1956. Disponível em: . Acesso em: 01 ag. 2017.

IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Anuário Estatístico do Brasil – 2006. Rio de Janeiro: IBGE, vol. 66, 2006. Disponível em: . Acesso em: 03 ag. 2017.

JANNUZZI, Paulo M. Indicadores no planejamento público. In: BAENINGER, Rosana (Org.). População e Cidades: subsídios para o planejamento e para as políticas sociais. Campinas: Núcleo de Estudos de População-Nepo/Unicamp; Brasília: UNFPA, 2010, p. 163-186.

JARDIN, Maria C.; SILVA, Márcio R. Programa de Aceleração do Crescimento (PAC): neodesenvolvimentismo? São Paulo: UNESP, 2015.

LESSA, C. 15 Anos de Política Econômica. 3.ed., São Paulo: Brasiliense, 1982.

Mercadante OLIVA, Aloizio. As bases do novo desenvolvimentismo no Brasil: análise do governo Lula (2003-2010). Tese (Doutorado em Economia), Instituto de Economia/UNICAMP, Campinas, 2010.

PMCid:PMC2948908

MOLO, M. de L. R. Desenvolvimentismos, inclusão social e papel do Estado. Cadernos do Desenvolvimento, Rio de Janeiro, v. 11, n. 19, p. 131-143, jul./dez. 2016.

PFEIFER, M. O "social" no interior do projeto neodesenvolvimentista. Serviço Social e Sociedade, São Paulo, n. 120, p. 746-766, out./dez. 2014.

PRADO, L. C. D. O desenvolvimentismo autoritário de 1968 a 1980. In: BIELSCHOWSKY, R. et al. O desenvolvimento econômico brasileiro e a Caixa: palestras. Rio de Janeiro: Centro Internacional Celso Furtado de Políticas para o Desenvolvimento: Caixa Econômica Federal, 2011, p. 23-34.

POCHMANN, Márcio. Novo desenvolvimentismo como resposta à crise global. In: CASTRO, Daniel; MELO, José M. (Orgs.). Panorama da comunicação e das telecomunicações no Brasil. Brasília: Ipea, 2012, p. 15-28.

RABELO, R. F. Plano de Metas e consolidação do capitalismo industrial no Brasil. E & G Economia e Gestão, Belo Horizonte, v. 2 e 3, n. 4 e 5, p. 44-55, dez. 2002/jul. 2003.

Rodrigues, T. A.; Salvador, E. As implicações do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) nas Políticas Sociais. SER Social, Brasília, v. 13, n. 28, p. 129-156, jan./jun. 2011.

Rotta, E. Desenvolvimento regional e políticas sociais no noroeste do estado do Rio Grande do Sul. Tese (Doutorado em Serviço Social), PGSS/PUCRS, Porto Alegre, 2007.

SICSÚ, J.; PAULA, L. F. de; MICHEL, R. Por que novo-desenvolvimentismo? Revista de Economia Política, vol. 27, n. 4 (108), p. 507-524, out./dez. 2007.

SILVA, Ricardo. Planejamento econômico e crise política: do esgotamento do plano de desenvolvimento ao malogro dos programas de estabilização. Revista de Sociologia e Política, Curitiba, n. 14: p. 77-101, Jun. 2000.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1677-9509.2018.1.31223


Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Textos & Contextos (Porto Alegre)
eISSN: 1677-9509
DOI: 10.15448/1677-9509
Avaliação do Qualis CAPES - 2016
Área Capes - Serviço Social
Classificação: A2
E-mail: textos@pucrs.br
 
 
Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul
 
 
Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS