Quanto Pesa a Mulher com Obesidade? / How Much Does the Woman With Obesity Weight?

Mayara Zimmermann Gelsleichter, Luciana Patrícia Zucco

Resumo


O presente artigo investiga como os estudos de gênero se apresentam na produção de conhecimento científico sobre obesidade e pobreza, a partir de um levantamento bibliográfico realizado na plataforma Scielo online. Tal estudo, de abordagem qualitativa, foi realizado ao longo de 2015. Para a organização e a interpretação dos dados, utilizou-se a análise de conteúdo na modalidade temática. Foram identificados 13 artigos, tendo como principal resultado: a predominância dos aspectos políticos referentes à alimentação; a abordagem da obesidade através de uma leitura epidemiológica; e, as atribuições e representações de gênero. Estas se apresentam no âmbito da família, do trabalho e em suas trajetórias de vida, assim como, nas relações estabelecidas com o corpo e o alimento, aspectos paradoxais no cotidiano das mulheres pobres. Concluiu-se que os estudos de gênero aparecem de forma residual no corpus sendo manifestados expressivamente em quatro revistas, nestas, assumem significância quando se identifica a relação obesidade e pobreza a partir da leitura empreendida sobre o feminino.


Palavras-chave


Obesidade. Pobreza. Identidade de gênero.

Texto completo:

PDF

Referências


Aguirre, P. Aspectos socioantropológicos da obesidade na pobreza. In: PEÑA, M.; BACALLAO, J. Obesidade e pobreza: um novo desafio de saúde pública. São Paulo: Roca, 2006, p. 12-26.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

Barros, R. P. et al. A estabilidade inaceitável: desigualdade e pobreza no Brasil. Rio de Janeiro: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, 2001.

BRASIL. Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990. Brasília, DF, 1990. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L8080.htm. Acesso em: 20 jan. 2016.

________. Vigitel Brasil 2014: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico. Brasília: Ministério da Saúde, 2015.

________. Portaria Nº 424, de 19 de março de 2013. Ministério da Saúde. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2013/prt0424_19_03_2013.html.

________. Ministério da Saúde. Pesquisa Nacional de Saúde e Nutrição. Brasília: Instituto Nacional de alimentação e Nutrição, 1989.

Campos, G. W. et al. Avaliação de política nacional de promoção da saúde. Ciência & Saúde Coletiva, v. 9, n.3, p.745-749, 2004.

https://doi.org/10.1590/S1413-81232004000300025

FELIPPE, F. M. O peso social da obesidade. Textos & Contextos (Porto Alegre), n.2, dez. 2003. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/fass/ojs/index.php/fass/article/view/963.

FERREIRA, V. A; MAGALHÃES, R. Obesidade e pobreza: o aparente paradoxo. Um estudo com mulheres da Favela da Rocinha, Rio de Janeiro-Brasil. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 2005.

GELSLEICHTER, M. Z; ALVES, F. L. Famílias, obesidade e políticas de atenção em saúde no Brasil: trabalho e cuidado no processo saúde-doença. In: Coloquio? Familias Contemporáneas – Intervenciones Contemporáneas? Familias e Nueva Matriz de Protección Social. Montevidéu, 2015, p. 328-340. Disponível em: http://cienciassociales.edu.uy/departamentodetrabajosocial/ wp-content/uploads/sites/5/2015/10/Coloquio-Familia-documento-1.pdf.

Lamounier, J. A.; Parizzi, M. R. Obesidade e saúde pública. Anjos LA. Rio de Janeiro: Fiocruz; 23(6):1495-1500, jun. 2007.

LIMA, T. C. S. de; MIOTO, R. C. T. Procedimentos metodológicos na construção do conhecimento científico: a pesquisa bibliográfica. Revista Katálysis, v.10, n. especial, p. 37-45, 2007. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/katalysis/article/view/S1414-49802007000300004.

Klautau, P. WINOGRAD, M. CAMPOS, F.S.D. Comer para existir: trauma, oralidade e contornos do Eu. Avances en Psicología Latinoamericana, v. 31, n. 3, p. 522-531, dez. 2013.

Marsiglia, R.M.G. Orientações básicas para a pesquisa. In: MOTA, A.E. et al. (Orgs.). Serviço social e saúde: formação e trabalho profissional. São Paulo, Cortez; Brasília, OPAS, OMS, MS, 2009, p. 383-398.

Peña, M; Bacallao, J. Obesidade entre os pobres: um problema emergente na América Latina e Caribe. In: PEÑA, M; BACALLAO, J. Obesidade e pobreza: um novo desafio de saúde pública. São Paulo: Roca, 2006, p. 02-11.

Philippi, S. T. Pirâmide dos alimentos: fundamentos básicos da nutrição. Guia de Nutrição e Alimentação. Edição Digital. São Paulo: Manole, 2015.

Poulain, J.P. Sociologia da obesidade. São Paulo, 2013.

Salvador, A. D. Métodos e técnicas de pesquisa bibliográfica. Porto Alegre: Sulina, 1986.

Scliar, M. História do Conceito de Saúde. Phisys: Rev. Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v.17, n.1, p.29-41, 2007.

Torún, B. Padrões de atividade física na América central. In: PEÑA, M; BACALLAO, J. Obesidade e pobreza: um novo desafio de saúde pública. São Paulo: Roca, 2006, p. 12-26.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1677-9509.2017.1.23259


Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Textos & Contextos (Porto Alegre)
eISSN: 1677-9509
DOI: 10.15448/1677-9509
Avaliação do Qualis CAPES - 2016
Área Capes - Serviço Social
Classificação: A2
E-mail: textos@pucrs.br
 
 
Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul
 
 
Copyright: © 2006-2017 EDIPUCRS