Produção de conhecimento no serviço social sobre as lutas e proteção social à velhice dos trabalhadores / Knowledge production in social work about the struggles and social protection to the elderly workers

Suellen Bezerra Alves, Sálvea de Oliveira Campelo de Paiva, Fernanda Tavares Arruda

Resumo


A história da proteção social aos velhos trabalhadores contempla modelos que antecedem a concepção liberal de “Direito do Cidadão” e indica uma trajetória de lutas e conquistas, respostas às expressões da “Questão Social”. A velhice “trágica” compõe o rol dessas expressões, encaminhadas cotidianamente à profissão do Serviço Social. Este estudo tem como objetivo provocar a reflexão em torno das lutas sociais e da proteção social ao segmento idoso, a partir da produção de conhecimento do Serviço Social. Caracteriza-se como uma pesquisa explicativa, de cunho teórico-bibliográfico e fundamenta-se na concepção teórico-metodológica dialética de análise. Por fim, apontam-se cinco tendências observadas na atual produção de conhecimento do Serviço Social brasileiro, no campo da Gerontologia Social, sendo que uma delas permite a reflexão acerca da velhice na perspectiva da totalidade social, um desafio à profissão.


Palavras-chave


Proteção social. Velhice. Produção de Conhecimento. Serviço Social.

Texto completo:

PDF/A

Referências


ALVES, Suéllen Bezerra. Serviço social e envelhecimento: estudo dos fundamentos teórico-políticos sobre velhice na produção de conhecimento do Serviço Social no Brasil. Dissertação (Mestrado em Serviço Social) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2014.

ANTUNES, Ricardo. A crise, o desemprego e alguns desafios atuais. Serviço Social & Sociedade, São Paulo, n. 104, 2010.

_____. Construção e desconstrução da Legislação Social no Brasil. In: ANTUNES, Ricardo. Riqueza e miséria do trabalho no Brasil. São Paulo: Boitempo, 2006, p. 499-508.

ARRUDA, Fernanda Tavares. A velhice vítima de negligência: omissão do estado e rebatimentos ao serviço social. Monografia (Especialização em Gerontologia) – Faculdade Redentor/Instituto de Desenvolvimento Educacional – IDE, Recife, 2013.

BEAUVOIR, Simone. A velhice. 2. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1990.

BRASIL. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico 2010. Educação e deslocamento. Resultados da Amostra. Rio de Janeiro, 2012.

BRASIL. Ministério da Saúde/SE/DATASUS – Sistema de Informações Hospitalares do SUS – SIH/SUS. IBGE: base demográfica. Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/idb2011/matriz.htm#socio. Acesso em: 05 dez. 2012.

_____. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Benefício de Prestação Continuada. Disponível em: http://www.mds.gov.br/relcrys/bpc/download_beneficiarios_ bpc.htm. Acesso em: 22 abr. 2013.

_____. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Plano Brasil sem Miséria. Brasília, 2012.

_____. Portaria Nº 2.528, de 19 de outubro de 2006. Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa. Brasília, 2006.

_____. Presidência da República. Subsecretaria de Direitos Humanos. Plano de Ação para o Enfrentamento da violência contra a Pessoa Idosa. Brasília, 2005.

BEHRING, E. R. Brasil em contra-reforma: desestruturação do estado e perda de direitos. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2008.

CAMPELO E PAIVA, Sálvea de Oliveira. Envelhecimento, saúde e trabalho no tempo do capital. 1.ed. São Paulo: Cortez, 2014.

_____. Envelhecimento, saúde e trabalho no tempo do capital: um estudo sobre a racionalidade na produção de conhecimento do Serviço Social. Recife, 2012. Tese (Doutorado em Serviço Social). Centro de Ciências Sociais Aplicadas, Universidade Federal de Pernambuco.

COORDENAÇÃO de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Banco de Teses. Disponível em: http://capesdw.capes.gov.br. Acesso em: 26 fev. 2014.

FLEURY, S. Estado sem cidadãos: seguridade social na América Latina. Rio de Janeiro: Fiocruz, 1994.

GUERRA, Yolanda. A instrumentalidade do serviço social. 9.ed. São Paulo: Cortez, 2011.

HADDAD, E. G. M. A ideologia da velhice. São Paulo: Cortez, 1986.

IAMAMOTO, M. V. A questão social no capitalismo. Temporalis: Revista da Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social, Brasília, 2001.

_____. Os espaços sócio-ocupacionais do assistente social. IN: CFESS. Serviço Social: direitos sociais e competências profissionais. Brasília: CFESS/ABEPSS, 2009.

KAMEYAMA, Nobuco. A trajetória da produção de conhecimentos em serviço social: avanços e tendências (1975 a 1997), 1998. Disponível em: http://200.16.30.67/~valeria/xxseminario/datos/anteriores/binarios/congresos/reg/slets/slets-016-088.pdf. Acesso em 29 abr. 2014.

MARX, K. O capital: crítica da economia política. 26. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008.

MÉSZÁROS, I. Para além do capital: rumo a uma teoria da transição. São Paulo: Ed. Unicamp/Boitempo, 2002.

NERI, Anita Liberalesso. Palavras-chave em gerontologia. Campinas: Alínea, 2001.

NETTO, J. P. Uma face contemporânea da barbarie. Trabalho apresentado no III Encontro Internacional “Civilização ou Barbárie” em Serpa, 2010.

PAPALÉO NETTO. O estudo da velhice: histórico, definição do campo e termos básicos. In: FREITAS, Elisabete Viana de et.al. 2.ed. Tratado de geriatria e gerontologia. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006.

TEIXEIRA, Solange Maria. Envelhecimento e trabalho no tempo do capital: implicações para a proteção social no Brasil. São Paulo: Cortez, 2008.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1677-9509.2016.1.22546


Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Textos & Contextos (Porto Alegre)
eISSN: 1677-9509
DOI: 10.15448/1677-9509
Avaliação do Qualis CAPES - 2016
Área Capes - Serviço Social
Classificação: A2
E-mail: textos@pucrs.br
 
 
Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul
 
 
Copyright: © 2006-2020 EDIPUCRS