Apontamentos Acerca da Gestão da Criminalização da Questão Social: o cenário contemporâneo brasileiro / Notes on the Social Issue Criminalization Management: Brazilian contemporary scene

Joseane Duarte Ouro Alves, Carina Berta Moljo

Resumo


O presente artigo tem como objeto de análise as caraterísticas que o sistema punitivo assume no Brasil contemporâneo. Partimos da premissa da necessidade de conhecimento das particularidades da formação sócio-histórica do Brasil a fim de compreender o que tem permanecido e modificado na atual conjuntura. Dessa forma, procuramos elucidar a maneira como este sistema tem administrado as manifestações da questão social por meio do controle exercido pelo poder punitivo. Na primeira parte abordamos aspectos relacionados às particularidades históricas da questão social no Brasil, especialmente em seus elementos étnicos, regionais e culturais. No desenvolvimento, analisamos de forma crítica o sistema penal, elucidando seu funcionamento e a sua natureza seletiva, inserida agora no contexto da sociedade brasileira contemporânea. Por fim, apresentamos as nossas considerações finais que buscam apresentar um discurso dissonante e que contraponha o senso comum criminológico que vem hegemonizando o debate acerca da questão em nossa sociedade. Para a realização desta pesquisa realizamos estudos bibliográficos que exploram a realidade do sistema penal no contexto da sociedade brasileira, o que foi enriquecido considerando a experiência profissional junto ao sistema penal.

Palavras-chave


Criminalização. Questão Social. Estado.

Texto completo:

PDF/A

Referências


BRASIL.- Anuário Brasileiro de Segurança Pública. Ano 7, 2013. Disponível em http://www.forumseguranca.org.br/storage/download//anuario_2013-corrigido.pdf

BATISTA, N. - Política de Drogas: Mudança de Paradigmas. Apresentação no Seminário “Drogas: dos perigos da proibição à necessidade da legalização”. LEAP BRASIL/ EMERJ/ ICC. Rio de Janeiro. 4 abr 2013.

__________. - Mídia e sistema penal no capitalismo tardio. In: Revista Brasileira de Ciências Criminais. Ed. Revista dos Tribunais, nº 42, 2003.

BATISTA, V. M. - A nomeação do Mal. In: Criminologia e Subjetividade. Rio de Janeiro: Lúmen Juris, 2005.

_________.Criminologia e política criminal. In: Passagens. Revista Internacional de História Política e Cultura Jurídica, Rio de Janeiro: vol.1 no2, jul-dez/2009.

_________. Adesão subjetiva à bárbarie. Conferência proferida no 41o Encontro Descentralizado CFESS/CRESS da Região Sudeste. Rio de Janeiro, 2012.

CARVALHO, P. A. E. - O sentido utópico do abolicionismo penal. In: Conversações abolicionistas: uma crítica do sistema penal e da sociedade punitiva. São Paulo: IBCCRIM, 1997.

CNJ. - Conselho Nacional de Justiça. Panorama Nacional: A execução das medidas socioeducativas de internação. 2012. Disponível em: http://www.cnj.jus.br/images/pesquisas-judiciarias/Publicacoes/panorama_nacional_doj_web.pdf. Acesso em 27 mai 13.

DEPEN. Departamento Penitenciário Nacional – Ministério da Justiça. Disponível em: http://portal.mj.gov.br/ Acesso em 10 set 2012.

ENGELS, F.; KAUTSKY, K. - O socialismo juridico. 2 Ed. São Paulo: Boitempo, 2012.

HELLER, A. Teoria de las necessidades em Marx. Ediciones Península, Barcelona, 1978.

IANNI, O. - Pensamento Social no Brasil. São Paulo: EDUSC, 2004.

KARAM, M.L. Pela Abolição do Sistema Penal. In: PASSETTI, Edson (org.). Curso Livre de Abolicionismo Penal. Rio de Janeiro: Revan, 2004.

___________. - De crimes, penas e Fantasias. Niterói, Luam, 1993.

KOWARICK, L. Trabalho e vadiagem: A origem do trabalho livre no Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1987.

PRADO JÚNIOR, C. - Formação do Brasil Contemporâneo: Colônia. São Paulo: Brasiliense; Publifolha, 2000.

RUSCHE, G.; KIRCHHEIMER, O. - Punição e Estrutura Social. Coleção Pensamento Ciminológico. V.03, Rio de Janeiro: Revan, 2004.

SALES, M.A. (in)visibilidade perversa: adolescentes infratores como metáfora da violência. São Paulo: Cortez, 2007. p.21-69.

MARTINS, J. S. - As condições do estudo sociológico dos linchamentos no Brasil. Estudos Avançados, 1995. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/ea/v9n25/v9n25a22.pdf. Acesso em 14 fev 2014.

__________. O poder do atraso. Ensaios de sociologia da História Lenta. São Paulo: Hucitec, 1994.

MARX, K. O Capital – crítica da economia política. Volume I. Livro primeiro – O processo de produção do capital. São Paulo: Abril, 1984.

SANZOVO, N. M. Sistema penitenciário Brasileiro, evolução da população carcerária. Disponível em http://atualidadesdodireito.com.br/iab/files/sistema-penitenciario-jun-2012.pdf. Acesso em 01 mar 2014.

THOMPSON, A. - Quem são os criminosos? 2 Ed. Rio de Janeiro: Lumem Juris, 1998.

WACQUANT, L. - As prisões da miséria. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

ZACCONE, O. - Acionistas do nada: quem são os traficantes de drogas. Rio de Janeiro: Revan, 2007.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1677-9509.2015.2.18311


Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Textos & Contextos (Porto Alegre)
eISSN: 1677-9509
DOI: 10.15448/1677-9509
Avaliação do Qualis CAPES - 2016
Área Capes - Serviço Social
Classificação: A2
E-mail: textos@pucrs.br
 
 
Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul
 
 
Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS