Crise e Mercado de Trabalho: repercussões no centro e na periferia da Zona Euro - Crisis and Labour Market: repercussions on the center and periphery of the Eurozone

Mauricio de Souza Sabadini

Resumo


O objetivo deste artigo é o de observar as tendências verificadas no mercado de trabalho dos países pertencentes à zona Euro, dando ênfase às semelhanças e diferenças existentes entre aqueles que compõem, por um lado, a periferia e, de outro, o centro desta zona monetária. A hipótese principal aqui levantada é a de que a crise verificada pós 2008 acentuou as disparidades existentes no mercado de trabalho entre estes países, intensificando a divisão internacional do trabalho. Apesar de geograficamente pertencerem à mesma zona monetária e estarem sob a égide dos princípios dos tratados que regem a sua organização, tais países, que possuem estágios de desenvolvimento capitalistas diferenciados, apresentam elementos e características peculiares quanto aos seus mercados de trabalho. Como era de se esperar, as estruturas capitalistas mais frágeis, representadas pelos países periféricos da zona Euro, mostraram-se muito mais afetadas pela crise, o que não significa dizer que nos países centrais os efeitos sobre o mercado de trabalho foram pequenos. Pelo contrário, o que se observou em seu interior foi também um processo generalizado de flexibilização e intensificação da precarização do trabalho.


Palavras-chave


Crise. Mercado de Trabalho. Zona Euro.

Texto completo:

PDF



Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Textos & Contextos (Porto Alegre)
eISSN: 1677-9509
DOI: 10.15448/1677-9509
Avaliação do Qualis CAPES - 2016
Área Capes - Serviço Social
Classificação: A2
E-mail: textos@pucrs.br
 
 
Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul
 
 
Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS