A fala do esquizofrênico – uma interface entre Linguística de Texto e Psicanálise

Mariza Angélica Paiva Brito, Mônica Magalhães Cavalcante

Resumo


Neste trabalho, elaboramos uma revisão crítica das características de linguagem que têm sido apontadas, nas áreas de Linguística de Texto e da Psicanálise, para a conceituação da fala do esquizofrênico. Os estudos realizados seguiram duas orientações. Por um lado, tentaram comprovar que o discurso do psicótico era incoerente. Para tanto se valeram do formalismo linguístico, principalmente dos conceitos de competência e desempenho em Chomsky e da pragmática com as máximas conversacionais de Grice. Por outro lado, tentaram comprovar que o “discurso do psicótico” era coerente, a partir das considerações sobre manutenção do tópico e sobre digressão postuladas pela Sociolinguística Interacional e seu modelo de interação face a face.

Palavras-chave


Linguística de texto; Psicanálise; Esquizofrenia

Texto completo:

PDF


e-ISSN: 1984-7726 | ISSN-L: 0101-3335


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.