Uma investigação sobre a aquisição de estrutura argumental dos predicados psicológicos

Rozana Reigota Naves, Beatriz Patriota Carneiro

Resumo


Neste artigo, apresentamos resultados de pesquisa de campo com foco na aquisição de verbos psicológicos, empreendida com 30 sujeitos de 4 a 7 anos, e 30 sujeitos de 9 a 10 anos. O intuito é investigar a questão teórica conhecida como “problema de mapeamento dos verbos psicológicos”, que consiste na possibilidade de inversão sintática de papéis temáticos em pares de verbos de significado “reversível” como temer e assustar. Buscamos testar a hipótese de que o problema de mapeamento dos verbos psicológicos tem implicações para o processo de aquisição da linguagem e que verbos psicológicos são mais difíceis de adquirir do que verbos de ação. Pressupomos haver uma propensão inata para o mapeamento de argumentos com base em traços semânticos, organizados hierarquicamente, e defendemos que o papel temático de Experienciador é preferido para posição de sujeito, quando em contraposição a um papel temático menos agentivo e menos volitivo, como o Tema.

Palavras-chave


Mapeamento de papeis temáticos; Aquisição de verbos psicológicos; Hierarquia de papeis temáticos

Texto completo:

PDF


e-ISSN: 1984-7726 | ISSN-L: 0101-3335


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.