Fronteiras na História Literária: fantástico e utopia em A Rainha do Ignoto

Fani Miranda Tabak

Resumo


Este artigo expõe uma reflexão em torno da obra de Emilia de Freitas, A Rainha do Ignoto, com base em alguns pressupostos da narrativa fantástica tradicional e na sua
utilização dentro de uma perspectiva utópica frente à posição ocupada pela mulher no sé-
culo XIX.

Palavras-chave


Romance feminino; narrativa fantástica; Emília de Freitas

Texto completo:

PDF


e-ISSN: 1984-7726 | ISSN-L: 0101-3335


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.