A polifonia linguística

Marion Carel

Resumo


Situando-se no contexto de estudos sobre a polifonia, no qual distingue os trabalhos de Oswald Ducrot (polifonia semântica), e os de Mikhail Bakhtin (polifonia intertextual), o artigo propõe-se a tratar da polifonia criada por Oswald Ducrot. Discute, então, se a pressuposição é realmente fonte de polifonia, concluindo que existem duas formas de pressuposição: a argumentativa e a polifônica. Analisa igualmente a noção de “responsabilidade enunciativa”, vendo-a como uma “multiplicidade de responsabilidades”, inferindo daí o papel e a natureza das vozes mobilizadas pela polifonia semântica. Apresenta finalmente sua Teoria Argumentativa da Polifonia que desenvolve com Oswald Ducrot e Alfredo Lescano, inspirada tanto nos conceitos de história e discurso de Benveniste quanto na polifonia de Ducrot. Com isso, distingue a polifonia linguística da polifonia intertextual.

Palavras-chave


Teoria Argumentativa da Polifonia; polifonia linguística; polifonia intertextual

Texto completo:

PDF


e-ISSN: 1984-7726 | ISSN-L: 0101-3335


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.