A palatalização variável das oclusivas alveolares num falar de português brasileiro e sua análise pela Teoria da Otimidade

Elisa Battisti, Adalberto Ayjara Dornelles Filho

Resumo


Análise, pela OT (Optimality Theory, de PRINCE e SMOLENSKY, 1993/2004), da palatalização variável das oclusivas alveolares num falar de português brasileiro. Generalizações implicacionais dão origem a uma tipologia fatorial com t-order (ANTTILA e ANDRUS, 2006) que contempla cinco padrões de palatalização. A palatalização em Antônio Prado (RS) obedece a dois desses padrões, de que emerge a variação. Candidatos palatalizados são selecionados por um conjunto de restrições de marcação. As restrições no conjunto conformam-se aos contextos de palatalização referidos pelas generalizações implicacionais. Dois ordenamentos dessas restrições e restrições de fidelidade em rankings estocásticos (BOERSMA e HAYES, 1999) explicam a variação na comunidade estudada.

Palavras-chave


Palatalização variável das oclusivas alveolares; OT; Tipologia fatorial; Restrições; Rankings

Texto completo:

PDF


e-ISSN: 1984-7726 | ISSN-L: 0101-3335


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.